quarta-feira, 29 de março de 2017

FHC: tão perto do socialismo, tão longe do liberalismo.

De liberal, o ex-presidente FHC nunca teve nada. Até duvido que tenha lido algum clássico do liberalismo, como quase toda a sua geração de universidade, formada nas teses marxistas. A propósito, segue post de Rodrigo da Silva (editor do Spotniks) no Facebook:


FHC...

Já foi editor da revista “Fundamentos”, do Partido Comunista Brasileiro.
Já teve Lula como principal cabo eleitoral, em 1978, fazendo campanha lado a lado com ele em porta de fábrica.
Já assumiu publicamente ser marxista, mesmo depois de eleito presidente da República.
Já lutou contra o impeachment de Lula em 2005.
Já lutou contra o impeachment de Dilma em 2015.
Já defendeu as políticas econômicas do PT.
Já lançou José Serra candidato à presidência.
Já disse que não gostaria de ver a prisão de Lula.
Já se assumiu como um homem de esquerda, justificando que a direita só produz "injustiças, miséria e violência".
Já tentou brecar a ascensão de Doria, um político mais liberal, dentro do seu próprio partido.
E agora diz que o filme que retrata o liberal Gustavo Franco como protagonista do Plano Real é só uma "obra de ficção".

Você pode dizer que FHC transitou ao longo da vida entre o extremismo e a moderação. Pode apostar que a sua vaidade lhe fez navegar por diferentes mares para ser aceito. Pode até supor que o seu narcisismo lhe forçou a adotar decisões mais ponderadas na vida pública, tornando-o menos refém dos seus próprios credos. Só não pode negar o quanto a sua identidade política é cristalina.

FHC é um dos principais representantes da esquerda brasileira. Não dessa esquerda troglodita que engole barba no almoço, é verdade - imatura, fascistóide, ignorante, que nunca leu sequer O Capital, quem dirá Florestan Fernandes - e que é tão limitada que é capaz de jurar, vejam só, que o tucano é um representante do liberalismo (provavelmente porque a única vez em que encarou o assunto na vida foi analisando uma imagem em preto e branco do Adam Smith no livro de história do segundo grau). Também não é dessa esquerda que compartilha meme da Frida Kahlo, lê poesia avulsa do Pablo Neruda e toma três aulas de francês para fingir uma intelectualidade que não possui.

FHC é da esquerda que soube superar a viuvez da queda do Muro de Berlim - e exatamente por isso é mais adaptável às novas circunstâncias que os demais. Sua grande diferença com Lula, ao menos no que diz respeito ao campo político, versa muito mais sobre estilo do que ideias. E você não precisa de nada além de um bom livro de história para chegar a essa conclusão.

Toda vez que alguém diz que FHC é um "neoliberal", um panda comunista morre em frente à Praça da Paz Celestial.

10 comentários:

Vandeco disse...

Ele também era contra o impeachment do Itamar Franco. Aliás, nem gostava dele.No entanto, o Itamar o colocou no Ministério da Fazenda e deu a ele carta branca para o Plano Real. Pobre Brasil! Vai demorar ainda muito tempo, para o Brasil sair de períodos de crescimento semelhante ao voo de uma galinha.

Orlando Tambosi disse...

Itamar Franco nada tinha para ser "impichado". Aliás, foi quem abriu para o Plano Real.

Vandeco disse...

...impeachment do Collor...

Orlando Tambosi disse...

Não se compare o impeachment de Collor, derrubado por uma..."Elba". Quanto ao lulopetismo, não há nada acrescentar além dos fatos.

Paulo disse...

Um míssil atingindo este avião aí em cheio com todos esses esquerdistas/comunistas/vagabundos/ladrões dentro seria o melhor presente de todos os tempos desde Cabral para o país. Sonho meu, sonho meu...

Rodrigo disse...

Considerando q o dito cujo foi presidente por oito anos, ao inves de proposicoes sobre posicionamentos (nao necessariamente verdadeiras ja q estao sem fonte e sem contexto) seria mais interessante e produtivo se o blogueiro fizesse um levantamento das decisoes mais relevantes tomadas pelo ex presidente durante sua gestao e, DEPOIS, fizesse uma classificacao sobre a inclinacao de tais decisoes a esquerda, ou a direita. Que tal?

Orlando Tambosi disse...

O primeiro governo FHC foi ótimo, graças ao Plano Real (iniciado no governo Itamar, convém lembrar). O segundo nem deveria ter existido. Aliás, iniciou o desastre institucional da reeleição, que deu em quase 14 anos de lulopetismo. Alguém lembra de alguma crítica contundente de FHC nesse período? Eu, não.

Anônimo disse...

Eu ainda suspeito que o FHC fazia parte do plano de poder do PT. Deu um jeito na economia, fez um segundo mandato morno e não fez força nenhuma para eleger um sucessor. Desde então apoiou o PT discretamente (nem tão discreto assim).

Anônimo disse...

PSDB=PT=PSDB=PT...
Esse merdas de partidos e componentes, caso FHC super incoerente como todo comunista, é um traidor do Brasil, só de ser comunista é esterco fétido, nenhum presta, e se o PT esteve no poder foi graças a ele, falso oposição dele e de todos do PSDBosta, inclusive do Aecio, dessa mesma imundicie!
Em 2018, removamos os comunistas do PT restantes e todos do PSDB em especial, pois se votou num desses, votou no outro!
São oposição apenas de teatro!

Anônimo disse...

FHC, mais do mesmo.

Com 5 anos de um excelente governo se muda a face de um país. FHC ficou no poder 8 anos, Lula ficou no poder 8 anos, Dilma ficou no poder perto de 6 anos. No total temos aproximadamente 22 anos. A face do país mudou?

Índio/SP