sexta-feira, 1 de abril de 2016

Brasil no buraco: produção industrial cai 11,8% só nos primeiros dois meses do ano.

Os dados são do IBGE e revelam o que todo mundo já sabe: o governo petista está destruindo o país:

A produção industrial acumula queda de 11,8% no primeiro bimestre deste ano, divulgou nesta sexta-feira, 1, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 12 meses, o recuo é de 9,0%.
Na comparação de fevereiro ante janeiro, a produção caiu 2,5%, na série com ajuste sazonal, o pior resultado mensal para o indicador desde dezembro de 2013, quando caiu 2,8%. O resultado também foi o pior registrado para um mês de fevereiro de toda a série histórica, iniciada em 2002. 
O resultado veio dentro das expectativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções, serviço da Agência Estado, que esperavam recuo entre 0,12% e 3,20%, com mediana negativa de 2,42%.
Em relação a fevereiro de 2015, a produção caiu 9,8%. Nesta comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de retração de 7,80% a 11,90%, com mediana negativa de 10,50%.
O índice de Média Móvel Trimestral da indústria recuou 1,0% em fevereiro ante janeiro, marcando a 16ª taxa negativa consecutiva para a média móvel trimestral da indústria. No mês anterior, a média móvel também tinha sido de -1,0%, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF).
"É como se fosse uma trajetória descendente desde outubro de 2014", notou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.
Setores. A produção da indústria de bens de capital subiu 0,3% em fevereiro ante janeiro. Na comparação com fevereiro de 2015, entretanto, o indicador mostra um tombo de 25,8%. No acumulado de 2016, houve queda de 30,8% na produção de bens de capital. Em 12 meses, o resultado é de recuo de 27,1%.
Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou queda de 3,2% na passagem de janeiro para fevereiro. Na comparação com fevereiro de 2015, houve recuo de 8,1%. No acumulado do ano, a queda é de 10,1%, enquanto a taxa em 12 meses é de baixa de 9,4%.
Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de fevereiro apresentou queda de 5,3% ante janeiro, e redução de 29,3% em relação a fevereiro de 2015. Entre os semiduráveis e os não duráveis, houve diminuição de 0,6% em fevereiro ante janeiro, e recuo de 2,0% na comparação com fevereiro do ano passado.
Para os bens intermediários, o IBGE informou que a produção caiu 2,0% em fevereiro ante janeiro. Em relação a fevereiro do ano passado, houve recuo de 8,5%. No acumulado do ano, houve queda de 10,1%, enquanto a taxa em 12 meses ficou negativa em 6,3%.
Revisões. O IBGE também revisou o dado da produção industrial do mês de dezembro ante novembro de 2015 de -0,5% para -0,8%. A produção de bens de capital também foi revisada, mas em janeiro ante dezembro, de 1,3% para 2,1%. A produção de bens intermediários no período saiu de 0,8% para 0,9%. 
A produção de bens de consumo duráveis foi revista de -2,4% para -3,3% em janeiro ante dezembro. A produção de bens de consumo semi e não duráveis saiu de 0,3% para 0,4% no mesmo período analisado. (Estadão).

Um comentário:

Anônimo disse...

Eu sempre jogo esses números oficiais para cima. Tomo como exemplo o interior de SP, vários distritos industriais dentro das cidades médias e grandes do Estado viraram bairros fantasmas como pouquíssimas empresas funcionando.