quinta-feira, 26 de maio de 2016

Alô, imprensa "progreçista": Trump já tem a maioria dos delegados para vencer as primárias.

Para horror da imprensa brasileira, principalmente dos locutores das TVs, o magnata Donald Trump já ultrapassou a margem para conseguir a nomeação direta na convenção do Partido Republicano em julho. Como sempre, os candidatos republicanos são considerados pouco mais que trogloditas por aqui, onde os "progreçistas" - das artes aos partidos e aos jornalistas - costumam alardear a doutrina politicamente correta do Partido Democrata e dos Clinton. Sim, são esquerdistas também. 


Agora já é certo. Donald Trump conseguiu juntar 1 238 delegados nas primárias do Partido Republicano, mais um do que a margem mínima de 1.237 para conseguir a maioria para conseguir a nomeação direta na convenção de julho.

A certeza é dada pela Associated Press, que desde o início das eleições primárias conta ao pormenor todos os delegados que cada candidato conseguiu juntar.

Donald Trump conseguiu atingir esta marca depois de a líder Partido Republicano no estado do Oklahoma, Pam Pollard, ter declarado o seu apoio ao magnata nova-iorquino. “Penso que ele tocou uma parte do eleitorado que não gostar da maneira como o nosso país está”, disse, acrescentando que não tem “problemas nenhuns em apoiar Trump”.

Agora, as próximas (e também últimas) votações que se seguem no Partido Republicano passam a ser, mais do que nunca, uma mera formalidade. Estão marcadas para 7 de junho e estão em causa 303 delegados.

A menos de dois meses da convenção do partido, esta é a confirmação derradeira de que Donald Trump disputará as eleições de 8 de novembro pelos republicanos. Ainda assim, esse cenário já tinha sido dado como praticamente certo, depois de os seus últimos adversários, John Kasich e Ted Cruz, terem desistido da corrida no início de maio. Nessa altura, o presidente do Conselho Nacional Republicano, o órgão mais alto do partido, Reince Priebus, referiu-se a Donald Trump como o “presumível candidato” dos conservadores. (Observador).

6 comentários:

Unknown disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Donald Trump fez muita coisa nesta campanha: Quebrou a espinha da elite do partido Republicano que queria impor Jeb Bush e depois Ted Cruz. Mostrou que as pessoas estão cheias dos chavões e frases prontas da esquerda, da camisa de força do politicamente correto e desta falsa cultura imposta pelos meios de comunicação de massa. Espero que ele vença as eleições.

Anônimo disse...

O poder de influência da imprensa está diminuindo. Tanto lá como cá. Não é mais considerado chique votar em candidatos progressistas e ambientalistas. Afinal provaram ser todos corruptos. As eleições municipais de Outubro se aproximam. Vamos ver como se saem os partidos de esquerda.

Anônimo disse...

Orlando,

O povo americano ainda que de forma lenta está atento e reagindo às manobras do comunismo disfarçado que tenta quebrar as pernas da nação mais forte do planeta. No Brasil, não é diferente, ainda que meio anestesiado o povo começa a entender o que se passa. Em tempo, Donald Trump se lançou candidato à presidência desse grande país, com certeza será o próximo presidente dos Estado Unidos da América. GOD BLESS AMERICA.

Índio Tonto/SP

Milton Valdameri disse...

Donald Trump entrará para a história da política dos EUA, como o candidato republicano que convenceu a família Bush a votar nos democratas.

Anônimo disse...

"Donald Trump entrará para a história da política dos EUA, como o candidato republicano que convenceu a família Bush a votar nos democratas." Isto nem é tão histórico Milton, os Bushs como os Clinstons são totalmentes servis aos projetos globalistas e não há nenhuma divergência de agenda entre as duas dinastias. Basta comparar as presidências de Bush Senior, Bill Clinton e George W Bush e veja se há de fato alguma diferença entre as políticas adotas pelos 3 ex-presidentes.