terça-feira, 25 de abril de 2017

Campanha "Criança não namora" tenta reverter cenário de erotização precoce


O governo do Amazonas lançou campanha para combater a erotização precoce das crianças, apoiada pelo Conselho Nacional de Justiça. A propósito, reproduzo post de Ricardo Bordin - e torço para que a campanha seja veiculada nacionalmente:

Quando a rede pública de ensino expõe estudantes à sexualidade de forma prematura ou a mídia produz material impróprio para crianças, costumamos tecer críticas contra tais procedimentos, no intuito de preservar a infância, visando propiciar o adequado desenvolvimento da pessoa e a formação de um adulto mental e socialmente saudável. Nada mais justo, portanto, que iniciativas que vão na contramão da atual tendência de erotização infantil sejam elogiadas e copiadas.
A campanha “Criança não namora, nem de brincadeira” foi lançada pelo governo do Amazonas (o qual ganhou a parceria do Conselho Nacional de Justiça na empreitada), e objetiva combater a sexualização precoce, amplamente aceita e até mesmo incentivada (inclusive por muitos pais) em nossa sociedade.
Para os idealizadores do movimento, a principal meta é convencer os adultos do fato de que a relação natural entre meninas e meninos que ainda não chegaram à adolescência é a amizade. Incentivar o namoro na infância, para eles, pode “adultizar” e até mesmo estimular o desejo por experiências sexuais.
Tal precaução não equivale, em absoluto, a reprimir as expressões de afetividade da criança, mas tão somente a evitar transformar relações de respeito e carinho em namoro. Segundo relatado por professores, seriam comuns casos de crianças de quatro anos que se escondem para beijar na boca, e até mesmo pedidos de casamento aos cinco anos.
É trabalho fundamental de todos os envolvidos no processo educacional, pois, separar o mundo adulto do infantil. Cabe aos pais, em especial, orientar seus filhos durante as diferentes etapas do crescimento, não permitindo que importantes estágios deixem de ser vividos. Nesta conjuntura, trocar as músicas infantis por som de “balada” ( e suas coreografias frequentemente obscenas) nas festas de aniversário ou vestir as crianças com roupas e acessórios de adultos são atitudes que contribuem muito para o encurtamento da infância, dando vazão a sentimentos que elas ainda não estão prontas para compreender e processar em suas mentes.
E não adianta tentar jogar esta responsabilidade na conta dos professores: o trabalho da escola é fornecer a educação regular; incutir conceitos morais e limites de comportamento é tarefa dos genitores, para cuja execução eles, eventualmente, podem (e devem) receber ajuda de amigos e familiares, mas nunca esquecendo que o dever repousa sobre seus ombros.
Um indivíduo que tenha pulado a infância enfrentará embaraços para tornar-se um adulto maduro e responsável, pois passará o restante de sua existência tentando recuperar aquele período deixado para trás, além de apresentar dificuldade em assimilar as vicissitudes do cotidiano da vida adulta – virando um eterno púbere e potencial sujeito dependente de benesses estatais diversas (o típico membro da “juventude socialista” aos 50 anos de idade). Este fenômeno já foi melhor explicado neste artigo.
Não é bonitinho instigar beijinhos de namoro ou declarações de amor entre pessoinhas de pouco mais de um metro de altura. Tudo a seu tempo. É claro que os pedófilos não curtiram esta campanha, mas eles não podem reclamar: devem é se contar felizes por ainda estarem com vida – muito embora a Rede Globo (bem como a esquerda em geral) discorde disto veementemente, por óbvio.

4 comentários:

Anônimo disse...

A instigação sexual das crianças que as lev à perversão desde tenra idade, distribuição de preservativos e outras modalidades de procedimentos bandidos tem por finalidade atentar contra a fé cristã em primeiro e destruir as familias, lançando a sociedade nas mãos das caóticas ideologias das extremas esquerdas, apoiadas evidentemente por todos partidos comunistas e socialistas que são diabólicos!
Em suma, querem uma sociedade relativizada, fácil de ser dominada e escravizada, gado humano estabulado, planos e obras da ONU-Nova (des)Ordem Mundial!

Paulo disse...

Que bonitinho, só que agora é tarde! O bananeiro já virou (e é irreversível!) um povinho que vai viver eternamente na putaria trepando igual bicho e gerando mais porcaria ainda. Logo teremos meio bilhão de torcedores de futebol aqui.

Anônimo disse...

Parabenizo o governo amazonense pela iniciativa.

Índio/SP

shamijacobus disse...

QUO VADIS
Lá no Amazonas estão OS MAIORES PROCESSOS de pedofilia..rs,rs,rs
Com a entrada dos muçulmanos por lá(coincidências),logo logo teremos pedofilia,casamentos com crianças,estupros rotineiros e PROCESSOS por xenofobia,etc.
N França,esta semana um PROFESSOR foi CONDENADO por injúrias(?),difamação ou sei lá o que sobre EXCESSO de crianças muçulmanas nas escolas(pagas pelo contribuinte francês que trabalha) e seus hábitos culturais.
eu não guento