segunda-feira, 13 de março de 2017

O jornalismo trans da Rede Globo

Alexandre Borges, em seu Facebook, sobre a campanha da Globo em favor do "transexualismo", que trouxe como afirmação "científica", no Fantástico, a opinião de um médico-psiquiatra, que nada tem de cientista. Médicos podem, sim, ser cientistas, desde que trabalhem em pesquisa e não sejam meros administradores de receitas:

Dr. Marcelo Ribeiro, médico brasileiro que mora e atende nos EUA, responde ao jornalismo trans da Globo. A comparação com a anorexia é brilhante.
Se você é médico ou psicólogo e tem respeito pela verdade e pela sua profissão, o que está esperando para entrar na discussão também?
A Globo está de corpo, alma, chifres e tridente na construção da narrativa embusteira que tenta dar ares cientificistas a uma agenda ideológica e perversa que mira até em bebês. Como diz Ben Shapiro, a prioridade de qualquer sociedade é proteger suas crianças.
Pelo que saiu na imprensa, um bebê "trans" será tema de novela da emissora, por isso não é coincidência começarem a aparecer matérias "jornalísticas" como a do Fantástico tentando doutrinar a opinião pública com especialistas de araque.
A comunidade médica do Brasil precisa parar de olhar para o outro lado e ocupar seu espaço no debate, hoje dominado quase que exclusivamente pelos lobistas da erotização infantil.
Quando apenas um dos lados está lutando, é fácil saber o resultado final.

Marcelo Ribeiro
1 h
Quando diante de um paciente com anorexia que pesa 30 quilos mas enxerga uma pessoa com 300 no espelho, psicólogos tratam de mostrar ao paciente que a imagem no espelho não reflete a realidade. Quando o caso é de disforia de gênero, tais psicólogos passam a tentar curar a sociedade ao invés do paciente. Se desdobram pra provar que a imagem falsa que os pacientes veem no espelho é que é real e o resto do mundo que não compreende. Quando isso ocorre, esses "cientistas" já abandonaram a busca pela verdade e abraçaram a tara ideológica dos engenheiros sociais modernos. Ou seja, deixaram de ser cientistas e passaram a ser ativistas engajados.

3 comentários:

Anônimo disse...

Aplausos ao médico Dr. Marcelo Ribeiro que mora e trabalha num país respeitado. Deve ser por esse e outros "besterois" da porca mídia brasileira e seus jornalistas vermelhos amestrados que a gente acaba por se desiludir de viver em uma país de 3a. categoria com uma imprensa de 5ª categoria. Pindorama, você é falsa, imoral, corrupta e extorque diariamente até a alma de seus filhos.

Índio/SP

Anônimo disse...

A devassa Globo não passa da cloaca a ceu aberto do Brasil: toda sua agenda, desde as putarias das novelas e BBBs da vida a "noticiarios" são destinados à destruição da sociedade cristã em favor do globalismo niilista; enquanto isso, vai desinformando, sob forma de aparente informadora.
A perversa Globo quer ver o relativismo imposto na sociedade!
Há um esquema muito simples de acabar com ela: que todos nunca acessassem seus canais e ela, arrochada por descrédito popular, teria de mudar a programação ou de profissão!
Tudo depende de cada um de nós bloqueá-la!

Irmão do Eremildo disse...

Faz mais de 5 anos que não assisto TV, nenhum canal. Nas redes sociais, todos dias há comentários sobre o que passa na TV, isso, aquilo, o marxismo cultural, a ideologia, etc., todos comentam, condenam, contrapõe-se, propõem o boicote. TODOS ao comentarem, estão assistindo e não param de assistir, ainda que para malhar. É isso que a mídia quer: "Falem bem, falem mal, mas falem de mim". Como sujeito ativo nas mídias, sou obrigado a assistir TV todos os dias