sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

A truculenta militância do PT

Cada vez mais acuado pela Justiça, o lulopetismo já não esconde seu focinho bolivariano: a militância do partido totalitário avança com violência sobre quem quer explicações do tiranete Lula, a exemplo do que aconteceu no Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo, onde Lula e Marisa prestariam depoimento. Lula e seus asseclas tentarão resistir à custa de sangue, se necessário for. Afinal, o tiranete se considera intocável. Segue editorial do Estadão:

Também é com violência, chicanas e mentiras que os petistas defendem seu grande líder, Luiz Inácio Lula da Silva, das suspeitas de que esteja ocultando patrimônio e que se tenha beneficiado de suas relações fraternas com empreiteiros de grosso calibre. É o que resta à tigrada, pois Lula não lhe dá alternativa: sem conseguir elaborar uma explicação convincente para os “presentes” que recebeu daquela turma da pesada, envolvida de corpo e alma no petrolão, o ex-presidente prefere tratar como inimigos todos os que estão a lhe cobrar esclarecimentos, o que explica a reação selvagem por parte dos que ainda se dispõem a segui-lo.
Não que a atitude belicosa dos petistas seja propriamente inesperada. Não é de hoje que gente grossa do partido prefere o caminho do confronto para intimidar aqueles que considera seus oponentes – e, uma vez criado o conflito, os petistas posam de vítimas da truculência dos “inimigos da democracia”.
Foi o que aconteceu na quarta-feira passada, quando os sindicatos ligados ao PT arregimentaram algumas centenas de manifestantes para expressar apoio a Lula diante do Fórum Criminal da Barra Funda, em São Paulo. O ato fora organizado em razão do esperado depoimento do ex-presidente e de sua mulher, Marisa Letícia, sobre o mal explicado caso do tríplex no Guarujá. O depoimento havia sido suspenso no dia anterior, graças a uma manobra petista contra o procurador do caso, mas mesmo assim os sindicalistas decidiram manter o protesto.
Com clara disposição para a provocação, os petistas chamaram para a briga um punhado de manifestantes que ali estavam para protestar contra Lula. Os apoiadores do ex-presidente recorreram à força quando o grupo adversário tentou inflar o famoso boneco que retrata Lula como presidiário. Considerando-se ofendidos pelo tal boneco, os petistas fizeram de tudo para furá-lo, enfrentando não apenas os manifestantes anti-Lula, mas os policiais que estavam tentando apartar os grupos. A PM teve dificuldades para conter os arruaceiros.
Passado o incidente, o PT, a despeito do que mostram as imagens, julgou-se vítima da “política truculenta da PM comandada pelo PSDB, que resiste em conviver com o direito democrático de manifestação”. Na mesma nota, o partido chegou ao cúmulo de dizer que a polícia “comandada pelo governador Geraldo Alckmin” atuou “em proteção ao boneco da imagem do ex-presidente”, o que jamais aconteceu.
Mas é inútil esperar que os militantes petistas demonstrem alguma estima pela verdade. Nisso agem estritamente de acordo com o manual do mestre Lula, que ensina a mentir sem corar.
Numa de suas mais recentes aulas de descaramento, o mandachuva do PT, quando questionado sobre o fato de que uma operadora de telefonia camarada instalou uma antena de celular perto do sítio que ele frequenta como se fosse seu, em Atibaia, mandou dizer simplesmente que “nem tem telefone celular”.
Lula também quer que todos acreditem, conforme se lê em uma das furibundas notas oficiais emitidas por seu instituto, que o fato de ter mandado boa parte de sua mudança para o tal sítio quando deixou a Presidência não tem nada de mais, pois tudo foi feito “com o consentimento dos proprietários, que são amigos de Lula e de sua família há décadas”. Aqueles que ousam desconfiar dessas e de outras tantas explicações esdrúxulas fazem parte, segundo o Instituto Lula, “da ruidosa guerra que os grandes meios de comunicação movem contra o ex-presidente desde 2002”.
É assim, expressando-se em termos que incitam seus seguidores à violência, recorrendo a manobras capciosas para não se ver obrigado a falar a verdade nos foros adequados e esforçando-se para inventar uma conspirata onde só há perguntas legítimas, que Lula pretende esquivar-se de dar explicações para a incrível generosidade de seus amigos empreiteiros, classificada por Gilberto Carvalho, seu notório escudeiro, como “a coisa mais natural do mundo”.

Um comentário:

Anônimo disse...

Um sujeito de meia idade com camiseta de che gayvara tem o quê debaixo dos cabelos grisalhos? Titica pura.