terça-feira, 23 de agosto de 2016

Operação Drácon busca deputados do DF por conduta criminosa

Notícia do Estadão fala sobre a tigrada e seus crimes:


O Ministério Público do Distrito Federal, com apoio de seu órgão de investigação, o Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e da Polícia Civil do Distrito Federal, cumpriram na manhã desta terça-feira, 23, em cumprimento à decisão do desembargador Humberto Adjuto Ulhoa, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, 14 mandados de busca e apreensão e oito mandados de condução coercitiva.

Os mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva têm como alvos os deputados Celina Leão (PPS), Bispo Renato (PR), Júlio Cesar (PRB), Raimundo Ribeiro (PPS) e Cristiano Araújo (PSD), além do ex-servidor da CLDF Valério Neves, do servidor Alexandre Braga e do ex-presidente do fundo de saúde do DF Ricardo Cardoso. Eles foram cumpridos nos gabinetes dos deputados e da presidência da CLDF e nas residências.

A Operação Drácon investiga a ocorrência de supostas condutas criminosas consistentes na exigência, por parte de autoridades com foro por prerrogativa de função, de valores financeiros indevidos a empresas como contrapartida para a destinação de sobras orçamentárias para o pagamento de passivos em atraso por parte do Governo Distrito Federal, relativos ao gerenciamento de Unidades de Terapia Intensiva.

A decisão judicial ainda determinou o afastamento cautelar dos investigados dos cargos de Presidente e membro da Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal, até o fim das investigações. O Ministério Público ressalta que os investigados são presumidamente inocentes até prova em contrário.

Um comentário:

Anônimo disse...

Artur Nogueira diz:
A política brasileira, ou melhor, os políticos e agentes públicos não conseguem se desvincular das páginas policiais.
Sempre desviaram dinheiro do Estado, mas de um tempo para cá, é muito bandido atuando nas três esferas governamentais.Com e sem colarinho branco.
Enquanto MP denuncia e PF prende, nossa eficiente Justiça não faz a parte que lhe cabe.
Mais, esse nosso patrimonialismo carcomido traz à tona nossa vocação para o atraso, para a miséria moral.Dessa maneira, não há a mínima chance desse país,Brasil varonil e seu povo deitados eternamente em berço esplendido-, dar certo.