sexta-feira, 17 de março de 2017

Malditos: prioridade dos empresários era dinheiro, não a saúde.

A Operação Carne Fraca revelou dados estarrecedores: as empresas envolvidas vendiam carnes contaminadas. Seus proprietários, patrimonialistas da gema, tinham como único objetivo o dinheiro, sempre mais dinheiro. Danem-se os consumidores:


O delegado Maurício Moscardi Grillo, da Polícia Federal (PF), afirmou que a prioridade das empresas envolvidas na Operação Carne Fraca era “o capitalismo, o mercado, não a saúde pública”. Segundo ele, grandes corporações do setor agropecuário brasileiro, entre elas a JBS e a BRF adotavam procedimentos de barateamento dos produtos, visando exclusivamente aumentar os lucros, mesmo que em detrimento da qualidade do que era repassado aos consumidores.

Para Grillo, a corrupção era intencional e partiu das corporações – de acordo com ele, não houve “extorsão” pelos fiscais. No caso da BRF, ele afirma que o grupo tem um setor – gerência de relações institucionais e governamentais -, cuja principal função é “articular vantagens para a empresa”, como a transferência indevida de fiscais dos lugares onde eles trabalhavam. De acordo com ele, era comum que a BRF exercesse “uma força” para retirar de suas áreas fiscais que estivessem sendo rigorosos e substituí-los por outros, da “banda podre”, como ele qualificou.

Carnes contaminadas

Dentre as irregularidades investigadas pela operação estão a liberação de lotes de carne estragadas, contaminadas com bactérias e com utilização de produtos cancerígenos. A operação é a maior da história PF e foi deflagrada na manhã desta sexta-feira, apurando irregularidades na fiscalização de frigoríficos

Segundo a decisão da Justiça, uma funcionária da empresa Peccin, envolvida nos casos investigados, relata a “a utilização de carnes estragadas na composição de salsichas e linguiças, a ‘maquiagem’ de carnes estragadas com a substância cancerígena ácido ascórbico, carnes sem rotulagem e sem refrigeração”. Há também relato de pressão para liberação de um lote contaminado com salmonella, da empresa Rio Verde, além de remessas de frango com papelão e lotes de linguiça com carne de cabeça.

Procuradas pelo site de VEJA, a empresa BRF declarou que “está colaborando com as autoridades para o esclarecimento dos fatos. A companhia reitera que cumpre as normas e regulamentos referentes à produção e comercialização de seus produtos, possui rigorosos processos e controles e não compactua com práticas ilícitas”. Em nota, a JBS afirmou que a empresa e “suas subsidiárias atuam em absoluto cumprimento de todas as normas regulatórias em relação à produção e comercialização de alimentos no país e no exterior” e que “apoia as ações que visam punir o descumprimento de tais normas”. A empresa Peccin Agro Industrial informou que não vai se pronunciar no momento. (Veja.com, com a "justificativa" dos canalhas).

5 comentários:

SHAMI disse...

QUO VADIS
ÁCIDO ASCÓRBICO é vitamina "C",salvo se for PARA uso industrial e não medicinal É REMÉDIO.
Carne de cabeça de porco é "proibida" como preenchimento de embutidos por razões de saúde,contaminação e padronização de moagem,etc
Com a "carne fraca" esquecemos por um tempo a operação ou processos em andamento sobre leites e derivados com SODA,AMÔNIA,etc..
Esquecemos também operações com BILHÕES de litros de produtos químicos,solventes que compramos na gasolina.
Esquecemos das falcatruas com a venda SUPERFATURADA de remédios,ambulâncias e OXIGÊNIO Medicinal vendidos aos hospitais e ao governo.
Esquecemos da FARINHA ADICIONADA em remédios caríssmos para combater o câncer por exemplo.
Esquecemos das remessas de produtos embalados vindo aos mercados com volumes,pesos,produtos adulterados que mutam para elevarem os preços com COMPLACÊNCIA DAS REDES VAREJISTAS e dos órgãos responsáveis.
Só espero que não nos esqueçamos das reuniões em andamento em Brasilia para escaparem da LAVA a Jato.
eu não guento

SHAMI disse...

QUO VADIS
"ganhamos"TRÊS reclamações em menos de 3 meses.
Coração de frango em peso MUITO INFERIOR na embalagem,KINDER OVO sem peças dentro e peito de frango COM ÁGUA na embalagem menos peito de frango.
Sugiro comprarem balanças eletrônicas baratas e começarem a registrar.
Volumes também estão sumindo.
Dica...sardinhas em lata,que NÃO SÃO SARDINHAS e peso drenado escrito em letras miúdas bem abaixo das embalagens normais(cuidado com a promoção) e segundo me passaram o óleo dentro NÃO É de grau alimentício e sim INDUSTRIAL,falta confirmarem
tá tudo dominado.
eu não guento

Paulo disse...

Será que essa turma não tem medo de pintar com a cara dos bananeiros? Será que não temem a vingança dos torcedores de futebol? Será que não temem a reação de quem fica dias a fio pulando carnaval? Claro que não, o que esses coitados podem fazer? Vão ficar fazendo embaixadinhas na frente da Friboi?

Anônimo disse...

Aliás, o máximo que vai acontecer é cair bastante as vendas... Mas e os empréstimos bilionários do BNDS? E o patrimônio e o dinheiro que eles já ganharam? Vão perder tudo? Vão realmente ser presos ou vai acontecer como a mulher do Cabral e o goleiro Bruno que já estão nas ruas?

Anônimo disse...

JUIZÉCOS!


Toloco.