quarta-feira, 27 de junho de 2007

Campus avançado da ideologia

O Brasil virou mesmo um país de mentes pasteurizadas pela ideologia. Cinco anos de governo lulo-petista bastaram para que tudo fosse virado pelo avesso. Se você defende as liberdades e a democracia, é tachado de "direitista" ou "conservador" (quando as defendia durante a ditadura, era considerado de "esquerda"). Se você defende a ciência, é logo carimbado de "positivista", membro dessa tribo antiquada que acredita na existência de fatos objetivos e, ainda mais absurdo, que tais fatos sejam acessíveis e explicáveis por teorias independentes dos observadores. E se leva a lógica a sério, então, você é um "reacionário" consumado, vítima do raciocínio "burguês".

Isto não acontece no bar da esquina, claro, mas dentro das universidades, particularmente nas ciências humanas/sociais. Seus alunos já vêm ideologicamente embalados do segundo grau, mas ao invés de desenvolverem um pensamento crítico e racionalista, recebem nos campi nova tintura ideológica. Ali, professor "legal" é aquele que reforça as convicções do alunado, não aquele que o incomoda com reflexão. E há muitos mestres, nesse teatrinho, que jamais contrariam aquilo que a platéia espera.

Onde impera o relativismo, tanto no campo cognitivo quanto na esfera dos valores, o mundo passa a ser aquilo que a hermenêutica pós-moderna diz que é. A grama das praças, por exemplo, pode ser vermelha, dependendo apenas do ponto de vista do sujeito. As palavras já não se referem à realidade, mas são a própria realidade - e nada existe fora da linguagem!

Se há dissenso em relação à racionalidade e às ciências, há consenso em torno de algumas pautas, a começar pelo ecologismo, que é quase uma nova religião. Não ouse duvidar que o maldito "ser humano" seja o único responsável pelo "Aquecimento Global", esta entidade com que os novos apocalípticos ameaçam o planeta. Não ouse contestar que a "globalização" seja uma invenção do imperialismo para dominar a "periferia". E nem ouse negar que "outro mundo é possível", bem além da "lógica capitalista" e das "leis do mercado". Sobretudo, veja no Estado dirigente e regulador o justiceiro das classes populares, o remédio eficaz para todos os males do "neoliberalismo". Defenda sempre mais Estado, nunca menos.

Por fim, considere calunioso aquilo que o escritor Mário Vargas Llosa, obviamente um liberal, definiu como "idiotice latino-americana". Essa idiotice "postiça, deliberada e de livre-escolha", diz ele, "é adotada conscientemente por preguiça intelectual, apatia ética e oportunismo civil. É ideológica e política, mas acima de tudo frívola, pois revela uma abdicação da faculdade de pensar por conta própria, de cotejar as palavras com os fatos que pretendem descrever, de questionar a retórica que faz as vezes de pensamento. Ela é a beatice da moda reinante, o deixar-se levar sempre pela corrente, a religião do estereótipo e do lugar-comum."

18 comentários:

Aluizio Amorim disse...

Certo, Tambosi. É por aí. Muito bom.

Aluízio Amorim

Hélio Schuch disse...

Na mosca, Tambosi, na mosca.

Anônimo disse...

acá observamos que en brazil es una vergonha.

un país que si vive de la corupción

prensa local habla que en brazil la conrupción es de natureza de brasileños y que en governo de Luiz inacio Lula da Silva, la corupción es más intecia.

muchos acá si perguntan: Cuál la razion que povo brasileño aceitan con tanta facilidad su alto nível de violencia y corupción .

perdón, más es muy atrazo de un páis que si julga gran, que la verdad es gran na corupción y violencia.
falta para brazil o que si sobra en argentina: Justiça punición e cutura.

brazil es un país muy violento.

Cfe disse...

Eu não concordo que que esses tipos de pensamento são de agora, do mandato do Lula. As sementes foram plantadas antes.

A única vantagem dos que advogam essas idéias é o manto de proteção que o nosso-líder oferece, com seus altos índices de popularidade.

E sinceramente acho que a "coisa" ainda não atingiu o ápice.

guilherme roesler disse...

"É ideológica e política, mas acima de tudo frívola, pois revela uma abdicação da faculdade de pensar por conta própria, de cotejar as palavras com os fatos que pretendem descrever, de questionar a retórica que faz as vezes de pensamento."

Disse tudo.

C. Mouro disse...

Caríssimo Tambosi,

ABSOLUTAMENTE FANTÁSTICO POST!
É dos melhores que já vi, o mais genial pelo capacidade de dizer muito com poucas palavras. ...FANTÁSTICO! BRILHANTÍSSIMO! ...perdoe minha empolgação, mas não resisto. Quando gosto de algo eu demonstro a medida, da mesma forma quando não gosto - sou antipático mesmo! ...sou incorretíssimo politicamente.

Tudo neste post está fantástco, mas vou ressaltar algo que não imaginei que fosse um dia ler, é prá lá de genial, de fenomenal é infernalmente delicioso:

"As palavras já não se referem à realidade, mas são a própria realidade - e nada existe fora da linguagem!"

Rapaz isso é muito complexo, mereceria um livro a respeito. Garanto que uma boa análise sobre isso faria sucesso, apesar de contrariar conveniencias.

...Essa reflexão me incomoda há muiiito tempo, e sinto-me deliciosamente mais leve depois de ler este brilhantissimo post.

Um forte abraço
C. Mouro

socialistafabiano disse...

Brilhante, Tambosi.
Para o "hermano" lá de cima, uma frase de um argentino, que lí algum tempo atrás: "se cortarem as mãos dos ladrões, corruptos, na Argentina, seremos um país de manetas". Pena que não lembro aonde lí e o nome do autor. Mas, vai assim mesmo. Ele esqueceu de citar a "soberba", entre as "qualidades" do "grande" país irmão.

Walter Carrilho disse...

E tem mais: se você fala mal dos caras em blog, vira logo um "marionete imperialista a soldo dos poderosos". Pois é, se tem rolado grana é sacanagem, pois não recebi nada até agora...

Tambosi disse...

Obrigado, amigos,

o artigo daria ainda muitas páginas...

CFE,é claro que não começou no governo Lula. Começou ainda na ditadura. Mas a inversão de valores aconteceu exatamente na atualidade. Tudo está de cabeça para baixo. Daqui a pouco, bandidos somos nós, contribuintes.

Tambosi disse...

Pois é, Walter,

também quero a minha parte. Nós, "bushistas" - como diz o santo Emir Sader - precisamos nos levantar contra essa exploração...

Cfe disse...

Tambosi,

Esqueci de dizer o artigo está muito bom. E utiliza uma linguagem perfeita.Parabens (e mil perdões)

Com relação à altura em que começou o problema, julgo que foi no período da redemocratização. O paradigma de desenvolvimento estava em mudança e todo mundo no Brasil tecendo loas à democratização, pensando que a democracia iria ser o paraíso, sem reparar para que lado o mundo estava indo. Curiosamente a primeira figura importante que percebeu isso foi escorraçada do planalto, por motivos muito menos graves, sob acusação de quem agora está no poder.

Tambosi disse...

CFE,

o "apetralhamento" da mentalidade brasileira começou de fato há quase 30 anos. O lulo-petismo é o defescho. E, pior, virou senso comum.

ielpo disse...

Salve, Tambosi!

Gosto muito de uma frase do "Bobby Fields" que fala sobre esta inexplicável leniência do povo brasileiro:

“São três as raízes da nossa cultura: a cultura ibérica, que é a cultura do privilégio; a cultura africana, que é a cultura da magia; e a cultura indígena, que é a cultura da indolência. Com esses ingredientes, o desenvolvimento econômico é uma parada...”

Lógico que assumir que a questão é simples assim, seria fazer o que a grande massa oligofrênica faz: abdicação de pensamento, com crítica inexistente. Mas que é uma ponta de verdade sobre a conformação do nosso "valoroso" povo, não há como negar...

Existe uma verdadeira obsessão pelo rótulo, por mais que não se saiba o que ele significa. Como papagaios de pirata, todos (acham que) tem propriedade para sair classificando fulano como "de direita", beltrano como "ateu", e sicrano como "burgês"... Típico de uma cultura que dá todo o crédito à forma, sem se importar com o conteúdo...

Somente aqueles esclarecidos que ousam nadar contra a maré sabem a força da correnteza...

Parabéns pelo post!

Abraço!

Diogo Honorato, disse...

Ideologia é sempre a dos outros. A nossa é sempre "a" verdade...

Rodrigo Xavier disse...

Tambosi,

Estamos vivendo um regresso no pensamento e nas atitudes. O avesso da lógica e dos fatos foram muito bem observados neste seu texto.

Parabéns pela síntese. Meus amigos precisam de muitos textos assim para que a ficha possa cair.

Abraços.

Margaret disse...

10 teu artigo Tambosi! vamos adicionar teu blog em links recomendados no nosso website do Instituto Liberdade: www.il-rs.org.br
Parabens! Margaret

Orlando Tambosi disse...

Obrigado, Margaret,

vou retribuir aqui.

a.h disse...

Caro Tambosi,

De acordo com teu comentário, mas veja: é só uma questão de tempo para que a teoria do aquecimento antrópico seja desancada...

http://geografiaconservadora.blogspot.com/2007/06/anatomia-de-uma-fraude.html