segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Petistas contam com dança das cadeiras no TSE para tentar livrar a cara de Dilma

Os petistas esperam a ministra Rosa Weber substituindo Toffoli.
O partido totalitário acredita que mudanças na composição do plenário do TSE poderáão beneficiar a chapa encabeçada por Dilma e Temer. A conferir:


O Palácio do Planalto e o PT apostam em mudanças na composição do plenário do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para arrastar a análise dos processos de cassação da presidente Dilma Rousseff e de seu vice, Michel Temer, e beneficiá-los no julgamento.

A primeira dança das cadeiras esperada é a saída do atual presidente do TSE e ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli. A outra é uma possível mudança na relatoria do principal pedido de perda de mandato, o que prolongaria a conclusão do caso.

Toffoli deixará o comando da Justiça Eleitoral no dia 13 de maio, e o TSE no fim do mês, quando será substituído pela ministra do STF Rosa Weber, considerada mais técnica e menos afeita a "paixões partidárias", nas palavras de auxiliares da presidente.

No TSE, espera-se que os petistas tentem empurrar a votação de processos ao menos até essa troca. A estratégia seria pedir depoimentos e diligências, atrasando com isso a conclusão das ações.

Dilma e Temer são alvos de quatro processos que podem levá-los à perda de mandato. A oposição os acusa de abuso de poder econômico e político e aponta suspeitas de que a campanha da reeleição tenha usado recursos desviados da Petrobras.

Nos bastidores, membros do governo reclamam de que Toffoli teria se afastado do Planalto e de que ele faz dobradinha com o colega Gilmar Mendes, que é um dos principais críticos das gestões petistas e assumirá a presidência da Justiça Eleitoral neste ano.

Para o governo, o afastamento de Toffoli cresceu desde o julgamento do mensalão, em 2012. Na ocasião, o ministro, que foi advogado-geral da União no governo Lula, votou pela condenação do ex-presidente do PT e ex-deputado federal José Genoino (SP).

Pelos cálculos governistas, a Aime (Ação de Impugnação de Mandato Eletivo), principal ação contra Dilma e Temer, deve trocar de relatoria antes de ir a plenário.

O mandato da ministra Maria Thereza Moura, que é responsável por três processos, termina em setembro. O relator substituto ainda terá que ser discutido pelo TSE. Os ministros decidirão se as quatro ações tramitarão juntas e se ficarão ligadas à Corregedoria ou ao gabinete da ministra. (Continua na FSP).

5 comentários:

Anônimo disse...

Vou te falar,fico envergonhada com muitas mulheres que estão em cargos públicos!Dilma,Erenice,Gleicy,Marina silva(doida pra entrar),e agora ainda leio esse comentário sobre Rosa Weber!!!???É o fim da picada!Será que não se envergonham em ter o caráter sob suspeita!!":::É o fim da decência!!!

Anônimo disse...

como pode uma ministra da suprema côrte, aceitar, passivamente, que repercutam isso sobre sua honra e seu caráter ? em todos os seus votos, rosa weber se mostrou uma mosca morta, quase chorando pedia desculpas e todas as vênias por discordar dos outros ministros. nunca mostrou um voto firme e consistente. será que é por isso que passa a ideia de submissão ? se realmente assumir com esse propósito, ai este país terá seu fim anunciado em rede nacional ! TENHA VERGONHA NA CARA MINISTRA !

Anônimo disse...

Ué, não era Gilmar Mendes que iria assumir o posto de Prsidente do TSE, no lugar de Toffoli ????


Chris/SP

Orlando Tambosi disse...

A presidência, sim, Chris. Rosa assume a vaga de Toffolli, que deixa o TSE.

Anônimo disse...

Será que a ministra Rosa Weber vai se deixar desfolhar pelo banditismo e passará para a história como uma ministra mequetrefe?