segunda-feira, 13 de junho de 2016

Obama, padrinho do Estado Islâmico, tenta isentar os terroristas muçulmanos.

O caneludo Obama, que, com sua ação de retirada das tropas no exterior, engendrou o Estado Islâmico, diz que não há evidências de que o criminoso que cometeu assassinato em massa em Orlando seja orientado por extremistas islâmicos, embora o próprio Isis tenha reivindicado ligação com o atirador. Ainda que o assassino não tenha cumprido ordens, o fato é que é islâmico e sempre nutriu simpatia pelos fundamentalistas. Errou de novo, Obama, caneludo politicamente correto:


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta segunda-feira, 13, que não existem provas claras para afirmar que o massacre ocorrido ontem em Orlando foi "dirigido" por extremistas nem que fazia parte de um plano terrorista de maior escala.

O presidente americano deu as declarações depois de se reunir com sua equipe de segurança nacional na Casa Branca para conhecer os últimos avanços da investigação do massacre, no qual morreram 49 pessoas.

Obama declarou que as investigações ainda não determinaram quais foram as motivações do suposto autor do massacre, mas disse que, segundo os dados coletados, se trata de um caso de "terrorismo doméstico".

"O atirador estava inspirado por informação muito extremista pela internet", comentou o presidente americano, que comparou a situação com o ocorrido em San Bernardino (Califórnia) no fim do ano passado, quando um casal também influenciado por essa ideologia matou 14 pessoas e feriu outras 22.

O autor do massacre, Omar Seddique Mateen, nascido em Nova York há 29 anos e morto ontem por disparos da polícia, jurou lealdade ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI) em suas conversas por telefone com os negociadores policiais durante as três horas que permaneceu dentro da boate com cerca de 30 reféns, segundo informaram hoje as autoridades.

"Embora lutemos contra o Estado Islâmico (EI) e outras organizações extremistas no exterior, e interrompamos complôs (terroristas), um dos maiores desafios que vamos ter é essa propaganda que chega a indivíduos que acabam motivados para entrar em ação", considerou. (Estadão).

4 comentários:

Paolo Hemmerich disse...

Vou ajudar Obama, o xiita: "O rapaz era gay, severamente reprimido pela família e pela sua religião!! Pegou ódio mortal aos seus iguais, aos gays!!!" Pronto, Obama, pode usar!!!!

Milton Valdameri disse...

O tiroteio na boate gay tem relação com o ISIS, pois o atirador e islâmico. Os tiroteios que ocorreram em escolas americanas, cujos atiradores eram cristãos tem relação com quem?

Alexandre Sampaio disse...

Barack Hussein Obama diz que não há evidências de que o maldito que perpetrou o massacre de 50 seres humanos em Orlando, tinha ligação com o ISIS. Vai ver que o fato do terrorista islâmico não ter gritado "Allahu Akbar", antes de destroçar as pessoas a bala, o exonera de ligações com associações terroristas. Espero que Trump vença a eleição para presidência. Mais um mandato democrata será o fim dos Estados Unidos.

Orlando Tambosi disse...

Ô, Valdameri, psicopatas solitários há em todos os lugares. Mas o fato é este: não existem grupos de outras religiões organizados para o terror. Isto é islâmico.
Recomendo a leitura dos livros (todos) do historiador Bernard Lewis, o maior especialista vivo sobre assuntos do Oriente Médio e do islamismo, que é uma religião de guerra.