quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Advogados do tiranete continuam afrontando a Justiça

Não tendo base jurídica para rebater as acusações que pesam contra o tiranete de São Bernardo, seus rábulas continuam tumultuando as audiências. É nisso que dá não ter enfiado o abominável na prisão:


Os advogados de Luiz Inácio Lula da Silva voltaram contestar o juiz Sérgio Moro na abertura da audiência desta quinta-feira, na qual foi ouvida como testemunha de acusação do ex-presidente o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró, um dos delatores da Lava-Jato. Moro havia consignado que o depoimento de Cerveró ficaria para esta quinta-feira porque a defesa havia levantado "inúmeros incidentes", atrasando a audiência marcada para a tarde de quarta-feira, dia 23, quando o ex-executivo da estatal seria ouvido.

Os advogados de Lula quiseram registrar na ata que a defesa não levantou "incidentes", mas questões pertinentes e jurídicas sobre a condução da própria audiência e a condição das testemunhas ouvidas.

Moro retrucou:

— Na opinião do juízo permanece como incidentes... atrasou a audiência.

— Estávamos aqui para ouvir a testemunha, vossa excelência é que aparentemente tinha compromisso — afirmou um dos advogados de Lula.

— A defesa tumultou a audiência, como tem tumultuado as outras audiências — respondeu Moro.

— O direito de defesa está sendo visto pelo senhor como tal — retrucou o advogado.

Outro advogado de Lula interveio para afirmar que Cerveró não deveria ser ouvido na condição de testemunha, pois assinou acordo de delação premiada e tem interesse em manter as vantagens obtidas por meio dele.

— Cerveró tem interesse e não tem isenção para depor na condição de testemunha, assinou acordo de delação. Está evidente, Dr. Moro, que o Ministério Público Federal traz as testemunhas que fizeram acordo de colaboração com o evidente objetivo de validar acordos nulos, porque prestados sob a coação da prisão. Prisão é coação e, para essas testemunhas, é tortura. Sem voluntariedade, não há validade. Ela (a testemunha) comparece sem liberdade de declaração, ela tem que reproduzir ipsis literis (nos mesmos termos) as declarações do acordo sob pena de não perder as vantagens. É suspeita de parcialidade e indigna de fé — afirmou.

Moro afirmou que a afirmação da defesa de Lula afronta a lei e que o acordo de Cerveró foi feito com a Procuradoria Geral da República e homologado pelo Supremo Tribunal Federal.

Um dos advogados quis interromper, mas Moro impediu:

— Estou falando, o senhor respeite. Não lhe dei a palavra novamente.

E continuou:

— Além de não ter procedência, as afirmações são ofensivas ao Supremo Tribunal Federal, que teve o zelo de verificar se o acordo se fazia com voluntariedade, com contato direto de juízes auxiliares com os colaboradores. É fora do contexto e não tem a menor procedência — afirmou.

Moro registrou o contradito da defesa, mas afirmou que não retirava a tomada de compromisso e iniciou o depoimento de Cerveró.

Nestor Cerveró deveria ter sido ouvido na tarde de quarta-feira, na sequência de outros depoentes. A audiência foi longa, atrasou e o depoimento dele foi remarcado para 11 horas desta quinta-feira.

Na segunda-feira, 21, Moro e os advogados de Lula já tinham discutido. Os defensores reclamaram de ter o trabalho cerceado pelo magistrado, que, por sua vez, os acusou de tentarem tumultuar o processo. Na terça-feira, a defesa apresentou a Moro reclamação por escrito sobre a audiência. Para os advogados de Lula, o juiz não obedeceu o artigo 212 do Código de Processo Penal ao permitir que o Ministério Público Federal fizesse perguntas às testemunhas que iam além do objeto da denúncia. (O Globo)).

5 comentários:

Anônimo disse...

Esses advogados acham que Moro é algum juiz provinciano (região agrícola!) e que podem tripudiar! Mal sabem eles que Moro é super preparado, inclusive para lidar com chicaneiros como esses rábulas do Lula!!!

Anônimo disse...

O TERROR DA LAVA JATO

Tucanaldo Azevedo, o "Terror da Lava Jato", ataca novamente. Num artiguete publicado na Folhona, ele ameaça, aos berros, não dar, aos que ele chama de “demiurgos da Lava Jato”, aquilo que ele chama de “dez meses de Terror Salvacionista”, numa óbvia alusão à revolução francesa. Metáforas de um trostkista, não-arrependido, vocês sabem.

Bem, Tucanaldo, acontece que eu e a torcida do Flamengo toda não lhe daremos nem mais um minuto de tolerância e credibilidade, pois você não passa, hoje, voluntária ou involuntariamente, de um esbirro daqueles que pretendem que o projeto criminoso de poder prevaleça no país. Se faz isso involuntariamente, é um patético idiota-útil; e, se é voluntariamente que o faz, é um asqueroso quinta-coluna a serviço, suponho, de interesses inconfessáveis, que precisariam ser desmascarados. Para o bem da Lava Jato, para o bem do Brasil.

FHC - o tucano-mór a quem você rende graças, e que é o fiador político-ideológico de sempre de Lula e do PT -, bem como a bandalha política toda que está fugindo da Lava Jato tal como o diabo foge da cruz, certamente aprovam todo o besteirol que você tem escrito sobre o tema. Aliás, até os blogs sujos, "247" à frente, têm aplaudido você. Coisas do projeto criminoso de poder, você sabe. Mas, no País Que Presta, você só desperta repulsa, ainda que se oculte, ardilosamente, sob o manto de impertérrito defensor do estado democrático de direito. Tal como fez no passado, quando, trotskista que era, marchou ao lado dos que queriam implantar uma ditadura comunista no Brasil, a pretexto de estar defendendo, também lá, a democracia. Você foi um terror, imagino. Na verdade, cara, você posa de isentão legalista, mas é - na minha opinião, por esse ardil que julgo vislumbrar -, mais perigoso do que os que agem abertamente contra a Lava Jato, pois seduz os incautos e arrebanha os idiotas-úteis, principalmente aqueles que ainda acreditam na isenção do PMDB e do PSDB ou, pior ainda, na inocência de Lula e do PT.

Se perguntar não ofende, sendo você um pretenso defensor da lei, por quê não escreve sempre no seu blog e na sua coluna na Folha, ou fala, nos seus programinhas de rádio e TV, sobre o momento em que a Constituição do país foi rasgada, ao vivo e a cores, por um conluio criminoso avalizado pelo presidente do Senado, pelo presidente do STF e pelo Congresso Nacional? A democracia, se existisse de fato, teria acabado ali. E sabe o que você fez na época, Tucanaldo? Miou que nem um gatinho. Por que, então, você rosna agora como um cão danado diante de supostos excessos cometidos por agentes públicos sérios e probos, que estão pondo cobro à impunidade no país? Supostos excessos que, por sinal, têm sido referendados pelos tribunais superiores, ainda que infiltrados por esbirros do projeto criminoso de poder. Seria porque a coisa está, agora, pegando no rabo dos tucanos?

Ouça o que eu vou lhe dizer, Tucanaldo Azevedo! Vocês não vão conseguir acabar com a Lava Jato. Ela é que vai acabar atropelando vocês. Simplesmente poeque nós, os cidadãos de bem deste país, não hesitaremos em sair em defesa dela!

Lucas Daniel

Pedro Costa disse...

Vivas a Reinaldo Azevedo.

Anônimo disse...

Eu não disse que o Tucanaldo Azevedo anda arrebanhando incautos por aí?

Orlando Tambosi disse...

O comportamento de Reinaldo tá esquisito mesmo, Lucas.