quinta-feira, 7 de julho de 2016

Outra caixa-preta do lulopetismo: juiz quebra sigilo do empréstimo do BNDES à ditadura castrista.

O governo petista literalmente bancou a ampliação do porto de Mariel, em Cuba, através de empréstimos do BNDES. A escandalosa operação, que desvia recursos que deveriam ser aplicados na infraestrutura brasileira, estaria sob sigilo até 2027. Outro escândalo do governo Dilma:


O juiz Marcelo Rebello Pinheiro, da 16ª Vara Federal do Distrito Federal, proferiu sentença favorável a exibição dos documentos referentes ao empréstimo do BNDES ao Porto de Mariel, em Cuba.

O empréstimo do BNDES ao porto cubano é de US$ 682 mi. O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior havia classificado o contrato como secreto, sob a justificativa de que nele constam informações sigilosas. Pelo decreto, o contrato só se faria conhecido em 2027.

O pedido de quebra de sigilo é do advogado Adolfo Saschida, que “pretende a exibição de processo administrativo […] objetivando subsidiar futura e eventual ação popular”.

O juiz disse que a existência de indícios de “irregularidades” nas operações de financiamento para reconstrução do Porto de Mariel “sobrepõe-se ao dever de sigilo sobre os contratos”. (Do Radar on-line).

Nenhum comentário: