segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Marina Silva na presidência? Vade retro.

A macilenta Marina Silva, cria do lulopetismo e ministra por longo tempo nos governos de Lula, é apontada em pesquisa Datafolha como líder na corrida presidencial das eleições de 2018. E, pasmem, o corrupto Lula - às portas da condenação - seria líder em primeiro turno. Só pode ser piada - do contrário, o Brasil seria, de fato, um país de idiotas reféns do populismo:


A ex-senadora Marina Silva (Rede) lidera a corrida presidencial, em todos os cenários de segundo turno, para as eleições de 2018. É o que aponta uma pesquisa realizada pelo Datafolha, publicada nesta segunda-feira pela Folha de S.Paulo. Em todos os cenários de primeiro turno, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lidera. Em um eventual segundo turno entre os dois, Marina teria uma diferença de nove pontos a seu favor.

A pesquisa foi realizada nos dias 7 e 8 de dezembro com 2.828 pessoas com 16 anos ou mais. Em duas simulações de primeiro turno apresentadas, uma com o governador de São Paulo Geraldo Alckmin e outra com o senador paulista José Serra como candidatos do PSDB, Marina ficaria com uma das vagas para o segundo turno, ao lado de Lula.

Em um cenário com como candidato tucano, ela teria 15% das intenções de voto, contra 11% do senador mineiro, o que configura empate técnico na segunda colocação. Em outra simulação, em que o juiz federal Sérgio Moro é apresentado como candidato, ambos teriam 11%, contra 24% de Lula.

Quando à intenção de voto em um segundo turno contra os tucanos, a vantagem de Marina é de pelos menos vinte pontos percentuais. Essa margem seria alcançada contra José Serra: 47% contra 27%.

Rejeição

A pesquisa mostra que o candidato com maior rejeição é o presidente Michel Temer (PMDB). De acordo com o levantamento, 45% dos eleitores não votariam nele. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem 44%, o que configura empate técnico. (Veja.com).

9 comentários:

Anônimo disse...

Vá de retrô mesmo!! O datafaia não se cansa de suas sondagens grotescas..

Anônimo disse...

Data folha é uma vergonha,já começou a campanha para a múmia Marina Silva deslanchar,o Lula não elegeu nem vereador que apoiou,o próximo presidente será
Jair Bolsonaro, estamos ferrados é preciso urgente que se investigue Data Folha e Ibope eles tem manipulado eleições faz muito tempo,está na hora de parar com isto.

maisvalia disse...

Alguém ainda acredita em pesquisa do Datafalha?

Anônimo disse...

Bom, da pra acreditar numa pesquisa dessas? É claro que o Exu de Nove Dedos vai sempre figurar com destaque em qualquer pesquisa; afinal, o picareta foi presidente por duas vezes (meu Deus do céu!!!) e possui o chamado "recall", que é a memória automática do eleitor por candidatos que já tiveram uma exposição maciça num passado recente. Mas isso não quer dizer que o candidato que possui um elevado "recall" terá sua reeleição garantida numa próxima disputa. É preciso olhar também o seu índice de rejeição. As pessoas acabam se esquecendo desse detalhe, que é um dos mais importantes - se não for O mais importante - na vida de um político: o seu índice de rejeição. Lula pode aparecer muito bem em todas as sondagens feitas pelos institutos de pesquisa, mas na hora do vamos ver, quando ele tiver de ser confrontado numa eleição presidencial duríssima, todo o seu passado de crimes, de erros grotescos que custaram o sofrimento de milhões de brasileiros, vira à tona. Candidatos com altíssimo índice de rejeição como ele NUNCA serão eleitos; Lula não resiste a uma campanha presidencial nos dias de hoje. Aquele passado em que o homem era todo-poderoso, tinha 80% de aprovação, elegia quem ele quisesse, ficou pra trás, não volta mais. Graças ao bom Deus!!! O maior perigo agora é o Brasil eleger um candidato genérico do petismo: Marina Silva. Esse é o perigo!!! Que Deus tenha piedade de nós.

Anônimo disse...

-Alguém tem que investigar o DATA-BOLHA por manipulação de informação.

-Só sendo muito cretino para votar nos candidatos citados.

-Estão comentando que Roberto Justus SERIA um possível candidato em 2018.

-Com a economia do país derretendo somado à corrupção, incompetência e imoralidades quem está interessado em manter o status quo?

Índio/SP

Anônimo disse...

Feia, inculta e safada!

Paulo Robson Ferreira disse...

Marina é a essência da nulidade. Toda criatura que assume pacotes ideológicos, religiosos ou culturais é um ser muito limitado na sua capacidade de formar juízos e definir suas posições.São sempre criaturas teimosas, que quando não possuem argumentos convincentes se aferram em posições puramente teóricas, ou seja genéricas, por incapacidade de arbitrar. Marina é de esquerda, ecológica e evangélica, ou seja, é tutelada por três cartilhas. O que se pode esperar dela?

Paolo Hemmerich disse...

Não é questão de acreditar na pesquisa, mas É QUE A PESQUISA FAKE É PUBLICADA COM DOIS OBJETIVOS: 1. Formar tendência, pois sabem que grande parcela do eleitorado gosta de votar em quem "vai ganhar"; 2. Amoldar criminosamente o resultado da eleição à pesquisa previamente adulterada!!! Em 2014 ocorreu algo muito parecido com isso!!

Anônimo disse...

Nessa era do fim dos grandes jornais e da mainstream media perdendo o seu poder no mundo todo, a Folha de S. Paulo representa no Brasil a síntese do que órgãos como New York Times, Washington Post, CNN, BBC entre outros estão passando. Até a eleição americana eles acreditavam que detinham o controle da narrativa e moldavam o pensamento da pessoas faz tempo que a imprensa tradicional não noticia apenas tem uma agenda clara e faz tudo para alterar a percepção das pessoas e ditar comportamentos tentando impor uma engenharia social. Isto vai além da imprensa toda a indústria de 'entretenimento' é inteiramente voltada para isto. Com leis que cada vez mais colocam mordaças nas pessoas eles acreditavam dentro da bolha que criaram que detinham o controle total da narrativa e intenção das pessoas. A patética cartada final é tentar ditar o que é notícia ou o que é "fake news". Claro que as moribundas medias tradicionais tentam se colocar como detentoras absolutas da verdade e classificam toda a mídia alternativa como "fake news" contando com ajuda dos aliados de sempre as Universidades e seus "especialistas" e órgãos governamentais suspeitos (agências de espionagem) como a CIA que lançou a última hoax (sem evidência alguma) que a Rússia manipulou a eleições americanas em favor de Trump. A mesma CIA que afirmou que Saddam Hussein possuía armas de destruição em massa o pretexto da guerra no Iraque que mais tarde se comprovou mentira. A Lügenpresse está desesperada com o cenário que aponta os próximos 3 anos: a sua extinção. Sua credibilidade já não existe e seus leitores, telespectadores e assinantes estão minguando. Basta ver a queda em acessos aos portais de informação no mundo todo e o número de assinantes de jornais e revistas e a queda vertiginosa de audiência de gigantes como ESPN do grupo Disney e NBC a maior rede televisão dos Estados Unidos. É uma questão de tempo que o número de pessoas que ainda possuem o hábito de acessar este tipo de veículos diminuam ainda mais.