domingo, 13 de março de 2016

Que as autoridades eleitas e os partidos ouçam as ruas, diz Moro.


Aliás, se a Dilma restasse um pingo de dignidade, ela se curvaria às ruas e faria as malas, livrando o país da falta de rumo, da incompetência e da corrupção. Entretanto, ela será uma das poucas pessoas a desconsiderar as manifestações. Pior para ela:


O juiz federal Sérgio Moro divulgou nota neste domingo (13/03) em que afirmou considerar "importante que as autoridades eleitas e os partidos ouçam a voz das ruas" e que "não há futuro com a corrupção sistêmica que destrói nossa democracia, nosso bem-estar econômico e nossa dignidade".

Segundo Moro, autoridades eleitas e partidos devem "igualmente se comprometer com o combate à corrupção, reforçando nossas instituições e cortando, sem exceção, na própria carne".

Nas manifestações que aconteceram em todo Brasil, o juiz da Lava-Jato recebeu amplo apoio, bem como as investigações contra as autoridades envolvidas nos processos da Lava Jato.

"Fiquei tocado pelo apoio às investigações da assim denominada Operação Lavajato. Apesar das referências ao meu nome, tributo a bondade do Povo brasileiro ao êxito até o momento de um trabalho institucional robusto que envolve a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e todas as instâncias do Poder Judiciário", afirmou Moro.

LEIA A ÍNTEGRA DA NOTA DO JUIZ FEDERAL SÉRGIO MORO

"Neste dia 13, o Povo brasileiro foi às ruas. Entre os diversos motivos, para protestar contra a corrupção que se entranhou em parte de nossas instituições e do mercado. Fiquei tocado pelo apoio às investigações da assim denominada Operação Lavajato. Apesar das referências ao meu nome, tributo a bondade do Povo brasileiro ao êxito até o momento de um trabalho institucional robusto que envolve a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e todas as instâncias do Poder Judiciário.

Importante que as autoridades eleitas e os partidos ouçam a voz das ruas e igualmente se comprometam com o combate à corrupção, reforçando nossas instituições e cortando, sem exceção, na própria carne, pois atualmente trata-se de iniciativa quase que exclusiva das instâncias de controle. Não há futuro com a corrupção sistêmica que destrói nossa democracia, nosso bem estar econômico e nossa dignidade como País.

- 13/03/2016, Sergio Fernando Moro" (Veja.com).

2 comentários:

Carlos Lima disse...

Enfim, graças a Deus, cansado de ser enganado, o povo brasileiro está acordando e passando a ter consciência política e cívica. Isto é um ótimo sinal. No entanto os tartufos, hipócritas, insistem em procurar tampar o Sol com a peneira, procurando dissimular, mentir, enganar e persistem na tentativa de burlar a lei ou modificá-la para se auto beneficiar. São meliantes insensíveis e recalcitrantes devido a leniência e benefícios da lei, criada por eles, muitas vezes de forma ilegal, comprando o congresso para votá-las, do aparelhamento da última instância do judiciário brasileiro aliado as fragilidade das urnas eletrônicas que depende de uma única pessoa, a nível das eleições presidenciais, para proclamar um resultado sem possibilidade de recontagem de votos. É muito poder nas mãos de um homem representar 200 milhões de brasileiros, que se tornam reféns deste autoritarismo.

Carlos Lima disse...

Corrigindo texto:


...aliado a fragilidade das urnas...