terça-feira, 11 de abril de 2017

Corja maldita: lista de Fachin inclui 9 ministros de Temer e a cúpula do Congresso.

É a maior devastação da política brasileira, que sempre foi integrante fiel do patrimonialismo: 76 inquéritos contra políticos a partir da delação da Odebrecht. O Brasil não tem jeito mesmo - pelo menos com a corja que aí está. Saquinho, por favor:


O ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), abriu 76 inquéritos contra políticos a partir do conteúdo da delação da Odebrecht. Desses inquéritos, o ministro determinou o fim do sigilo de 74 e manteve apenas dois sob sigilo. Além disso, o ministro determinou o arquivamento de sete fatos informados pelos delatores, mas que a própria Procuradoria-Geral da República não viu indícios para justificar investigações. Foram remetidas a outras instâncias do Judiciário 201 petições, com fatos que incriminam pessoas sem direito ao foro especial.

Fachin também devolveu para a PGR onze petições para que os investigadores expliquem melhor os indícios encontrados. O ministro ainda manteve sob sigilo 25 petições abertas no STF. O ministro deverá divulgar oficialmente em breve o nome de todos os investigados. Fachin planejava dar publicidade ao material somente depois da Páscoa. No entanto, como o jornal “O Estado de São Paulo” obteve o conteúdo na íntegra, o ministro decidiu antecipar a divulgação.

Segundo o jornal “O Estado de S. Paulo”, o presidente do PSDB, Aécio Neves (MG), e o presidente do PMDB, Romero Jucá (RR), são os políticos com o maior número de inquéritos. 5, cada. O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), ex-presidente do Senado, vem em seguida, com 4. Os despachos do ministros foram assinados eletronicamente no dia 4 de abril.

Ainda de acordo com a reportagem, um ministro do Tribunal de Contas da União e três governadores também serão investigados no Supremo, além de outros 24 outros políticos e autoridades que estão relacionadas às denuncias, mas não possuem foro privilegiado.

Segundo a reportagem, serão investigados no STF os ministros: Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil;Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República; Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia; Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional; Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores; Blairo Maggi (PP), da Agricultura; Bruno Araújo (PSDB), das Cidades; Roberto Freire (PPS), da Cultura; e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Padilha e Kassab responderão cada um em duas investigações.

Veja a lista aqui, publicada pelo jornal O Globo.

2 comentários:

Paulo disse...

Pois é. Como eu já disse antes e nunca é demais repetir: Todos esses vagabundos não vieram de Marte e nem foram importados. Foram todos paridos do povinho brasileiro e eleitos alegremente por este povinho para tudo quanto é cargo importante da nação. Não se esquecer também que em toda a história do pais esse povinho quando teve oportunidade para eleger seus representantes escolheu tudo quanto foi incompetente e corrupto mas nos últimos anos se superaram e elegeram de vez bandidos, terroristas e quadrilheiros. Claro, não devemos também nos esquecer que existem várias desculpas para isso e lá vão algumas: ¨Somos uma democracia jovem¨, ¨ das urnas eletrônicas¨, ¨dos americanos malvados¨, ¨da ditadura militar¨, ¨da falta de chuva¨, ¨das enchentes¨, ¨eu não sabia que ele era ladrão¨, ¨não tinha ninguém melhor para votar¨, ¨o outro candidato disse que ia cortar a bolsa-família¨, etc, etc e etc.

Anônimo disse...

Pindorama você explora até a alma de seus filhos. Drenem esse pântano por favor!

Índio/SP