quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Trump avança, Hillary despenca. É o desfecho de 8 anos de letargia obamista.

Como escreve Filomena Martins, diretora adjunta do jornal português Observador, Donald Trump, pré-candidato republicano, parece "imparável", enquanto a adversária democrata Hillary Clinton está em queda livre, depois da surra em Iowa:


Nas primárias dos EUA, Bernie Sanders bateu Hillary Clinton por mais de 20 pontos e Donald Trump parece imparável. Os resultados do New Hampshire, o segundoestado onde se votou nesta pré-corrida à Casa Branca, não deixaram dúvidas.

Nos republicanos, Trump venceu tranquilamente (35,1%, contra 15,9% de Kasich e apenas 11,6% de Rubio) e fez com que este último, Rubio, o filho de cubanos que parece já ter nascido para ser Presidente, possa nem ser alternativa. Resta-lhe apenas esperar para saber se o D. Sebastião, Michael Bloomberg, avança ou não. 

Já nos democratas, Hillary, que ganhara no Iowa por poucas décimas, levou agora um verdadeiro chega para lá de Sanders: 60% vs. 38,4%. E a nomeação pode começar a ser uma miragem (para ela, claro).

4 comentários:

Anônimo disse...

Os dois são candidatos nocivos para uma pretensa "democracia mundial" (sistema político, esse, desvirtuado e deturpado pelo insaciável imperialismo norte-americano). Ambos são pretensos candidatos altamente inclinados para guerra infindáveis.

Orlando Tambosi disse...

Imperialista foi a Europa, Anônimo. Os EUA jamais formaram algum império nem colonizaram nenhum país. E mais: não foram eles que engendraram o comunismo, o nazismo e o fascismo.

Anônimo disse...

http://livraria.folha.com.br/livros/historia/historia-nao-contada-estados-unidos-oliver-stone-peter-1308248.html

Orlando Tambosi disse...

Oliver Stone é um petralha norte-americano. Ele e o gordo de boné, cujo nome esqueci e nem quero lembrar.