segunda-feira, 25 de julho de 2016

Irmão de Obama votará em Trump

Só a tal de "mídia" brasileira ainda apoia a candidata obamista, Hillary Clinton, continuidade da nefasta doutrina politicamente correta que legou ao mundo, ao fim do governo Obama, o terrorismo islâmico. Adeus, Lula; adeus, Obama; adeus Dilma. Segue matéria do jornal português Observador (ah, claro que isto não sairia na FSP ou no UOL):


O meio-irmão do presidente dos EUA, Malik Obama, anunciou que vai votar em Donald Trump nas eleições de novembro.

Malik, de 58 anos, que vive no Quénia — mas vota no estado americano do Maryland –, disse ao New York Post que gosta de Donald Trump “porque ele fala do coração”, e acrescentou que gostaria de o conhecer.



Ao jornal nova-iorquino, o meio-irmão de Barack Obama confessou o seu “profundo desapontamento” com o trabalho do atual presidente americano e apontou a morte de Kadafi, que considerava um dos seus melhores amigos, como um dos principais motivos. “Penso que livrarem-se de Kadafi não tornou as coisas melhores na Líbia. O meu irmão e o secretário de Estado desapontaram-me nesse assunto”, explicou Malik.

A grande divisão entre os dois Obamas está, contudo, no apoio do Partido Democrata ao casamento homossexual. O New York Post escreve que Malik Obama acredita na instituição casamento — tanto que até tem, pelo menos, três esposas, atualmente. “Sinto-me um republicano, porque eles não apoiam o casamento entre pessoas do mesmo sexo”, afirma Malik.

Por isso, Malik Obama irá em novembro aos EUA para votar em Trump. O meio-irmão de Barack Obama viveu durante muitos anos no estado do Maryland, onde está registado como eleitor.

Trump reagiu a este anúncio no Twitter. “Provavelmente foi mal tratado pelo presidente — como toda a gente!”, escreveu o candidato republicano na rede social.

Nenhum comentário: