quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Terrorista Negri visita o Brasil como palestrante



Li boa parte da obra de Toni Negri, o mentor das Brigadas Vermelhas na Itália, quando escrevi sobre a decadência do marxismo durante minha tese de doutorado. Ele continua ativo, além do fugitivo que foi, agora vivendo na França. E vem frequentemente a São Paulo, onde esteve (ainda está?), convidado por universidades. O El País deu amplo espaço para o filósofo bandido, cultivador da violência e do terrorismo:


O filósofo marxista Antonio Negri (Pádua, 1933), um dos pensadores de maior influência nos movimentos de esquerda ocidentais e referência da crítica à globalização, passou dias intensos em São Paulo na semana passada. Em três dias de concorridas conferências na cidade, o professor da Universidade de Pádua, que passou anos na prisão na Itália e no exílio na França, discutiu a potência e as contradições do que chama de "hegemonia do trabalho cognitivo na produção capitalista". O coautor de Multidão: guerra e democracia na era do império (2005) discutiu também a conjuntura brasileira e o momento de impulso da direita no mundo todo. Leia a entrevista.

Nenhum comentário: