segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Que diabo são os tais direitos humanos?

Javier Paz García aborda, em artigo publicado no site Libertad.org, algumas características do que conhecemos como direitos humanos - nem tão amplos e generosos como pressupõe a doutrina politicamente correta. Como pano de fundo, sempre lá está a liberdade, que não pode ser violada em nome de nenhum suposto direito:


Si Ud. naufragara en una isla desierta junto a otras dos personas desconocidas, ¿cuáles serían las obligaciones que se tienen entre sí? Usted no puede matar, golpear o robarle a los otros sus pertenencias y viceversa porque nuestra calidad de humanos e iguales entre sí (iguales en derechos) nos obliga a respetar la vida, la libertad y la propiedad de los otros como también a exigir su respeto para con nosotros. Más allá de este respeto mutuo usted no puede obligar a los otros a que le construyan una casa, le provean agua, o le den clases de aritmética; tal obligación implicaría una violación de la libertad de los otros.

Probablemente estas tres personas decidan colaborar para conseguir el alimento, construir un refugio y cuidarse en la enfermedad, pero esta colaboración es voluntaria y mutua y si uno de ellos decidiera irse a vivir solo a otra parte de la isla y cortar contacto con los otros dos, estaría en todo su derecho. Imaginemos que los tres náufragos son un médico, un profesor y un arquitecto. ¿Eso implica que el médico está en la obligación de garantizar la salud, el profesor la educación y el arquitecto la vivienda? Por su puesto que no. El que cada persona tenga diferentes especialidades hace más beneficiosa la colaboración mutua, pero no quita el hecho de que ésta tiene que ser voluntaria, no obligatoria.

Aquí tenemos una prueba simple para entender qué es un derecho humano. Los verdaderos derechos humanos se mantienen vigentes donde sea que nos encontremos y su cumplimiento es obligatorio por parte de todos. Si Ud. y otras personas están perdidos en una isla, todos siguen manteniendo su derecho a la vida, la libertad y la propiedad; todos se deben respeto mutuo. Una prueba adicional para entender lo que no es un derecho humano es que si su cumplimiento implica una trasgresión de los derechos a la vida, la libertad y la propiedad, entonces no es un derecho humano. Un derecho es una obligación de todos hacia Ud. Obligar a todos a proveerle agua, salud o educación, implica coartarles su libertad y por tanto no pueden ser derechos humanos.

Un conocido adagio afirma que sus derechos terminan donde comienzan los derechos del prójimo. Bajo esta premisa los llamados derechos de segunda generación (salud, educación, servicios básicos) no pueden ser derechos humanos, porque su cumplimiento implica la obligación de alguien de proveerlos y tal obligación importa una violación de ciertas libertades que son la base de los derechos humanos de primera generación, es decir de los verdaderos derechos humanos.

4 comentários:

O MESMO de SEMPRE disse...

NADA É POR ACASO!!!


.
Manter a bandidagem sempre como uma ameaça à sociedade desarmada e sem meios próprios de se defender é uma tática psicológica como tantas outras.

Imagine-se que a pressão moral e a punição sereva para CRIMINOSOS PROFISSIONAIS, que vivem da pratica de crimes, tornasse as cidades e os campos pacíficos, sem maiores transtornos e facilmente contornados por um ínfimo efetivo policial.
Alguém já imaginou o quanto isso seria nocivo para o PODER da HIERARQUIA ESTATAL?

Ademais, para justificar grandes contingentes policiais o Estado precisa de uma boa desculpa ou FICARIA EVIDENTE que o grande efetivo policial seria apenas para a COERÇÃO dos PAGADORES de IMPOSTOS.

A politica MUNDIAL de INIMIZAR as populações e as forças, tanto policiais quanto militares é OUTRA ESTRATÉGIA que visa o seguinte:

- Se as populações ANTIPATIZAM com estas FORÇAS e as enxovalham constantemente ostentando desprezo por estes policiais e militares, a RECÍPROCA será incontrolável.

Assim os policiais e efetivos militares não terão dificuldade para OPRIMIR populações indefesas que vivem a critica-los e odia-los ostensivamente.
É uma grande estratégia, pois caso houvesse EMPATIA e AMIZADE entre a população e as FORÇAS sob comando da hierarquia estatal, numa EVENTUAL necessidade do Estado impor a opressão, poderia essa EMPATIA abrandar o ânimo destes policiais e militares que, assim, resistiriam a OBEDECER ORDENS INJUSTAS e TIRÂNICAS, SOLIDARIZANDO-SE COM A POPULAÇÃO e o Poder da hierarquia estatal estaria acabado. Vide o que aconteceu no IRÃ quando o XÁ acreditava que seria obedecido, mas as forças tinham mais laços com a religião do que com o comando estatal. e aí danou-se, DESOBEDECERAM!

As aposentadorias DIFERENCIADAS, integrais, para funcionários do governo e estatais em geral É outra ESTRATÉGIA de PODER.

Os PRIVILEGIADOS funcionários dos governos NÃO PRECISAM PEREOCUPAREM-SE NEM COM A ECONOMIA DO PAIS E MUITO MENOS COM O PRÓPRIO FUTURO, este GARANTIDO pelo PODER ESTATAL.

Ou seja, se os funcionários estatais e do governo direto que desfrutam de elevado rendimento tivessem que INVESTIR parte de seus rendimentos na INCIATIVA PRIVADA a fim de manterem o padrão de vida elevado, CERTAMENTE NÃO SE PERMITIRIAM TANTA HOSTILIDADE ao INVESTIMENTO PRIVADO. Pois ao se aposentarem seriam em parte PAGADORES de IMPOSTOS para custear o governo e não apenas RECEBEDORES de IMPOSTOS.

NÃO HÁ MERO ACASO NUM CONJUNTO DE ESTRATÉGIAS TÃO MILIMETRICAMENTE COINCIDENTES com o INTERESSA do PODER ESTATAL de EXPLORAR POPULAÇÕES para o deleite de sua HIERARQUIA.

Há muitas outras "coincidências" que bem demonstram que o Estado não se vale do Poder POR ACASO.
Tanto HOBBES como ROUSSEAU entre outros bem mais antigos e recentes, que elaboraram SUTIS "algoritmos" para dar suporte a um Poder capaz de viever explorando rebanhos humanos ATRAVÉS de GRANDES SUTILEZAS.

O Estado NÃO É uma CRIAÇÃO do ACASO, ele foi elaborado como uma estrutura de Poder para EXPLORAR POPULAÇÕES INTEIRAS.

O MESMO de SEMPRE disse...


É bom lembrar que no OCASO do Império Romano as disputas políticas e mesmo a uincapacidade da hierarquia estatal manter tropas e aspirantes ao poder apaziguados, acabou por fazer com que políticos em meio a conturbada situação:

- disputas internas pelo Poder no imenso Império. Este já sem tantos povos a serem saqueados e conquistados para custera tropas e corromper com riqueza os aspirantes à hierarquia de Poder e riqueza.

- Estas disputas e a necessidade de estratégias que pudessem CONTROLAR ou DOMINAR o POVO romano ESFOLADO POR IMPOSTOS, acabou levando a que contingentes políticos SE UNISSEM AOS BARBAROS para tentarem se manter no PODER através dos NOVOS ALIADOS.

Os governos estão quebrados, TODOS.

Quase toda a poupança (sobretudo dos ricos que investem no mercado financeiro) JÁ FOI GASTA PELOS GOVERNOS e estes não possuem meios de gerar riqueza para cobrir este rubo.

TRATA-SE de UMA "CORRENTE da FELICIDADE" ou "PIRÂMIDE". Pois os governos JAMAIS PAGAM DÍVIDAS COM sua RECEITA. Todos só pagam dívidas através da TOMADA de NOVOS EMPRESTIMOS.
Assim os BANCOS CENTRAIS "fabricam" dinheiro do NADA e inflacionam os preços do mercado onde os PRODUTORES e os PARASITAS DISPUTAM os BENS e SERVIÇOS DISPONÍVEIS.
A CARGA TRIBUTÁRIA ELEVA CUSTOS que devem ser recuperados com o aumento generalizado de preços visando a que os produtores recuperem parte do que os PARASITAS consumiriam.

Exatamente por isso KEYNES ESTAVA ERRADO! ...ele não atentou para esse detalhe pois sua porca teoria entende DINHEIRO como se estes FOSSE BEM ou SERVIÇO CONSUMÍVEL, MAS NÃO É. Ou seja, baseaar-se na questão MONETÁRIA é uma estupidez:

As MERCADORIAS SE TROCAM ATRAVÉS do DINHEIRO, mas Keynes dava a entender que AS MERCADORIAS SE TROCAM POR DINHEIRO.


Eis aí a lambança que DIALÉTICAMENTE ...hehehe! ...pode levar Á REBELIÃO de PROLETÀRIOS e NÃO PROLETÀRIOS CONTRA a EXPLORAÇÃO ESTATAL.

Exatamente como Marx porcamente PROFETIZOU que ocorreria..,. Só que tal embusteiro errou de classe ...hehehe!

Não será a rebelião contra a classe burguesa, mas SIM a REBELIÃO CONTRA as CLASSES ESTATAIS que vivem do Poder e não do Trabalho.

Os canalhas imaginam que unindo-se aos ISLÂMICOS (novos BARBAROS) poderão gerar confusão e até partilhar com estes MANÍACOS ideológicos uma NOVA CIVILIZAÇÃO. Tal e qual ocorreu com a derrocada do Império Romano e a introdução do FEUDALISMO com sua ideologia e hierarquia de MANÍACOS e APROVEITADORES.

Anônimo disse...

No Brasil a expressão correta é Direitu dusManu.

SHAMI disse...

QUO VADIS
Direitos humanos é bem fácil.
Mindinho,sêo vizinho,pai de todos,fura-bolo e mata piolho nu pé duvido.
Resolve fácil a questão.
eu não guento