quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Pobres adolescentes, reféns da estupidez esquerdista.

Derrotados nas eleições, os esquerdistas (leia-se: lulopetismo corrupto) fazem dos adolescentes que ocupam escolas bucha de canhão. Qualquer pessoa que frequentou escola sabe que os diretórios são patrimônio do PCdoB e aliados há décadas. Que os pais tomem cuidado: seus filhos podem ser reféns da estupidez ideológica de partidos antidemocráticos e professores doutrinadores. A propósito, segue artigo de Rodrigo Constantino publicado na Gazeta do Povo, de Curitiba:


O ser humano nasce “prematuro”, ao contrário dos animais, que já nascem prontos para repetir por instinto aquilo que sua espécie vem fazendo há séculos. É o mais complexo dos animais, com sua incrível ferramenta que é a razão, mas totalmente despreparado ao nascimento. Cheio de potencialidades, mas que precisam ser fomentadas.

Eis o grande papel da educação: formar o homem. Extrair de dentro dele tudo aquilo que ele pode ser, ajudá-lo a alcançar sua plenitude num voo solo, independente, nutrido pelo estoque de conhecimento acumulado por nossa espécie ao longo dos séculos. Nem anjo nem besta, mas com possibilidade de aperfeiçoamento.

Civilizar é justamente domesticar o animal homem, transmitir-lhe os valores incrustados nas tradições, que sobreviveram ao longo dos tempos. É criar freios aos seus apetites, para que suas ações possam ser refletidas, conscientes, e não apenas uma válvula de escape aos seus instintos mais selvagens.

Mas, por vários motivos, a vaidade talvez sendo o maior deles, muitos adultos se recusam a educar os mais jovens. Querem ser como eles, trocar de papel, numa esperança vã de não envelhecer. Querem idealizar o jovem como poço de sabedoria, ou usá-lo como massa de manobra para seus próprios anseios. Querem sonhar com a visão romântica do “bom selvagem”.

Rousseau foi o pensador que mais alimentou essa ilusão. Ao mesmo tempo em que abandonou todos os seus filhos, pretendeu ensinar ao mundo como educar as crianças. O “filósofo da vaidade”, como o chamava Burke, transferiu para o Estado a responsabilidade dos pais. E via os jovens como argila a ser moldada aos seus próprios desejos. Foi, em muitos aspectos, o pai do totalitarismo moderno.

Uma visão mais realista dos jovens pode ser encontrada em O Senhor das Moscas, de William Golding. Deixadas à própria sorte, eles não se tornam anjinhos, mas perigosos animais. E, pior ainda, quando são manipulados por oportunistas, podem se transformar num exército fascista. É o que mostra o filme alemão A Onda. Se o professor deixa de ser professor para se tornar guru de seita, ele pode facilmente seduzir os jovens e criar um ambiente coletivista onde as individualidades se anulam, dando lugar a uma massa monolítica e violenta.

Vale citar a descrição que Gustave Le Bon fez do fenômeno: “Uma massa é como um selvagem; não está preparada para admitir que algo possa ficar entre seu desejo e a realização deste desejo. Ela forma um único ser e fica sujeita à lei de unidade mental das massas. No caso de tudo pertencer ao campo dos sentimentos, o mais eminente dos homens dificilmente supera o padrão dos indivíduos mais ordinários. Eles não podem nunca realizar atos que demandem elevado grau de inteligência. Em massas, é a estupidez, não a inteligência, que é acumulada. O sentimento de responsabilidade que sempre controla os indivíduos desaparece completamente. Todo sentimento e ato são contagiosos. O homem desce diversos degraus na escada da civilização. Isoladamente, ele pode ser um indivíduo; na massa, ele é um bárbaro, isto é, uma criatura agindo por instinto”.

Os partidos de esquerda que defendem as “ocupações” nas escolas, que querem substituir a educação pela doutrinação ideológica, enxergam os jovens como massa de manobra. Os militantes disfarçados de professores cometem um crime contra a juventude. E os pais que delegam a responsabilidade de educar são negligentes. Todos praticam um ato de covardia com os jovens.

Concluo com dom Lourenço de Almeida Prado: “Do velho se espera a reflexão e a medida, o discernimento mais perfeito entre o certo e o errado, a calma madura na ponderação da coisa a fazer, a sabedoria obtida na sucessão das surpresas e percalços de uma caminhada que já vai longe”.

5 comentários:

Anônimo disse...

fiz questão de assistir o vídeo da adolescente que fez "pronunciamento" na assembleia legislativa do paraná. ella declara que não é manipulada, mas vejamos algumas falas: "não somos vagabundos, venham ver nossa "ocupação" e não INVASÃO, o "venham ver", é NINGUÉM ENTRA, "NÓS FIZEMOS UMA ASSEMBLEIA" termos mais esquerdistas impossível. mas continua a moçoila, "o que lutamos tem LEGALIDADE E LEGITIMIDADE (termos do GRAMSCISMO e muito usados pelo comunismo tupinikin). " lutamos contra o ANALFABETISMO FUNCIONAL, logo a seguir lascou: "colocarmos ela....e largar ela, ignorando o português básico no uso da ênclise, que qualquer aluno secundarista deveria saber. Eu sabia ! "onde se viu uma escola sem partido ?" " a PEC 241 vai acabar com a previdência social" hã ? quem repete isso à exaustão, senão a esquerdalha ? quando ella resolveu criticar os deputados, todos saltaram e o presidente alertou: "fiz um acordo com vossa Exa, deputado, para ella falar". quem era o deputado ? qual o partido desse deputado. isso eu gostaria de saber !

Anônimo disse...

Estudante de verdade iria à aula de manhã e protestaria à tarde.

Anônimo disse...

"estudante" entrevistada nas INVASÕES DAS ESCOLAS, declarou que " estamos tendo aulas, normalmente..." na insistência, completou: "aulas de parkur....."

Anônimo disse...

tenho resposta melhor, para as INVASÔES DAS ESCOLAS: NÃO DEU CERTO A GRITARIA DO GOLPE; NÃO DEU CERTO A GRITARIA DO FORA TEMMER; VAMOS ENTÃO UTILIZAR OS IDIOTIZADOS E MANIPULADOS E MANDAMOS INVADIR AS ESCOLAS E PASSAMOS A GRITAR FORA PEC 241; FORA A PEC DO ENSINO MÉDIO. ENCONTRARAM UM LUGAR PARA INFECTAR O PAÍS COM O CÂNCER ASQUEROSO DA ESQUERDALHA. SIMPLES ASSIM !

Anônimo disse...

A maioria dos estudantes não poderiam se importar menos com a PEC 241, grade curricular ou mesmo ir a escola. A maioria destes animais que ocupam prédios são militantes da UJS (União da Juventude Socialista) e UCES/UNE, militantes das tais "juventudes" do PT, PCdoB, PSTU, PSOL e outras porcarias comunistas além do MST e muitos estudantes de Universidades Públicas coordenando e comandando estas invasões em escolas e passeatas de meia-tigela. A maioria dos estudantes das tais escolas ocupadas estão em casa curtindo o "feriado", jogando video-game ou fazendo qualquer outra coisa que jovens desta idade fazem enquanto os paus mandados fazem a arruaça toda.