quinta-feira, 13 de julho de 2017

Perdido, Lula recorre a "fake news" para reagir à condenação.

Vera Magalhães, no Estado, sobre a desrespeitosa reação de Lula à condenação em sentença de Sérgio Moro (apenas discordando, Vera: Lula nunca teve compromisso com os fatos, isto é, com a verdade):


Lula perdeu qualquer compromisso com os fatos. Nesta quinta-feira, reuniu companheiros, advogados e amigos para conceder o que chamou de entrevista coletiva. Como não foram permitidas perguntas de jornalistas, como é praxe nesses eventos, tratou-se, na verdade, de um monólogo. Primeira de várias fake news da tarde.

A partir daí, Lula passou a contar um causo sobre como foi perseguido por um conluio que envolve Judiciário, Ministério Público, partidos políticos, imprensa, Polícia Federal, empreiteiros, demais delatores e outros culpados.

Falando propositalmente “tiprex” e “adevogados” e propósito, recorrendo ao fato de ter estudado apenas até o quarto ano primário e se dizendo leigo em Direito, sentiu-se livre para criar a narrativa da vítima.

Segundo Lula, ele “leu” várias notícias segundo as quais os presos na Lava Jato eram primeiramente inquiridos em seus depoimentos sobre “o que tinham a entregar sobre o Lula”.

Afirmou que não há nenhuma prova na sentença do juiz Sergio Moro, a despeito de ele ter sido exaustivo em enumerá-las.

Disse que Leo Pinheiro decidiu dar depoimento contra ele depois de ver uma reportagem no “Fantástico”, da Globo, que mostrava as maravilhas da delação premiada — quando a delação, ainda nem fechada, foi negociada bem antes e ele já não está em regime fechado há meses.

Falou várias vezes que não há “nenhum papel”, fala sobre a rasura no documento — que foi periciado pela PF — como algo plantado por “eles”.

Numa sequência de fatos que foi enumerando sem compromisso com os fatos, disse que a denúncia de que era proprietário do triplex foi “inventada” pelo jornal “O Globo”, depois virou “mentira” em um inquérito da PF, foi “aceita” pelo Ministério Público, divulgada pela imprensa e aceita pelo juiz Moro.

Em mais uma mentira, Lula disse que “até agora não tinha postulado” uma candidatura a presidente, quando não faz outra coisa há mais de dois anos que não seja campanha presidencial. Inclusive já se disse candidato em viagens pelo país e em outros pronunciamentos cercado de papagaios de pirata.

Insistiu na tese do golpe, culpou a Globo, mas em seguida afirmou que a emissora quer dar “um golpe dentro do golpe” ao apresentar as acusações contra Michel Temer — sem nem ligar para a contradição da fala.

Lula afirmou que foi condenado pela “teoria do power point”, omitindo que Moro, na sentença, descartou analisar se ele era ou não o chefe do esquema do petrolão, por entender que isso era irrelevante para o processo em tela.

O tom de deboche foi outra tônica do pronunciamento, para além da narrativa fake. Lula disse que não leu a sentença na véspera porque estava preocupado com o jogo do Corinthians, saudou a condenação de ficar 19 anos sem ocupar cargos públicos como um sinal de que Moro acredita que ele vai viver até 2036, afirmou que seria bom que lhe dessem o triplex do Guarujá para pagar a multa imposta pela Justiça e outras piadinhas.

A cada uma, disparava a claque de risadas dos acólitos, que não se vexavam inclusive de chamá-lo de “guerreiro do povo brasileiro”.

Colocando os filhos dos jornalistas sem nenhum pudor, Lula fingiu se emocionar num desagravo a dona Marisa.

Ou seja: foi um pronunciamento que não se preocupou em responder a nenhuma das imputações factuais da sentença, misturou política e processo, inventou denúncias e circunstâncias de depoimentos e mostrou um político que resolveu recorrer ao cinismo e ao messianismo como últimas trincheiras.

2 comentários:

Anônimo disse...

O excelente ator Lula num capítulo da novela PT, encena que está sendo perseguido pelas marvadas dazelites, donos de empreiteiras, burgueses, duzamerikanu, CIA, banqueiros etc., enfim, dos que detestam os pobres!
Será que não seria obra dessa mardita "Ditadura Militar" que conspira contra Lula?

Anônimo disse...

De um porco só podem vir mesmo porcarias.

Parabéns aos petralhas que continuam idolatrando esse excremento. Merecem-se.