terça-feira, 6 de setembro de 2016

A tentação totalitária do PT

Com o impeachment de Dilma, ponto culminante de desastrosos 14 anos de poder, o PT volta a exibir a face que sempre foi sua: a de inimigo da democracia liberal. Faz bem o Estadão ao chamar, em editorial, para a tentação totalitária do lulopetismo. O "golpe", de que falam os petistas, é o que eles procuram incutir na população, procurando uma saída que adense a horda liberticida que já se manifesta nas ruas:


A crise que culminou com o impeachment da presidente Dilma Rousseff parece ter estimulado o PT a adotar estratégias típicas de movimentos totalitários. Numa delas, a realidade percebida pelos sentidos é rejeitada in limine, pois é considerada como uma mentira construída pelos inimigos do povo para realizar seu perverso projeto de dominação. Em seu lugar, o PT oferece a “verdadeira” realidade, aquela que se constitui do que não é perceptível, do que está escondido, do que não se dá a conhecer senão por meio da revelação dos que passaram pelo adequado treinamento ideológico. A ideologia petista dá a seus simpatizantes o conforto de substituir o mundo real, com suas contradições e seus acidentes, por um mundo em que tudo faz “sentido”, graças ao discurso que lhe empresta coerência, mesmo que nada disso tenha a mais remota conexão com a realidade.

É com esse viés que os petistas, derrotados pela Constituição e pela democracia, querem fazer acreditar que o País viveu um “golpe”, com a destituição da presidente Dilma Rousseff, e que agora está em curso um processo que culminará em breve num “estado de exceção”, semelhante ao da ditadura militar.

De acordo com essa estratégia, é preciso apostar na confusão moral. A manutenção da ordem, dever da polícia, é tratada como repressão arbitrária – e qualquer ato da polícia nesse terreno, mesmo que no estrito cumprimento do seu dever, é logo apropriado e divulgado de forma estridente pela máquina de propaganda partidária com o objetivo de construir a realidade que lhe interessa.

Assim, uma manifestante que teve ferimentos num olho em razão de estilhaços de uma bomba de gás lacrimogêneo atirada pela polícia, no último dia 31 de agosto, foi imediatamente convertida em mártir petista. Sua vida deixou de lhe pertencer. Ela passou a servir como ilustração do “golpe de Estado dado no País”, como afirmou Dilma em seu perfil no Twitter. A moça foi “vítima da violência policial que tenta reprimir manifestações democráticas”, disse Dilma, sem se ater ao fato de que a bomba que feriu a jovem foi atirada para dispersar vândalos e baderneiros, que não estavam fazendo nenhuma “manifestação democrática” e tinham de ser contidos, como manda a lei.

Mas Dilma não tem nenhum interesse no mundo real. Seguindo a delirante cartilha de seu partido, ela colhe acontecimentos aqui e ali conforme estes se encaixem na tese lulopetista de que está em andamento uma grande conspiração para estabelecer uma ditadura no Brasil, como a de 1964. “As pessoas vão para as ruas e vem a repressão. Cegam uma menina. Depois, matam alguém, como foi com o estudante Edson Luís”, disse Dilma em entrevista a jornalistas estrangeiros, fazendo absurdo paralelo do caso atual com o do assassinato de Edson Luís em março de 1968 pelas forças do regime militar. Mas ela foi adiante: “O terrorismo de Estado é gravíssimo. O poder dele para reprimir é muito forte. Assim começam as ditaduras”.

É com essa lógica rasteira que os petistas pretendem convencer os brasileiros de que estamos às portas de um regime de exceção. O objetivo é criar uma atmosfera favorável à defesa de soluções que, a título de preservar a democracia, representariam na verdade uma ruptura, ou seja, um golpe, cujo objetivo é restituir o poder aos que, em respeito à Constituição, dele foram apeados. É o caso da proposta de antecipação das eleições presidenciais, que o PT agora encampou sob o título “Diretas Já” – alusão malandra ao nome do movimento que há mais de 30 anos ajudou a enterrar a ditadura militar.

A resolução do PT que anunciou a tal “Diretas Já” nem se dá ao trabalho de dizer como essas eleições seriam realizadas, já que contrariam a Constituição. Mas o pensamento petista prescinde da razão – esta, aliás, é sua inimiga mortal e deve ser combatida com todas as forças e por todos os meios. Assim, sempre que alguém renuncia à capacidade de pensar e abraça a lógica oferecida pela doutrina petista, o exército de liberticidas se adensa, e o cerco pernicioso à democracia se fecha um pouco mais.

6 comentários:

Irmão do Eremildo disse...

....O clamor das ruas e redes sociais é claro: A polícia tem o apoio da população e o discurso do PT fede e não repercute mais, pelo contrário cada vez afasta mais as pessoas.

Alexandre Sampaio disse...

São Paulo, 6 de setembro de 2.016

Tentação Totalitária?!? Creio que o diagnóstico esteja errado. Essa malta é TOTALITÁRIA! Sempre foi! São COMUNISTAS, DEUS DO CÉU! Somente imbecis defende a tese estúpida do fim do comunismo com a queda do muro de Berlin e a dissolução da U.R.S.S. Vamos acordar brasileiros!

Gabriel de O. Pereira disse...

Depois de ver bandeiras da extinta União Soviética nas manifestações ao lado de anarquistas "anfifa" (Antifascistas), nada me surpreende no povo estudantil. Veneram uma bandeira falida da ditadura que persiste nos países da ex-União Soviética, ao mesmo tempo, pedem mais estado com os "Azões" do Anarquismo ao lado. Sinceramente, professor, estes jovens levarão o país ao fundo do poço. Ignorantes políticos, levados como massa por ideologias baratas adolescentes. Estamos infestados de idiotas ao nosso lado! E os jornalistas? Bem, aí já é um caso de patologia. Não podem ser tão estúpidos por querer serem. Isto é doença! Das brabas.

Pergunto: onde estão os empreendedores, aqueles que produzem dinheiro para os municípios e para o Estado? Estes, continuam trabalhando para sustentar meia-dúzia de estudantes riquinhos em bolsas no "estrangeiro", levando a cambada a acreditar que isto é o certo.

Anônimo disse...

Artur Nogueira diz:
Vide excelente artigo no blog Rocinante: "Fascismo leninismo petralha em ação". dó prof. Vélez Rodriguez.

Orlando Tambosi disse...

Salve, Gabo,

você é testemunha de que pensar logicamente, em certos âmbitos universitários, é coisa de "reacionário", "direitista" etc.

Artur,

já vou ler o texto do amigo.

Silas Velozo disse...

Incrível como iludidos da esquerdona burra continuam com suas viseiras, ignorando a realidade. Já fui de esquerda nos anos 1970 e 1980, filiado e contribuinte do PT, mas desde início dos anos 1990, com o PT ojerizando até o Plano Real, fui me desplugando dessa ideologia falida. Assim como eu, milhares Brasil afora fizeram/fazem o mesmo. Quem continua na velha toada socialista-comunista, com todas as aberrações perpetradas nesses 13 anos d poder pelo PT, PC do B e aliados, não é mais inocente como tantos da minha geração, são ditadorezinhos cacarejando contra a democracia e o capitalismo, que ironicamente nutrem suas vidas e lhes dão condições de exercer sua esquerdizofrenia.