quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Culto à personalidade: o mito Obama.

João Luiz Mauad foi na mosca ao desmontar o mito Obama, um dos presidentes mais medíocres da história norte-americana. O presidente derrotado ganhou mais destaque na imprensa do que o presidente que entra, sempre bombardeado pelo esquerdismo hegemônico na tal de mídia. Tal como Chê Guevara, Obama virou ídolo. Que se vá para sempre:


Abro o Facebook e vejo meus amigos postarem imagens enaltecendo Obama e sua família. Ligo a TV e noto que a imensa maioria do noticiário dá mais destaque ao presidente que sai do que ao que entra. A notória Globo News chegou ao ineditismo de transmitir, ao vivo, um discurso de despedida (?!), no qual, entre outras coisas, o presidente faz declarações de amor à primeira-dama. Tudo calculado, como num conto de fadas. Mas nunca é demais lembrar que a América não é uma monarquia, onde esse tipo de folhetim faria algum sentido.

É difícil transmitir a escala em que Obama – o ícone – tem dominado as atenções mundo afora e, particularmente, como não poderia deixar de ser, em Pindorama. O presidente que sai não é meramente popular, nem é apenas um político popstar. Obama tornou-se outra coisa aos olhos do mundo. Ele é agora um ídolo. E como todos os ídolos, sua imagem está em toda parte.

A verdade é que Obama inspirou uma devoção mais apaixonada do que qualquer outro político contemporâneo. As pessoas gritam e desmaiam em seus comícios, cujos discursos são preparados com extremo cuidado. Alguns usam camisetas proclamando-o “The One”. Um editor da Newsweek chegou ao cúmulo da adulação ao descrevê-lo como “acima do país, acima do mundo; Uma espécie de Deus.”

Como bem ressalta o jornalista Roberto Dias, no entanto, “sem a mediação de lentes e microfones, porém, o saldo de seu governo parece menos iluminado do que a imagem pessoal. Nove anos depois, é difícil enxergar um mundo que tenha andado no rumo daquele desenhado pelo senador em 2008. Pode-se dizer até que está mais distante – ainda mais intolerante, ainda mais protecionista, ainda mais perigoso. Dotado dos maiores poderes conferidos a um humano, ele não conseguiu realizar algo bem específico como fechar a prisão de Guantánamo, símbolo da era Bush que prometera desmontar. A falta de gosto pela pequena política cobra seu preço.”

Ainda que seu governo tivesse sido um fragoroso sucesso, esse culto à personalidade de Obama seria algo perigoso e indesejável, pelo menos àqueles que prezam a liberdade e a democracia, regidas por leis e instituições, e não por ungidos e luminares. Não por acaso, durante a Guerra Fria, os americanos costumavam criticar os países comunistas pelo culto à personalidade que cercava seus líderes, cuidadosamente planejado pelos respectivos ministérios de propaganda (Agitprop). Mas a Cuba castrista, a China maoista e a Rússia stalinista não têm nada a ver com a América de Obama, dizem seus seguidores. Claro!

Concedamos a ele o benefício da dúvida. Talvez Obama não tenha incentivado o culto à personalidade que o rodeia. Talvez tudo isso seja resultado de sua personalidade forte e carismática. Mas ele por certo não o desencorajou. Como candidato, embalado pelo slogan “yes, we can!”, prometeu “mudar o mundo”, “transformar este país” e até mesmo “criar um novo Reino aqui na terra”. Como presidente, ele continuou acrescentando detalhes a essa ambiciosa lista de desejos. Prometeu criar milhões de empregos, curar o câncer, buscar um mundo sem armas nucleares, frear o aquecimento global e, last but not least, reduzir as desigualdades. Infelizmente, a realidade é sempre mais poderosa que as nossas vontades e desejos, mas os fracassos do ídolo não mudaram a sua imagem imaculada perante os fiéis.

Como bem lembrou Helen Sealrs, em quase tudo esse culto à Obama se parece com o que aconteceu ao famigerado Che Guevara, cuja imagem – legada à posteridade pelo fotógrafo Alberto Korda -, era apenas um rosto, totalmente apartado de sua vida política, usada para decorar os quartos da juventude ocidental, sempre ávida por revoluções que pudessem (ora, ora!) “mudar o mundo”. Poucos dos que possuíam o famoso poster sabiam muito sobre o real Che Guevara, mas tê-lo em sua parede sinalizava que você era de alguma forma progressista e idealista. Com Obama, o progresso e o idealismo foram substituídos pela esperança e pela fé, senão pelo empoderamento – essa palavra horrorosa que, infelizmente, tomou conta dos corações e mentes de muita gente. Para completar, hoje não são só os adolescentes imaturos e radicais que se identificam com esta mensagem quase religiosa e transformaram Obama em algo que, definitivamente, ele não é.

Esperemos que toda essa devoção seja passageira… (Instituto Liberal).

7 comentários:

filipe fernandes disse...

Não gosto de Obama mas ele não é Presidente Derrotado....Corrijam isso

Orlando Tambosi disse...

Obamismo foi derrotado, sim. Hillary era apenas uma preposta do caneludo.

Paulo Robson Ferreira disse...

Prezado Orlando, com todo respeito que você me merece, começo a achar que você vê os fatos como você queria que eles tivessem acontecido e não como de fato eles ocorreram. Não sou de esquerda nem direita, acho ainda que ideologia é para quem sofre de falta de lucidez em estado avançado. Não é porque estamos exorcizando um episódio lamentável de ação criminosa de esquerda, que vamos adotar uma simpatia cega pela direita selvagem. Trump é um completo boçal, escreva isso no seu diário e voltemos a conversar sobre esse assunto daqui a uns dois anos. Não me queira mal.

O MESMO de SEMPRE disse...

.
Já de bom tempo quando alguém diz que "não sou de esquerda nem direita", mas blá blá blá!!!

...è certo que é um adepto de ideologias imbecilizantes, mas o nega por vergonha ou estratégia.

Obama FOI DERROTADO! ...não porque a candidata de seu partido perdeu a eleição, mas sim porque é agente de um PROJETO de PODER e se empenhou extrapolando no desprezo a qualquer freio ético ou mesmo moral para tentar alcançar objetivos de seu grupo. Obama, sim, é um imbecil, não apenas um boçal, tamanhas as asneiras que tem dito para tentar encobrir sua derrota vergonhosa. Pois que sua força midiatica e econômioca desproporcional não conseguiu faze-lo vencedor. Essa vergonhosa derrota é que os faz deixar visivel o quanto são imbecis tentando desculparem-se por tal derrota que lhes foi imposta. Algo como um lutador profissional ser nocauteado por um idoso com mal de Parkinson. ...hehehe!!!

Há uma HERANÇA SÍMIA no humano e alguns não se controlam em exerce-la.

Símios IMITAM comportamentos instintivamente visando obter o mesmo "prêmio" que os outros que exercitam um comportamento como se tal lhes atribuisse algum tipo de vantagem moral ou prática.
Se um animal vê outro correr desesperadamente ELE O IMITA visando livrar-se do mesmo mal do qual o outro foge, por exemplo.

Símios humanos IMITAM as CARETAS e GRITINHOS de HORROR que outros humanos exercitam como condenação moral a algo para assim, em tal ostentação audio e visual, tentar forjar uma reflexão e um julgamento que os repugna. Com esse exagero simplesmente almejam ostentar superioridade racional, quando em verdade apenas exercitam uma ALGAZARRA HISTÉRICA tão comum aos SÍMIOS.

Duvido que os acusadores de Donald Trump consigam elencar FATOS que o desabonem para o exercício do cargo. Que relatem alguma trapaça ou golpe empresarial que tenha praticado.
A ALGAZARRA SÍMIA se apega em idiotices, mais das vezes mentirosas, apenas para na base da EMOÇÃO CONTAGIAR outros SÍMIOS igualmente pouco evoluidos e que por tal se entregam à HISTERIA sem mesmo saber a razão de assim estarem em tal algazarra. Pois apenas estão IMITANDO ou REPRODUZINDO COMPORTAMENTO ALHEIO EM BUSCA dos MESMOS PRETENSOS SENTIMENTOS daqueles que valem-se da HISTERIA CONTAGIANTE para mais imbecilizar humanos tão PRIMITIVAMENTE instintivos.

O blogueiro do "mamãe falei" tem sido brilhante em demonstrar esse primitivismo instintivo ao questionar manifestantes em sua histeria manifestativa de auto louvor moral, mas ABSOLUTAMENTE IGNORANTES A RESPEITO das CAUSAS de SUA MANIFESTAÇÃO tão efusiva.

São, não meros boçais, mas sim imbecis facilmente contagiados por HISTERIA alheia, em sua irracionalidade simiesca afetada pela vaidade de narcisos que se juntam a histeria apenas em busca de se ostentarem "superiores" moralmente, MESMO SEM SABER A RAZÃO DO QUE REPETEM como SÍMIOS imitando PAPAGAIOS. ...NADA MAIS RIDÍCULO!!!!

O MESMO de SEMPRE disse...

.
Gostei desta perfeita imagem que me veio à mente ao comentar a HERANÇA SÍMIA que IRRACIONALMENTE faz humanos se contagiarem pela HISTERIA alheia.


SÃO SÍMIOS IMITANDO PAPAGAIOS ...hehehe!

...a imagem é perfeita: não sabem a razão de suas ostentações MORAL-SENTIMENTALÓIDES ou SENTIMENTAL-MORALÓIDES onde a reflexão digna de seres racionais não passa nem perto de tal HISTERIA.

Foi ISSO que fez Meryl Streep estupidamente exercitar seus dotes artisticos banais para REPRESENTAR INDIGNAÇÃO MESMO QUE SOBRE ALGO JÁ COMPROVADAMENTE FALSO.

Ideologias IMBECILIZAM e a adepta de atividade das mais banais, em sua ÂNSIA NARCISISTA de se ostentar moralmente superior enquanto condenava um inocente, MACAQUEOU um discurso HISTÉRICO e FALSO para vagabundos inseguros tentarem convencerem-se de que possuem algum valor superior. Mesmo que um valor meramente decorrente de um sentimentalismo moralóide totalmente arbitrário e hipócrita!!!

Com bem disse Bertrand Russel: Os humanos têm 2 (DUAS) MORAIS, uma que exercitam e outra que exigem dos demais.

Não por acaso Trotski escreveu "A moral deles e a nossa moral"

Ideologia é quando a nossa moral visa apenas alcançar o objetivo, justificando tudo que em seu nome seja proposto ou realizado, por mais funestos e opostos que sejam os resultados. O que vale é a SUPOSTA intenção do agente ideológico que SE PAVONEIA NESTE MORALISMO SENTIMENTALÓIDE HIPÓCRITA, que nada é se não ALGAZARRA HISTÉRICA de SÍMIOS NARCISISTAS e inconformados com a imagem que percebem de si mesmo e TENTAM MIRAREM-SE nas "FOTOGRAFIAS" que lhes são apresentadas como IMAGENS de SUPERIORIDADE.

PQP, que RIDÍCULOS!!! ...hehehe!

TRUMP tem como seu MAIOR MÉRITO, único que seja, o de estar gritando que:

O REI ESTÁ NU!!! ...Se nada mais fizer de útil vai para a história como o primeiro homem a fazer tal enfrentamento à esupidez humana, chegando mesmo a DERROTAR a ALGAZARRA HISTÉRICA de SIMIESCOS humanos incapazes de refletir, mas presas fáceis do contágio emocional de histerias. ...hehehe!

Paulo disse...

Calma. Com a qualidade do povo de origem anglo-saxã dos americanos eles logo consertam (como estão consertando) a palhaçada progressista de lá. Até a Europa quando quiser arruma tudo. Aqui com a baixa qualidade dos brasileiros vira-latas é que estamos f@#$%udidos pelo resto da vida.

Anônimo disse...

O MESMO DE SEMPRE,como sempre matou a charada.Cada coisa no seu lugar,sem contar que Trump destruiu a mídia comunistóide com meia dúzia de palavras.É uma pena que no Brasil não tenha ninguém com saco roxo de verdade,e se tiver,a mídia esconde.No Brasil não temos anoes politicos,temos larvas politicas.