sexta-feira, 29 de abril de 2016

Os bandoleiros primitivos do lulopetismo

Stédile, do MST: bolsista do Orçamento da União.
Texto de Reinaldo Azevedo, publicado hoje na Folha:


O PT merece ser banido da política não só em razão dos seus crimes, mas também de sua determinação de não reconhecer a ordem que o instituiu. Há algum tempo, escrevi nesta coluna que é a democracia que legitima o PT; não é o PT que legitima a democracia, como parecem crer os companheiros. Seus protagonistas são uns farsantes; seus intelectuais, uns trapaceiros da teoria. E é fácil demonstrar.

Observem como os petistas e seus ditos pensadores fazem questão de ignorar os crimes cometidos pelo partido –inclusive o de responsabilidade, que traz as digitais de Dilma Rousseff– para tratar, em vez disso, de uma suposta luta que estaria sendo travada entre "conservadores e progressistas", "entre direitistas e esquerdistas"; "entre coxinhas e mortadelas".

De súbito, as forças, então, que perderam quatro eleições seguidas para o PT –fartamente financiado, por dentro e por fora, pela melhor e pela pior elite econômica– teriam adquirido uma inteligência superior, que oscila do maquiavélico ao macabro, e passa todas as horas do dia a conspirar para desfechar o tal "golpe".

Com que propósito? Bem, segundo, inclusive, alguns colunistas desta Folha, o objetivo seria marginalizar os pobres, os oprimidos, os deserdados. Por alguma razão que ainda não conseguiram explicar –e estou doido para debater com um deles na TV Folha–, os marginalizados seriam representados pelo partido que protagonizou o mensalão, o "aloprados 1 e 2" e o petrolão.

Queria revisitar com eles as correntes do marxismo para saber em que momento o crime comum, a safadeza e a roubalheira são capítulos da luta de classes, a defunta senhora. Stalin era um assassino em massa; ladrão não era. Quem chegou mais perto de teorizar a respeito foi Eric Hobsbawm em "Rebeldes Primitivos" – que, por óbvio, não eram financiados por empreiteiras nem se acoitavam nas dobras do Estado– esses são os bandoleiros primitivos de agora.

Leio o que escrevem um tanto constrangido. Como é que não se envergonham? Faça você mesmo, leitor: digite na área de busca do Google, sem aspas e sem vírgulas, as palavras "artistas, intelectuais, divulgam, manifesto, pró-Dilma". Os motivos para defender o voto na petista em 2014 são rigorosamente os mesmos esgrimidos agora contra o impeachment. É sempre Chapeuzinho Vermelho contra o Lobo Mau. O PT já havia recorrido a esse expediente em 2010 e 2006.

Tanto nos confrontos eleitorais como na batalha do impeachment, a vitória do adversário significaria não um contratempo, mas um retrocesso, uma derrota das forças do progresso e do desenvolvimento social, uma marcha involutiva da história. Os que hoje deslegitimam a posse constitucional de Michel Temer não hesitaram em deslegitimar as próprias urnas. Não é que tenham aceitado o resultado; eles aceitaram a vitória.

João Pedro Stédile e Guilherme Boulos, só para encerrar o texto com caricaturas emblemáticas, prometiam não deixar Aécio Neves em paz caso o tucano vencesse a eleição de 2014. Agora, prometem infernizar a vida de Temer.

Os petistas não aceitam mesmo é a democracia e o Estado de Direito, que, por sua vez, continuarão a abrigar o PT porque é de sua natureza –até o limite, claro!, em que o partido não busque solapá-los. E se isso acontecer? Ora, recorreremos aos instrumentos que o regime oferece para combater a subversão da ordem democrática.

O PT vai ter de aprender a respeitar a lei, que também tem marra.

3 comentários:

Anônimo disse...

Se a inteligência da polícia ou do exército são incapazes (ou desinteressadas) de monitorar essas células terroristas e atuar preventivamente evitando que 10 vagabundos fechem rodovias com pneus queimados, passou da hora de cidadãos e patriotas formarem milícias e tomar o controle das estradas e ruas do país. O exemplo a ser seguido são os Miniutemen das colônias americanas na luta pela independência dos Estados Unidos. Se eles conseguiam fazer isto de forma eficaz e organizada em 1770 nós também conseguimos. Quando você é traído pelo seu governo e pelos agentes que deveriam zelar pela ordem e só lhe enxergam como burro de carga e pagador de impostos é hora do patriota se levantar e tomar o seu país de volta. Esta é a história do ocidente.

Anônimo disse...

"entre coxinhas e mortadelas"
QUEM GOSTA DE SALAME, ONDE FICA?

César de Castro Silva disse...

É isso aí, chegou a hora de quem banca tudo isso, os pagadores de impostos extorsivos, exigirem uma solução urgente para por um fim nessa baderna, seja através das forças armadas, seja na porrada, mas isso não pode continuar, meia dúzia de farsantes aterrorizando o país através de suas massas de manobra. Esse bandidão da foto deve ser o primeiro a ser algemado e levar uma boa disciplina.