segunda-feira, 17 de outubro de 2016

VEJA e o demônio ideológico

Depois de um editorial pífio e relativista, em que o autor (Petry?) afirma, em outras palavras, que ninguém escapa às ideologias (parece coisa do maluco Althusser), a revista Veja traz uma boa entrevista nas páginas amarelas. Antes de ressaltar um trecho, apenas observo que, se tudo é ideológico, não teríamos nem ciência nem filosofia. Viveríamos, de fato, sob o "demônio ideológico".

Segue um trecho da entrevista de Eric Cantor, que foi líder do Partido Republicano:

P- Haveria diferença significativa entre um governo de Trump e um de Hillary na política econômica?

R - Penso que sim. Trump tem muita experiência nos negócios. Seu foco natural será tentar aliviar regras que encarecem os negócios. Ele também vai buscar facilitar o ambiente para que negócios já existentes possam crescer, para que haja confiança e mais investimentos. Hillary não chega nem perto da discussão de melhorar a tributação para que as empresas fiquem mais competitivas. A esquerda se tornou hostil aos negócios. No geral, a economia vai se beneficiar mais com um republicano na Casa Branca.

Note-se que o Partido Democrata nada tem de liberal: é uma agremiação de esquerda. Qualquer semelhança entre o casal Clinton, Sócrates, Lula et caterva não é mera coincidência.

Um comentário:

Anônimo disse...

liberal para o americano, é o cara de esquerda...