sábado, 29 de abril de 2017

Sem adesão popular. Só deu pelego!

Merval Pereira afirma, em artigo publicado no Globo, que a greve se resumiu a parar o trânsito, forçando a população a "aderir" involuntariamente. De resto, fica provado que não há futuro para Lula e seu partido:


A greve de ontem, que antes de ser “geral” foi mais um imenso protesto de sindicatos e associações de classe, pode ter sido um sucesso do ponto de vista classista, mas não houve indicações de adesão popular às causas prioritárias do movimento, contra as reformas trabalhista e previdenciária.

Não resta dúvida de que a greve foi muito bem organizada, já que teve caráter nacional com o mesmo modo de atuação: o segredo é bloquear os transportes. E para fazer isso com eficiência, basta meia dúzia de militantes para fechar avenidas e estradas. A dispersão organizada é melhor que a concentração grandiosa em poucos pontos, e a Policia ainda ajudou ao não atuar preventivamente para impedir os bloqueios.

Paralisar a vida normal do país pode ter sido, no entanto, um tiro no pé, especialmente devido aos atos de vandalismo. Ter que usar piquetes e violência para impedir a ida ao trabalho e a circulação normal do transporte público, é prova de fraqueza do movimento; é prova de que não tem adesão popular. A ajuda dos black blocs só reforça essa sensação.

Não houve uma greve espontânea, do povo revoltado que resolveu protestar, e sim de sindicatos e de corporações que estão perdendo regalias nas reformas, principalmente o fim da contribuição sindical obrigatória. Tenho a impressão de que essa greve não vai influenciar as votações no Congresso, e pode ter sido uma evidência de que os temas, embora impopulares, não estão mobilizando a população tanto quanto as corporações sindicais sinalizam.

Em todo lugar do mundo reformas como a da Previdência ou a trabalhista provocam protestos e greves, e somente um governo como o de Temer, que não tem objetivos eleitorais após o término do mandato, pode se arriscar a concretizá-las.
Ao contrário, a base parlamentar que o apóia no Congresso depende do voto popular para manter-se na política, mas por uma dessas circunstâncias muito características da política brasileira, eles dependem mais do sucesso das reformas.

Caso não as aprovem, principalmente a da Previdência, não há futuro para o governo Temer e, conseqüentemente, também para eles. Já fizeram parte da base aliada dos governos Lula e Dilma por razões nada republicanas, mas os abandonaram para voltar a suas origens políticas.

É uma base liberal- conservadora que não tem lugar em um projeto de governos esquerdista depois que foi revelado o esquema de corrupção que sustentou essa estranha simbiose.

Com algumas exceções regionais, como é o caso de Renan Calheiros em decadência eleitoral em Alagoas, a maioria dessa base parlamentar está mais bem acomodada num governo conservador como o de Temer do que numa aliança com partidos de esquerda que se sustenta à custa do puro fisiologismo.

A melhor aposta para essa grande massa parlamentar é na melhoria da economia com um projeto liberal, mesmo por que a alternativa da “nova matriz econômica” já deu com os burros n’água.

Além do mais, há outros fatores importantes nessa equação, um deles sempre presente é a Operação Lava Jato. Na próxima semana haverá o novo depoimento do ex-diretor da Petrobras indicado pelo PT Renato Duque, que se manteve calado por quase três anos preso. Outro que em breve fará a delação premiada é o ex-ministro Antonio Palloci, homem forte de Lula e Dilma.

Não há futuro brilhante para o PT ou Lula, ou pelo menos jogar com essas cartas parece mais arriscado do que manter a atual posição governista. Tudo isso, no entanto, não torna fácil a aprovação de uma emenda constitucional que exige pelo menos 308 votos em duas votações na Câmara e outras duas no Senado, também com quorum qualificado.

O mais provável é que o relatório sobre a reforma da Previdência seja apresentado na Comissão de Constituição e Justiça no dia 8 de maio, e a partir daí o governo avaliará qual o melhor momento para colocar o projeto em votação no plenário.

3 comentários:

Anônimo disse...

Este cidadão deveria ter vergonha na cara: enquanto alardeia de ser o mais honesto, os seus comparsas detonam a cidade.
Algo não combina.

Anônimo disse...

NOTA DE AGRADECIMENTO:
Agradeço ao PT, aos petistas, as Centrais Sindicais(à CNBB e mais seitas grandes protestantes) e a todo esse povo de esquerda que promoveu a greve de ontem. Vocês foram fantásticos!
Com isso o Brasil pode confirmar o que já se sabia há tempos: um bando de vagabundos lutando para poder continuar a vagabundagem e mamando nas tetas gordas as quais agora secaram.
(FOI A GREVE DAS ESQUERDAS CONTRA O CORTE DO IMPOSTO SINDICAL, APENAS ISSO)!
Foi lindo ver trabalhadores querendo trabalhar e essa turma desonesta os impedindo com toda truculência "democrática" que lhe é peculiar; foi lindo ver ambulâncias paradas no trânsito enquanto as belezinhas queimavam pneus fechando ruas e estradas.
Mais lindo ainda foi ver esses psicopatas bradando "paramos o país" em um momento que o país mais precisa se mover (em virtude de seus próprios ídolos terem afundado nosso país no desemprego e recessão).
A greve seria um sucesso se fosse VOLUNTÁRIA. A greve seria um sucesso se pudéssemos ter visto outras cores além da vermelha nas manifestações.
Meu agradecimento, sobretudo, é por vocês nos mostrarem a cada dia qual o caminho que NÃO devemos seguir e quem NÃO devemos apoiar!
aliás, o apoio de toda a esquerda aos políticos e partidos corruptos reforçam o desejo de toda a maioria de gente de bem (e honesta) da população brasileira (que abomina a desonestidade e corrupção) a repudiar cada dia mais tudo o que vem da bandeira vermelha(MARTELO E FOICE DO PT & ASSOC).
Por essas e outras a esquerda levou um chute no rabo nessas eleições 2016 - mas nada comparável ao completo extermínio que ocorrerá em 2018.
Obrigado esquerda! Vocês são os maiores adversários de vocês mesmos.
by Fabio Barros Freire
E AINDA TOMAM UM DIA DE TRABALHO DOS TRABALHADORES E NÃO DOS "TRABAIADÔ" DO PT E COMPARSAS)
By Fábio Barros Freire

Anônimo disse...

BRASIL - 16.293 + 250 $indicato$ criados/ano - campeão mundial - como era, no tempo do imposto sindical obrigatorio!
Quem queria perder essa bocada e eleições de sindicato, v sabe, vale tudo!
USA - 127
Argentina - 91
Inglaterra - 27.
O resto v entende o que está por trá$ di$$o!...
Os vândalos amanhã, dia 1º de Maio, na maior cara de pau sairão de roupas vermelhas em nome do PT, das Centrai$ $indicai$-CUT putos da vida por lhes ter cortado o IMPO$TO $INDICAL!
Assim, estarão protestando em defesa do "trabalhadore$", embora a gente saiba que os vermelhos vêm tapeando ser tudo em nome do "povo", mas para eles, por trás, lutam pelos lucros apenas dos "COMPONENTE$ DA MAFIA COMUNISTA"!
"Povo" é apenas cortina de fumaça para esses baderneiros se esconderem, uns golpistas e oportunistas, e não darem na pinta de suas verdadeiras intenções, de ser mera manipulação das massas!
Sabemos que os comunistas são mestres em trapaças, embora acusem os outros de serem os golpistas!
Esses aí são dos mesmíssimos anarquistas incendiarios Black Blocs, vandalizando por acabarem com a vidinha boa deles pelo veto obrigatorio de receberem o IMPO$TO $INDICAL e nas horas vagas agem de "defen$ore$ dos trabalhadore$"!