domingo, 3 de abril de 2016

Muro da Vergonha: veja quem são os calhordas contra o povo.

A Avenida Paulista, caixa de ressonância do Brasil, está exibindo em painel os patifes que são a favor de Dilma e do PT, isto é, contra o Brasil. Aliás, São Paulo deveria sediar o Congresso Nacional.  Brasília é uma invenção de Juscelino Kubitschek, um místico maluco de Minas Gerais:

O Vem pra Rua, um dos principais grupos que pede o impeachment da presidente Dilma Rousseff, instalou na Avenida Paulista dois painéis com os nomes dos deputados que estão indecisos e que são contra o impedimento na Câmara. Para ser aprovado, o documento elaborado pelos juristas Miguel Reale Jr, Helio Bicudo e Janaina Paschoal precisa de 342 votos de um total de 513. 
Para arquivar o processo, o governo precisa do apoio de 171 deputados, entre votos a favor, faltas e abstenções. 
Nos dois painéis, que foram instalados em frente à sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), entre a Rua Pamplona e a Avenida Paulista, foram divulgados os nomes as fotos de 22 deputados paulistas: 14 contrários e 8 favoráveis ao impeachment. 
No placar-geral do VPR, são 119 os deputados que se dizem contrários, 266 favoráveis e 128 indecisos. Para chegar a esses números, o grupo reuniu um 70 pessoas no Congresso Nacional para fazer o levantamento."Nesse momento estar indeciso é indício  de estar fazendo barganha política", afima Rogério Chequer, porta-voz do Vem Pra Rua. 
A instalação dos paineis acabou se transformando em um ato político que reuiniu milhares de pessoas. A Subprefeitura da Sé notificou a Fiesp de que a iniciativa fere a Lei Cidade Limpa.  
"Após constatar  irregularidades cometidas na ocupação da via carroçável de uma das pistas da Avenida Paulista, a  entidade será notificada com base na Lei Cidade Limpa, a 14.223, que estabelece que anúncios indicativos, bem como nomes, símbolos, logotipos, banners, faixas e placas incorporados à fachada deverão seguir um padrão de tamanho proporcional à testada do imóvel, e também com base na Lei 14.072, que diz respeito a solicitação e autorização prévia para que seja realizado  qualquer tipo de evento em espaço público."
A Fiesp não se manifestou até o momento. (Estadão).

5 comentários:

Anônimo disse...

Temo que o que está acontecendo em nosso país seja muito mais grave do que se poderia supor. A meu ver, não estamos às voltas apenas com um partido político degenerado e corrupto, mas com uma seita perigosa de fanáticos fundamentalistas, travestida de partido político. Sempre há um líder carismático e sem escrúpulos no comando. Semelhante fenômeno foi estudado pelo psiquiatra polonês Andrew Lobaczewski, que descreveu os patocratas ou psicopatas no poder. Um dos muitos sinais que me fazem supor isso é que ânimo dos militantes ou devotos mais se acirra quanto mais se prova a corrupção da seita, a canalhice dos seus líderes e o seu comprometimento com um projeto criminoso de poder.

Agora, o pior: a ascensão de um bando de fanáticos como esse só ocorre pela cumplicidade explícita de muitos e pela omissão covarde de outros tantos, e se mantém pela cooptação dos poderes constituídos, exatamente como se deu e se dá em nosso país. Costuma terminar em tragédia.

Anônimo disse...

O povo brasileiro informa: "O LULOPETISMO será varrido do mapa com base na Lei 21/2016, também conhecida como LEI DO PAÍS LIMPO".

Anônimo disse...

Nota de falecimento !
QUEM MORREU?
Luiz Inácio Lula da Silva!
TEM CERTEZA?
Politicamente sim ! Sem ressuscitação em 2018!
MELHOR NOTÍCIA DO ANO!
ELE MORREU DE QUÊ?
Disse que foi um tal de Carbono 14 !
XIIII !!!

Anônimo disse...

eu já avisei, em tempos de internet e redes sociais deputados que ousarem votar contra o impeachment, nunca mais se aprumarão, se insistirem na vida política !

Anônimo disse...

Sugiro expandir o muro da vergonha com os "artistas" e pseudo intelectuais que são contra o impeachment, e se possível alguns ministro do STF que são explicitamente petistas. Não há como eles porque muitos foram advogados petistas e por sua decisões por "interpretarem a lei" ao invés de observarem a a lei.