sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Feliz Natal e muitas realizações em 2017 - se o tamanho do Estado permitir

Por Ricardo Bordin, do blog Por um Brasil sem Populismo:


2016, o ano que deve ficar marcado na história mundial como “uma odisséia à Direita”, está chegando a seu termo. E como costuma ocorrer nas festas de passagem de ano, diversas pessoas irão olhar para trás, em meio aos fogos de artifício, para tudo que se passou desde janeiro, e pensarão que deveriam ter feito muitas coisas de forma diferente em suas jornadas. Notadamente, irão, como muitos pacientes o fazem no leito de morte, ponderar que deveriam ter trabalhado menos, mantido mais contato com os amigos, curtido mais a vida, corrido atrás de seus sonhos, buscado mais a felicidade.

Por que não procurar esticar por mais 363 dias a alegria do Natal e do Réveillon, pois não? O problema usual nesta reflexão, contudo, é que a primeira das lamentações afeta todas as demais: é justamente o trabalho que facilita a consecução dos demais objetivos da lista de resoluções de fim de ano. Até mesmo a possibilidade de trabalhar menos e usufruir mais horas de lazer costuma ser produto de muito…trabalho (e estudo) prévio. (Continua).