terça-feira, 15 de março de 2016

PGR deve pedir a inclusão de Lula e Temer em inquérito da Lava-Jato no STF

A situação fica cada vez mais difícil para o "ministeriável" Lula, que tenta fugir de Moro através de um cargo no governo. A República está em frangalhos. Passou da hora de erradicar o lulopetismo:

A Procuradoria-Geral da República deve pedir pedir a inclusão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do vice-presidente Michel Temer no inquérito que apura formação de quadrilha por políticos que supostamente atuaram no esquema de corrupção na Petrobrás, segundo fontes ligadas à investigação. A investigação corre no Supremo Tribunal Federal desde março do ano passado e apura cerca de 40 pessoas, entre elas parlamentares e lideranças do PMDB, PT e PP.

Investigadores avaliam a possibilidade de que as menções feitas pelo senador Delcídio Amaral (PT-MS) em delação premiada sejam também incluídas na investigação que corre no Supremo e tenta mostrar o sistema organizado de políticos no recebimento de propina e benefícios oriundos de contratos da Petrobrás.
A delação de Delcídio, homologada nessa segunda-feira, 14, pelo ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato na Corte, reforça a apuração sobre o PMDB e sobre o PT no inquérito, o que pode gerar a inclusão de Temer e Lula no rol de investigados.
No caso de Lula, além das menções feitas por Delcídio, os procuradores devem solicitar informações à Justiça Federal no Paraná, que conduz a investigação que tem o ex-presidente como alvo. Se Lula for confirmado ministro de Estado, no entanto, a solicitação nem será necessária, pois todo o material de investigação que corre na justiça de primeira instância será encaminhado para a PGR e para o Supremo Tribunal Federal. 
Na delação, Delcídio detalha a proximidade do ex-presidente com seu amigo pessoal, o pecuarista José Carlos Bumlai, réu na Operação Lava Jato. O senador petista também relata tentativa de Lula evitar o depoimento do lobista Mauro Marcondes, réu na Operação Zelotes, na CPI do Carf.
Já com relação a Temer, procuradores devem avaliar sua inclusão unicamente com base nas falas de Delcídio. O delator envolve o vice-presidente em suposto esquema de aquisição ilícita de etanol pela BR Distribuidora. O peemeebista teria, segundo Delcídio, "apadrinhado" o ex-diretor da subsidiária da Petrobrás João Augusto Henriques, supostamente envolvido no caso e que fez pagamentos indicados como propina ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). (Estadão).

4 comentários:

LiaSouza/Fpolis disse...

Sério que o corona do blog faleceu?

Anônimo disse...

Enquanto isto, o desemprego avança e ninguém fala:

http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2016/03/desemprego-aumenta-no-brasil-e-projecoes-para-2016-nao-sao-boas.html

Anônimo disse...

Imagina se o PGR quer a prisão do Mercadante! De repente pode surgir outra delação e a coisa pode complicar um pouco mais do que já está.

Anônimo disse...

ASSINEM A PETIÇÃO PÚBLICA!!!

NÃO QUERO LULA COMO MINISTRO» no endereço: http://www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=BR88986


Chris/SP