sábado, 6 de fevereiro de 2016

A velha cantilena de Lula & Cia: corruptos somos todos nós.

Todos, uma ova, bandidos! Não me venham com essa velha cantilena relativista de diluir na sociedade o que vocês produzem. Vocês é que fizeram e fazem merda por onde quer que passem. Destruíram as instituições, aparelharam o Estado, que gerem de forma incompetente, e engendraram os maiores escândalos de corrupção da história brasileira - e da história da humanidade, sem exagero. A propósito, segue editorial do Estadão:

Somos corruptos. Mas quem não é? Este é o argumento central da estratégia que o governo Dilma e o PT articulam na tentativa de proteger Luiz Inácio Lula da Silva das investigações policiais nas quais está cada vez mais enredado. A artimanha consiste em criar, no Congresso Nacional, Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) destinadas a investigar governos tucanos em São Paulo e Minas Gerais, com o objetivo de desviar as atenções para fatos envolvendo a oposição e, também, para anestesiar o sentimento de indignação da população com a corrupção sistêmica implantada pelo lulopetismo. A iniciativa petista tem sua lógica. Lula & Cia. sempre foram muito melhores no ataque do que na defesa. Mas o melhor resultado que os petistas lograrão obter será mostrar ao País o que todo mundo está cansado – e revoltado – de saber: a corrupção é generalizada e dela nem todos escapam. Ela é produto de um sistema político patrimonialista que o PT combateu até chegar ao Planalto e a partir daí passou a estimular em benefício de seu projeto de perpetuação no poder, institucionalizando a sem-vergonhice a pretexto de garantir a “governabilidade”.
Ninguém imagina que a corrupção praticada por agentes públicos seja exclusividade do PT e daqueles que a ele se alinharam para usufruir as “boquinhas” que a máquina governamental propicia. É muito provável que os tucanos, no poder no Estado de São Paulo há 20 anos, tenham cometido ilicitudes que precisam ser investigadas, para que os responsáveis sejam exemplarmente punidos. O mesmo se aplica a Minas Gerais. Da mesma forma, vale para todos os governos de todos os demais partidos em todos os Estados e municípios do Brasil. É assim que as coisas deveriam funcionar: quem quer que delinqua, após o devido processo legal, deve cumprir a pena cominada.
Na verdade, a quantidade de chefes de Executivo, principalmente no nível municipal, investigados, condenados e afastados do cargo pela prática de ilicitudes é grande. Talvez por isso mesmo essas medidas saneadoras recebem pouca atenção da mídia. Só no Estado do Maranhão – aquele até recentemente dominado pelo clã Sarney –, 45 prefeitos e ex-prefeitos de vários partidos foram condenados pelo Tribunal de Justiça estadual, entre 2012 e 2014, pela prática de crime no exercício do cargo.
A lama em que chafurda a administração pública, em todos os níveis de governo, ajuda a entravar o pleno desenvolvimento econômico e social do Brasil. A relação de causa e efeito entre corrupção e má gestão está claramente demonstrada na incapacidade de um partido corrupto como o PT aplicar políticas sustentáveis de desenvolvimento. O que se vê é o governo de Dilma Rousseff deitar a perder, com a inflação descontrolada e o desemprego crescente, os avanços na área econômica e social obtidos nos governos de Fernando Henrique e de Lula – embora já neste tenha sido instalado o sistema de pilhagem dos recursos públicos.
Não será, portanto, tentando convencer os brasileiros de que devem ser perdoados pela corrupção de que são acusados porque seus opositores fazem exatamente a mesma coisa que o PT e seu principal líder, Lula, recuperarão a credibilidade perdida e serão absolvidos pela opinião pública. Os petistas estão lutando, afinal, pela garantia de um futuro menos doloroso do que esse que vivem hoje dois de seus ex-presidentes e dois ex-tesoureiros. Mas são incorrigíveis, na medida em que pregam, em seus conciliábulos, que existe uma corrupção “do Bem” que é perfeitamente tolerável quando ajuda a “governar para os pobres”. E enquanto tentam erradicar a pobreza de seus eleitores, com inusual eficiência afastam de seus lares qualquer sinal de carência material. É assim que fazem a tal “justiça social”.
O povo brasileiro é paciente e tolerante. Não reclamará, decerto, do fato de o partido que escolheu para governar o País perder tempo e energia articulando a criação de CPIs para distrair a atenção das complicações de Lula com os imóveis que lhe garantem merecidos “dias de descanso”. Mas agradeceria, sensibilizado, se esses mesmos próceres engendrassem meios e modos para tirar o País do buraco em que o meteram. Parece que essa é a obrigação – o dever – dessa gente que fez de tudo para conquistar o poder.

3 comentários:

Anônimo disse...

a psicologia mais elementar possível, chama isso de comportamento projetivo. mas, na real mesmo, não passam de uns bandidos em formação de quadrilha, muito espertos e tentando enganar os desavisados.

Anônimo disse...

A canalha petista tá louca para envolver a oposição, principalmente, o PSDB, neste lamaçal.

Será mais um tiro no pé!

FORA PT!

Em tempo, esta corja que me tire fora de sua lista. Eu não sou corrupta!


Chris/SP

Anônimo disse...

SÃO JORGE DE BORDEL?

Recomendo-lhes que leiam o editorial de hoje do “Estadão”, entitulado “O Coitado do Lula”, que traça um retrato fiel da pantomima que os blogs estatizados, os “coletivos”-sociais e o partido-seita estão fazendo no intuito de vitimizar o investigado Lula da Silva.

Como destaca o editorial , “os supostos ataques contra Lula da Silva nada mais são do que a revelação de informações de alto interesse público, relativas à promiscuidade do ex-operário com as grandes empreiteiras”. E arremata:

“A VITIMIZAÇÃO DE LULA É REALMENTE MUITO PERIGOSA, DESPERTA TALENTOS E INSTINTOS BESTIAIS”

É o que se pode depreender de ações encetadas pelos blogs sujos. Na sanha de livrar o chefete de investigações e de puxar-lhe o saco, els engabelam os seus leitores com postagens mistificadoras, ridículas, mas que têm um alto potencial de causar dano à verdade e à democracia, além poder vir a se constituir numa incitação à violência, pelo desespero que tomou conta das hordas petistas depois que essas lamentáveis evidências a respeito do possível financiamento da campanha de reeleição do chefete com dinheiro sujo do Petrolão, bem como do triplex do Guarujá e do sítio de Atibaia, vieram à tona.

Quem subscreve um blog, ainda que sujo, não pode se comportar como se fosse esbirro de partido político ou fanático de seita fundamentalista. Precisa ter compromisso com a verdade e a democracia, respeitando, acima de tudo, os poderes constituídos do País. Caso contrário, será um pescador de águas turvas, estará a serviço do lado escuro da força e, mais cedo ou mais tarde, terá que pagar pelo seu desvario. Se não for diante a justiça dos homens, será perante a justiça de Deus.

Não há dúvida de que o País demantelou-se sob a ação deletéria do lulopetismo, e que amarga, hoje, a maior crise da sua história. Quem leu a Folha do último domingo, deparou-se com os números que comprovam, inequivocamente, a dimensão dessa tragédia acarretada por 13 anos de “arrogancia, incompetência e corrupção” (palavras do FT) de Lula da Silva e seus sequazes. Ou seja, o que esses celerados pretendem mais, depois de ter destruído o País? Destruí-lo de novo? Tenham a santa paciência!

Conclamo-os, então, pelo bem do Brasil, a não vitimizar o investigado! Exortem o seus “coletivos” a se manterem distantes da Barra Funda no dia aprazado, cedendo espaço para os membros das 3000 famílias de trabalhadores que foram lesadas pela Bancoop, que estas, sim, são as verdadeiras vítimas do crime monstruoso em que Lula da Silva terá uma parcela de responsabilidade, caso venha a ser considerado culpado de beneficiar-se do que restou da farsa armada pela cooperativa que desviava dinheiro para os cofres do PT.

Por favor, não despertem os instintos bestiais das hordas petistas, vitimizando Lula da Silva, pois elas já estão desesperadas ante a possibilidade, cada vez mais efeitva de que “a alma viva mais honesta do Brasil” não seja nada além de um santo do pau oco, de um São Jorge de bordel!