sábado, 26 de novembro de 2016

Foice o Fidel. Ou, melhor: foi-se. Festa no inferno.


3 comentários:

Anônimo disse...

'Os "sentimentos" de uma sociopata'

Paulo Okamotto foi o encarregado de dar o aviso da morte do ditador e assassino Fidel Castro à Dilma Rousseff. Ele foi alertado que devido as fortes dosagens de psicotrópicos consumidos pela ex-presidente, a notícia teria que ser dada aos poucos.

- Dilma, aqui é o Okamotto, bom dia.
- Nossa, pra me acordá às 11:45 da manhã, tem que ser algo muito importante. Fala japa, qui que aconteceu?
- Presidenta, uma pessoa muito próxima à senhora faleceu.
- Muito próxima?! Hum... minha vizinha fofoquêra, aqui do 47, bateu as botas?
- Não foi ela.
- Já sei, então foi a minha véia, né? Essa já tava no bico do corvo mesmo! E eu qui pensava em sacrificá a véia como eu fiz com o Nego lá em Brasília. Pronto, já tá tudo resolvido.
- Não, também não foi a senhora sua mãe.
- Então quem foi?
- Foi um amigo seu de longa data.
- Caraio, o Lula morreu???! Eu que cansei de falá pra ele: a marvada vai te levá pro caxão. Dito e feito.
- Não, felizmente, não foi o Lula.
- Então quem foi??! Disinbucha rápido, japoronga!
- Foi o nosso grande líder Fidel Castro.
- PQP!!! O Fidel???!
- Sim, o comandante!
- Caraca, esse também já tava fazendo hora extra, né!
- O Lula quer saber se a senhora vai com ele para Cuba?
- Posso até í, mas só se eu podê levá minha bicicleta, adoraria dar umas pedaladas por lá.

Anônimo disse...

Lula, com a voz rouca e embargada, telefona para Marisa:

- Galega, nosso grande comandante morreu.
- Quê???! Num acredito!!! O Marcelo Oldebréchete morreu???! Tá vendo só, benhê, porque eu num quero que cê vai pra cadeia?!
- Muié, quem morreu foi o Fidel Castro!
- Nossa, o Fidel??! Morzão, que que eu te falei pra você?! Seu amigo tá com o pé na cova, esse num vai longe. Amore, quando eu digo é batata!
- Agora eu vô aproveitá que a imprensa internacional tá toda lá e vô me mandá pra Cuba. Vô ficá colado no caxão pra saí em tudo quanto é foto.
- Boa viagê, paxão! Aproveita pra mandá os pêsame pro Raul em nome de todo o povo brasilêro. Isso vai fazê muito bem pra ele.
- Tchau, quirida!
- Tchau, quirido!

Anônimo disse...

Depois que o ditador assassino morreu a imprensa venal e bolivariana só tem elogios para o déspota sanguinário. Prevalece como sempre aquela máxima: 'bandido bom é bandido morto'.