segunda-feira, 8 de maio de 2017

Sem privilégios: Moro nega pedido de gravação do tiranete Lula.

A defesa do tiranete Lula queria modificar o sistema de gravação - tudo para transformar o depoimento do penta-réu em ato político-partidário. Lula merece cadeia também por ser contra a democracia e o Estado de Direito:


O juiz Sergio Moro negou na manhã desta segunda-feira o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que a audiência da próxima quarta-feira não mostre apenas o depoente, mas também o juiz e outros presentes durante o interrogatório. Em seu despacho, o magistrado afirma que o ex-presidente e sua defesa pretendem transformar o interrogatório em um "evento político-partidário".

Um dos objetivos do PT em gravar o depoimento, segundo o blog do colunista Lauro Jardim, é usar as imagens na campanha do ex-presidente em 2018. Ao negar o pedido, Moro citou como exemplo a convocação de militantes do PT para manifestações de apoio em Curitiba. Segundo ele, a gravação pela parte da audiência com "propósitos político partidários não pode ser permitida pois se trata de finalidade proibida para o processo penal".

"Não se ignora que o acusado Luiz Inácio Lula da Silva e sua defesa pretendem transformar um ato normal do processo penal, o interrogatório, oportunidade que o acusado tem para se defender, em um evento político-partidário, tendo, por exemplo, convocado militantes partidários para manifestações de apoio ao ex-presidente na referida data e nessa cidade, como se algo além do interrogatório fosse acontecer. Assim, há um risco de que o acusado e sua defesa pretendam igualmente gravar a audiência, áudio e vídeo, não com finalidade privadas ou com propósitos compatíveis com os admitidos pelo processo, por exemplo permitir o registro fidedigno do ocorrido para finalidades processuais, mas sim com propósitos político-partidários, absolutamente estranhos à finalidade do processo", afirmou Moro no despacho.

Moro afirmou que foram ouvidas as outras partes do processo, como o Ministério Público Federal e os advogados de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, "com tantos direitos como o ex-presidente" e que todos discordaram que a defesa de Lula fizesse uma gravação.

Ele disse ainda que a forma de gravação atual, focada no depoente, não resulta em prejuízo aos acusados.

"A câmera é focada no depoente, acusado ou testemunha, porque se trata do elemento probatório relevante e que será avaliado pelos julgadores das várias instâncias. Não há qualquer intenção de prejudicar o acusado ou sugerir a sua culpa com esse foco, tanto assim que o depoimento das testemunhas, que não sofrem qualquer acusação, é registrado da mesma forma. Aliás, esse é um procedimento não deste Juízo, mas de toda a Justiça Federal da 4ª Região, de gravar os depoimentos com o foco no depoente", disse Moro.(O Globo).

2 comentários:

Anônimo disse...

Se o deus Lula não se sentisse de rabo preso teria pedido há tempos é a antecipação do interrogatorio, pois ele nada teria a ver com toda essa corrupção que o acusam e estaria com provas cabais de sua não participação!
Mas, essa de a cada momento tentarem protelar seu depoimento -sabemos que está perdido e interiormente sabe o que ele é, bandidão - mas excelente ator de teatro que é, sabe dissimular muito bem nas novelas-PT, é mestre em acusar os outros de seus erros e jamais nada assumir dos que ele praticou!
Acha-se um deus, acima de tudo e de todos que devem estarem lhe queimando incenso por sua "divindade"!
É um imperador romano ressurgido
das tumbas?
Tá!

César de Castro Silva disse...

Nem o caso Bill Clinton, quando Presidente da maior potência do planeta, ao ser processado pelo Ministério Público dos EUA, no caso da estagiária Monica Lewinsky, teve tanta importância nem tanto barulho quanto os petistas estão querendo dar ao caso Lula da Silva. Acho que nem o julgamento de Jesus Cristo perante Pôncio Pilatos teve a importância do julgamento do réu Lula da Silva.