quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Petrobras cometeu o 2º maior escândalo do mundo. Parabéns, Dilma e Lula.


2 comentários:

O MESMO de SEMPRE disse...

O problema é a MORAL completamente distanciada da ideia de ÉTICA comomuma filosofia para as relações humanas. Afinal, a moral é ARBITRÁRIA baseando-se em DOGMAS para costumes e tradições.

No ocaso do Império Romano já não mais interessava uma moral GUERREIRA em apoio às conquistas (Dominação e SAQUES) de outros povos, para manter e ampliar o PODER dos soberanos estabelecidos ao custear exécitos e apaniguados FALADORES para acirrar um frenesi popular através da EXCITAÇÃO das MASSAS.

Sim, o NOVO objetivo era obter da PRÒPRIA POPULAÇÃO a permissão para EXPLORAR-LA, tornando-a VOLUNTARIAMENTE SUBMISSA.

Tal só é possivel ATRAVÉS da MANIPULAÇÃO moral. Ou seja, ATRAVÉS da MANIPULAÇÃO da VAIDADE humana.

(...)

A MORAL é a receita para uma inserção solidária num grupo ou comunidade, estabelecendo o valor do indivíduo para O GRUPO, PRESCREVENDO O COMPORTAMENTO IDEAL para o integrante.

A IDEOLOGIA firma-se como pretenso estudo ou conjunto/AMONTOADO de ideias/ALEGAÇÕES apresentadas como RECEITA p/ um OBJETIVO SUPREMO ou FIM REDENTOR.

A FANTASIA MARAVILHOSA assumida como UM BEM ABSOLUTO para a HUMANIDADE imediatamente faz do seguidor ideológico um "ALGUÉM MELHOR", um "SALVADOR da HUMANIDADE" ou HEROI, repleto de valor e utilidade para o grupo/comunidade de "SALVADORES" superiores aos RELES MORTAIS que por eles serão salvos para "VIVEREM em um PARAÍSO" ou Utopia qualquer.

Assim inventou-se a IDEOLOGIA CRISTÃ em CONTRADIÇÃO com o JUDAÍSMO, no qual JAVÉ seria o "SENHOR dos EXÉRCITOS", protegendo seu "POVO ESCOLHIDO" para reinar nos terrítorios por JAVÉ concedidos.

Ou seja, O CRISTIANISMO propunha NÃO MAIS uma MORAL de GUERREIROS, mas uma MORAL de CORDEIROS.

O Estado Romano não tinha mais povos a conquistar e SAQUEAR. O Estado/GOVERNO Romano tinha ELEVADO CUSTO de MANUTENÇÃO e disputas internas, precisando EXPLORAR a PRÓPRIA POPULAÇÃO, implicando em RISCO de REBELIÃO DESTA diante da exploração.

Com isso a NOVA POLÍTICA INVENTOU o CRISTIANISMO com sua MORAL CAPITULACIONISTA, onde o MAIOR VALOR do indivíduo seria sua SUBMISSÃO aos governantes (VIDE EPISTOLAS de PAULO ou "ROMANOS").

A NOVA MORAL CRISTÃ preconizava o "dar a outra face", o RESIGNAR-SE ante o sofrimento e ansiar apenas pela "VIDA ETERNA" no futuro incerto (ideologias prometem futuro incerto e maravilhoso).

Assim o Estado Romano DOMESTICOU as MASSAS, manipulando-lhes a vaidade, IMPONDO UMA NOVA MORAL PROPAGANDEADA como O VAOLOR VERDADEIRO para os indivíduos. Valor este DITADO por UM DEUS ou SEMI DEUS que opunha-se francamente as ideais de seu "deus pai".

Com essa NOVA MORAL a politica INDUZIU o ÓDIO aos RICOS chamados de "GANANCIOSOS", "AVARENTOS", "GULOSOS" etc.. Atribuindo a estes, FACILMENTE INVEJÁVEIS e POR TAL ODIAVEIS, todas as culpas e DEMÈRITOS, ao mesmo tempo que GLAMURIZAVA os MISERÁVEIS como se a miséria LHES FOSSE MÉRITO.

Com NOVA POLÍTICA o Estado ROMANO JUSTIFICOU-SE NO SAQUE CONTRA A PRÓPRIA POPULAÇÃO induzindo o ÓDIO contra os RICOS não simpáticos à EXCESSIVA COBRANÇA de IMPOSTOS perpetrada pelo Estado/governo.

Não por acaso foram inventados pecados da AVAREZA e da GULA bem como a condenável GANÂNCIA por riquezas ou "acumular tesouros na terra".

Pobres e miseráveis imediatamente sentiram-se GALANTEADOS pela NOVA IDEOLOGIA que atribuia-lhes grande VALOR MORAL, COMO SE A NECESSIDADE LHES ATRIBUISSE MÉRITOS.
Assim iniciou-se o POPULISMO na melhor interpretação de SUN TZU: SEMEAR a DISCÓRDIA dentre as classes da sociedade a qual o Estado/governo pretendia DOMINAR e EXPLORAR.

A política cristã é a origem do populismo e causa do socialismo/"comunismo".

Enquanto persistir essa MORAL PIEGAS do cristianismo a TIRANIA e a SAFADEZA têm futuro garantido.

O MESMO de SEMPRE disse...


Sim, no decadcente Império Romano, com suas disputas internais devido ao seu tamanho e dificuldade de um eficiente controle central, não tinha mais tantos povos para conquistar e EXPLORAR.

Assim percebeu-se que o Império somente se sustentaria através da exloração da PRÓPRIA POPULAÇÃO. Correndo o RISCO de rebeliões e acirramento da divisão do PODER.

Uma IDEOLOGIA GUERREIRA nÃO MAIS SERIA INTERESSANTE e SIM o CONTRÁRIO:

Uma IDEOLOGIA QUE INCENTIVASSE A COVARDIA, a FROUXIDÃO e o VALOR MORAL da OVELHA em oposição ao valor moral do GUERREIRO.

Foi essa a idéia para se conceber a NOVA MORAL ASCÈTICA que incentivava o DESPREZO por SI MESMO e a SERVIDÃO como VALORES MORAIS SUPERIORES.

Essa MORAL ASCÉTICA que foi patrocinada pelo Estado Romano CONTRA a ÉTICA ESTÓICA só poderia se ARBITRADA como DOGMA por um deus ou semi deus ou seria desprezada. Porém, para forçar um SINCRETISMO o novo semi deus "PACIFISTA" que chamava comerciantes de ladrões gananciosos forjou-se em flagrante contradição com seu deus pai e alterou o valor moral do "SENHOR dos EXÉRCITOS" para o valor morall do "REBANHO POPULAR".

Enquanto esta moral ideológica for assentida, a tirania e a safadeza terão um futuro de prosperidade.