terça-feira, 16 de maio de 2017

É o fim de Lula: Léo Pinheiro apresenta prova dos encontros com o tiranete.

Já não falta pá de cal para sepultar de vez o tiranete populista. Com as provas fornecidas por Léo Pinheiro, adeus, demagogo:


O ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro, o Léo Pinheiro, entregou à Justiça, nesta segunda-feira, 15, ‘registros de encontros’ com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com o presidente do Instituto Lula Paulo Okamotto e com o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, e-mails e documentos internos da empreiteira e mensagens do telefone celular do executivo. A defesa de Léo Pinheiro afirmou que os registros dos encontros estavam na agenda dos celulares do empreiteiro.

Um dos arquivos entregues por Léo Pinheiro tem 41 páginas. O documento indica três reuniões no Instituto Lula: em 23 de fevereiro de 2012, em 27 de julho de 2012 e 16 de abril de 2013.

O material foi anexado à ação penal na qual Léo Pinheiro e Lula são réus. Os documentos foram entregues com o objetivo de corroborar o depoimento do empreiteiro. Ao juiz federal Sérgio Moro, o executivo afirmou que o triplex ‘era de Lula’.


Lula é acusado pelo Ministério Público Federal de receber R$ 3,7 milhões em benefício próprio – de um valor de R$ 87 milhões de corrupção – da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012. As acusações contra Lula são relativas ao recebimento de vantagens ilícitas da empreiteira por meio do triplex 164-A no Edifício Solaris, no Guarujá (SP), e ao armazenamento de bens do acervo presidencial, mantido pela Granero de 2011 a 2016. O petista é acusado de lavagem de dinheiro e corrupção.

Uma das mensagens anexada por Léo Pinheiro é de 22 de fevereiro de 2014. O empreiteiro conversa com a filha e escreve. “Voltando de SBC. Trânsito horroroso no Ibirapuera.”

egundo a denúncia da Lava Jato, em fevereiro de 2014, Léo Pinheiro solicitou a Fábio Yonamine, então presidente da OAS Emprrendimentos que o apartamento 164-A do Condomínio Solaris fosse preparado ‘com sua limpeza e retoques na pintura’ para a visita de Lula. No dia da visita, afirma a força-tarefa da Lava Jato, Fábio Yonamine encontrou Léo Pinheiro e foram no mesmo carro para São Bernardo do
Campo/SP, onde encontraram Lula e a ex-primeira-dama Marisa Letícia (morta em fevereiro de 2017). De lá, seguiram todos para o Condomínio Solaris, em Guarujá/SP. Em depoimento a Moro, Lula confirmou que esteve uma vez no triplex, em fevereiro de 2014.

Na agenda de Léo Pinheiro, há a indicação de encontro com Fabio Yonamine entre 1 e 2 de fevereiro. “Res. Dr. Léo – Após ir para o Guarujá.”

Em outra mensagem entregue à Justiça, um interlocutor diz a Léo Pinheiro em 6 de junho de 2014. “Léo, amanhã vou pra o nosso tema para esvaziar o lago para impermeabilizar. Eles, eu soube que vão estar lá para acompanhar a despesca. Mas não tenho certeza. Se desejar podemos combinar.”

Segundo o Portal da Transparência, um dos seguranças de Lula esteve em Atibaia entre 6 e 10 de junho.(Continua no Estadão).

6 comentários:

Anônimo disse...

Esse traste já deveria estar vendo o sol quadrado há muito tempo pois as acusações contra ele estão como chuva de granizo!
Esperamos que seja preso e seus direitos sejam suspensos, cassados pelos 8 anos a que tem pleno direito e méritos adquiridos!

Anônimo disse...

Alguém conhece um tal Gustavo Horta?

https://gustavohorta.wordpress.com/

Anônimo disse...

Erva daninha tentando vender mercadoria falsa e danosa:

"Anônimo Gustavo Horta" (terça-feira, maio 16, 2017 8:33:00 PM) divulgando uma agressão à inteligência: defesa desavergonhada do Lula!

Orlando Tambosi disse...

Não conheço nem quero conhecer.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Dentro dos partidos comunistas só existem 2 tipos: o sanguessuga, lá em cima; enquanto isso, cá em baixo em meio ao povo, o burro de carga dos burgueses do poder, comendo o pão que o diabo amassou com as patas!