terça-feira, 11 de outubro de 2016

Os inimigos da PEC e os amigos da gastança

Dilma andou dizendo que "gasto público é vida", mas o fato é que os inimigos da PEC 241 não passam de amigos da gastança desenfreada. Ainda bem que a tirana búlgara já se foi, não é, Percival Puggina?:


Outra semana decisiva no Congresso Nacional. Há vinte anos abandonei as disputas eleitorais, convencido de que serviria melhor meu país escrevendo e falando do que buscando eleitores. Mesmo assim, esporadicamente, sou acometido de um desejo descabido de estar em Brasília para certas deliberações como o impeachment de Dilma Rousseff ou, agora, a PEC 241. Felizmente é uma vontade que dá e passa, semelhante àquele impulso de acender um cigarro que acomete ex-fumantes como eu em momentos de estresse.

A confissão destes pecadilhos por pensamento vêm à conta da Proposta de Emenda à Constituição mencionada acima e que estabelece teto para os gastos públicos, limitando-os ao reajuste da inflação, por um prazo de 20 anos que poderá ser revisto após 10 anos. Se mesmo com leis de responsabilidade fiscal o gasto público cresce desmedidamente acima da inflação e da arrecadação, somente uma providência rígida e incontornável poderá lhe impor freio. São compreensíveis as reações em contrário. Num país onde 30 dias é longo prazo, falar em 20 anos de ajuste soa como maldição ou sortilégio, principalmente entre aqueles que se acostumaram a gastar jogando a conta para as incertezas do futuro.

Acontece que o futuro, ele mesmo, pode ser de risonhas expectativas ou de fatalidades. Pode estar em alguma dobra remota do tempo ou na batida do relógio, como acontece agora com o Brasil, após 13 anos de petismo no poder. O futuro deixou de ser um prego onde, simbolicamente, estavam penduradas nossas promissórias e veio atropelar-nos, também simbolicamente, como um trem andando em nossa direção. Três anos de tombo no PIB e 12 milhões de desempregados depois, a economia brasileira é um hospital de campanha armado à beira do trilho onde estacionamos.

Pois eis que lá do vale das sombras onde se encontram - logo quem, santo Deus! - o PT e o PCdoB entraram no STF com mandado de segurança contra a PEC 241. Não contentes com o estrago feito, querem que persista. Sobre esse instrumento se debruçarão as sensíveis e corporativas almas dos senhores ministros. Lá da Procuradoria Geral da República, parte uma nota técnica, endereçada ao Congresso Nacional, sustentando a inconstitucionalidade da PEC por "afronta à autonomia dos poderes de Estado".

Não me convencem os estertores ideológicos da dupla que botou o Brasil no vermelho. Por outro lado, nesta pauta, não creio nas motivações constitucionalistas do Ministério Público da União (MPU). Tenho bem presente que sua prodigalidade e patrimonialismo chegou ao cúmulo de requerer o direito de voar em classe executiva, mandando a conta das mordomias correspondentes para a turma da cabine de trás e para a turma da fila do ônibus!

Quando o Congresso estabelece a Lei de Diretrizes Orçamentárias, ele define, na forma da Constituição, os limites de gastos dos poderes e do MPU. Como bem argumenta o governo, se o Legislativo pode limitar por lei as despesas da União com seus poderes e instituições, maior legitimidade terá mediante dispositivo constitucional, como estabelece a PEC 241.

Ela não "congela" coisa alguma. Apenas proíbe corrigir os gastos acima da inflação. Ponto. Uma vez adotada, cria-se estabilidade fiscal para atrair investimentos e a economia crescer. Com a economia, crescem os empregos, a renda das pessoas e a possibilidade de pagar a conta pendurada no prego. No meio do percurso dará, até mesmo, para desarmar o hospital de campanha.

2 comentários:

Anônimo disse...

Esses esquerdopatas pesam que dinheiro dá em árvores,pois não são chegados a trabalho,mas adoram gastar e distribuir à revelia o dinheiro de quem trabalha duro pra sustentar as parasitas vermelhas.Será muito saudável que essa ratazanas nunca mais voltem ao poder.

Túlio Xavier

O MESMO de SEMPRE disse...

Tambosi,

o Estado como CLASSE DOMINANTE assim permanecerá eternamente. Por que?

- são altamente focados e de comando CENTRALIZADO: desviam para o fato Cunha e TODOS REPETEM em UNÍSSONO criando um "LUGAR COMUM" que se MANTÉM EM FOCO.
Se o assunto é "GOLPE" todos repetem para introjetar nas mentes criando a justificativa do "lugar comum" que afasta qualquer constrangimento da consciência. e etc.. Já os que defendem a Liberdade são DISPERSOS e NÃO FOCAM em slogans e nem mesmo em INFORMAÇÕES uteis à causa. Liberais NÃO REPRODUZEM IDEIAS FORTES para a causa, são tropa dispersa, anti corporativae sem estratégia.


- o Estado é um GRUPAMENTO CORPORATIVO ORGANIZADO e com uma IDEOLOGIA a arbitrar valores (moral) para os sectários. Essa característica atende ao psicológico de quem almeja APOIO COMUNITÁRIO, ou apoio externo para substituir a própria consciuência.

- O Estado é como um CORPO onde uma cabeça coordena as ações. Assim é um exército, onde as tropas não possuem comando autônomo. Se cada SOLDADO FIZESSE o que ACHASSE que DEVERIA FAZER, a descoordenação da força deixaria a tropa vulnerável.

O SOCIALISMO É EXCLUSIVAMENTE UMA IDEOLOGIA (promessa de um FIM REDENTOR) voltada para JUSTIFICAR O PODER TOTALITÁRIO do ESTADO SOBRE A SOCIEDADE CIVIL. Visa unicamente REIVINDICAR o PODER ABSOLUTO para a HIERARQUIA ESTATAL EXPLORAR e SUBMETER a sociedade civil aos caprichos dos NEO SENHORES:
Socialismo é ESCRAVIDÃO ao Estado HIERARQUIZADO.

Os imbecis jamais acusaram o Socialismo de almejar apenas o PODER para uma hierarquia. Assim disseminado o INTERESSE dos SOCIALISTAS.
Já os socialistas SEMPRE ASSOCIARAM LIBERDADE ao INTERESSE dos RICOS, EMPRESÁRIO ou burguesia.
Ou seja, o socialismo é exibido como uma construção MORAL de pessoas desinteressadas e voltadas para o "bem comum". Enquanto que a luta por LIBERDADE é apresentada pelos canalhas socialistas como motivada por interesses escusos de pessoas malvadas, ganânciosas e inimigas dos bonzinhos.

Essa incapacidade para expor o que de fato é o socialismo e o que MOTIVA sua DEFESA como SISTEMA é que este, como estratégia política, SINCRETIZOU o CRISTIANISMO que foi inventado n OCASO do IMPÉRIO ROMANO para, EMULANDO SUN TZU, semear a DISCÓRDIA dentre a população e aliciar e para ideologia os interesseiros através da corrupção material e moral:

- pobre x rico; pobre é bom e rico honesto é mau, ganancioso e egoísta.
- o "BOM LADRÃO" é criação cristã. Até bandido é moralizado e vai ocupar lugar de destaque no Paraíso.
- não reagir nunca e oferecer a outra face ao agressor foi tornado valor moral cristão, CONVENIENTE aos TIRANOS e JAGUNÇOS do império.
- "se roubarem o que é teu, NÃO o RECLAMES", "dá a todos que te pedirem", "se te pedirem a capa dá tb a túnica".
- "O ESCRAVO DEVE AMAR O SEU SENHOR, PRINCIPALMENTE O MAU. POIS QUE NÃO HÁ MÉRITO EM AMAR OS BONS".

- o cristianismo instaurou o COLETIVISMO COMO MORAL e o Socialismo Sincretizou:

- o EGOISMO, como amor a si mesmo, foi elevado à categoria de defeito moral. Pois segundo a ideologia o indivíduo deve desprezar-se em benefício alheio: o altruísmo é o maior valor moral do cristianismo.

QUANDO:

A HONESTIDADE foi desprezada como valor para dar à BONDADE o máximo valor moral, o mundo começou a apodrecer.
A VAIDADE, como bem esta escrito no ECLESIASTE, é a MOLA MESTRA da PSIQUÊ.
As IDEOLOGIAS são elaboradas para MANIPULAR os individuos valendo-se de sua VAIDADE: oferece-lhe valores morais FÁCEIS de EMULAR e AO CUSTO ALHEIO.