sexta-feira, 11 de agosto de 2017

União fraterna PT/PSDB

Dora Kramer, em Veja.com, critica a união de PT e PSDB, abraçados depois de repetidos fracassos:


Tantas e tão vãs tentativas de alguns bem intencionados em unir PT e PSDB foram agora recompensadas. Depois de repetidos fracassos, os dois partidos estão unidos. No infortúnio, mas unidos. A pretendida auto-crítica pública proposta pelo presidente em exercício do PSDB, senador Tasso Jereissati, foi repudiada no partido. O petista Tarso Genro, quando assumiu interinamente a presidência do PT, também propôs o mesmo (chamou de “refundação”) e da mesma forma foi desautorizado. Auto-crítica é sinal de fraqueza, argumentavam os petistas. Assumir erros, argumentam tucanos, é dar armas para a oposição. Ou seja, mostrar-se enfraquecido.

Agora pergunto à cara leitora e ao prezado leitor: algum de vocês enxerga forças nesses partidos? A negação do erro, sabe qualquer especialista em dependência (seja química ou política) é a característica inicial do viciado. No caso, na ilusão do controle que a eles devolveria o poder. Que bobos, os tucanos. Viram o PT desperdiçar a chance da remissão, descartar seus melhores quadros e jogar a legenda no lixo da história. Tão inteligentes e preparados, fazem o mesmo.

2 comentários:

Anônimo disse...

Alguma novidade? PSDB sempre foi PT enrustido.

Laranja Triplex disse...

Não gosto do PSDB, votei algumas vezes no partido por falta de opção, mas é interessante notar como de uma hora para outra toda mídia televisiva e imprensa virou especialista no partido, sabem tudo do PSDB, se preocupam com o futuro do partido, muitos inclusive já decretando o fim do partido.
Nunca vi tanta crítica com o PT. Nunca vi um jornalista decretar o fim do PT. Nem no mensalão e nem agora no Petrolão.