quinta-feira, 22 de março de 2018

Lula e a justiça no limbo

Na próxima segunda, Lula poderá ser preso, mas não poderá ser preso. Incrível! Texto de Eliane Cantanhêde, via Estadão:


O Supremo Tribunal Federal decidiu não decidir e isso joga a principal questão jurídica e política do País num limbo inacreditável, não por algumas horas ou alguns dias, mas ao longo da Semana Santa, até 4 de abril. O ex-presidente Lula vai ou não ser preso? Se for, quando?

Essa não-decisão é angustiante para os eleitores, os candidatos, os partidos, os investigadores, os advogados. Imagine-se como está sendo para o próprio alvo do habeas corpus que deveria, mas não foi julgado: o próprio Lula.

A questão fica ainda mais dramática por causa do calendário da própria Justiça, já que o TRF-4, em Porto Alegre, vai concluir o julgamento de Lula na próxima segunda-feira. Se os desembargadores votarem os embargos de declaração de forma unânime, como é esperado, Lula já poderá ser preso a qualquer momento após os cumprimentos de formalidades.

Então, Lula já poderá ser preso, sem que ninguém saiba se o Supremo vai, ao final e ao cabo, acatar ou não o habeas corpus que pode suspender e adiar a prisão do ex-presidente mais popular desde a redemocratização. Em resumo: Lula poderá ser preso, mas não poderá ser preso. Estará de malas prontas para uma sala especial na Polícia Federal ou equivalente, mas sem saber se o avião vai decolar _ ou o camburão vai engatar primeira.

Sinceramente, a posição do Supremo foi um vexame foi ainda agravada pela história inacreditável da liminar inédita. Agora, é preciso que fiquem claros os motivos do adiamento de hoje. Havia “força maior”? Ou ministros estavam morrendo de pressa para correr para o aeroporto de Brasília?

Tudo isso ocorre justamente na semana em que o Brasil assistiu ao vivo, e em insistentes repetições pela TV, pelo rádio, pela internet, aquele pugilato verbal entre Suas Excelências Gilmar Mendes e Luis Roberto Barroso, em que as trocas desaforos saíram perigosamente de limites minimamente razoáveis, com Gilmar falando de “espertezas” e ilustrando com votos de Barroso e este acusando o colega de ser “uma vergonha” para o Supremo, “uma mistura do mal com o atraso e pitadas de psicopatia”.

Talvez os ministros da mais alta corte brasileira não estejam entendendo devidamente o que está acontecendo: um enorme desgaste do tribunal e deles próprios. E num momento de muita irritação com as instituições, seus personagens, decisões e erros.

Aliás, um registro importantíssimo do dia, que estava prometido como um dia histórico: o “povo”, onde estava o “povo”? Quem circulou pela Praça dos Três Poderes se deparou com um forte esquema policial, alguns megafones e um único momento de estresse quando agentes impediram o uso de balões, até do “Pixuleco”, que reproduz a imagem do Lula vestido de presidiário e viaja pelo País.

A militância petista, favorável a Lula e ao habeas corpus, não deu as caras. A militância antipetista, contrária a Lula e ao HC, também não se deu ao trabalho de lotar a praça e manifestar indignação para um lado ou para outro. Havia mais policiais do que militantes, o que diz tudo.

É assim que o Brasil vai aos trancos e barrancos, com as instituições surpreendendo, apagões prejudicando 70 milhões de pessoas, milícias suspeitas de assassinar uma vereadora defensora dos direitos humanos... Enquanto os brasileiros perdem a energia, o ânimo e talvez a crença de que vale a pena lutar, gritar, cobrar, exigir. É mais confortável ficar sentado diante de um celular ou de um computador e jorrar impropérios a torto e a direito.

5 comentários:

Anônimo disse...

Hoje você é quem manda
Roubou, tá roubado
Não tem discussão
A minha gente hoje anda
Com um rancor danado
E o chama de ladrão, viu
Você que inventou esse estado
E inventou de inventar
O tal do Petrolão
Você que roubou um bocado
Esqueceu-se de pensar no povão
Apesar de você
Amanhã há de ser outro dia...

Anônimo disse...

suas excrescências gilmar mendes e luis roberto barroso têm razão em sua irrazão. O Brasil? Ora, só um mísero detalhe.

Mas é cedo pra achar que o ânimo arrefeceu! Verás que um filho teu não foge à luta! Em outubro, no mais tardar, lullalau e a orcrim viram pó.

Anônimo disse...

Então, Lula já poderá ser preso, sem que ninguém saiba se o Supremo vai, ao final e ao cabo, acatar ou não o habeas corpus que pode suspender e adiar a prisão do ex-presidente mais popular desde a redemocratização...
Prestem bastante atenção nessa frase de cima falsaria:
"ex-presidente mais popular desde a redemocratização...Mas, cuja popularidade foi montada nos laboratorios de engenharia social da midia comprada, como dos JN da vida, no tempo que não haviam as redes sociais, fama hoje desmanchada e lançada no aterro sanitario!
Um comunista e portanto bandidão que a midia era paga prá chamá-lo de honesto e mentir para o povo!

Anônimo disse...

Vou me embora, vou me embora
Eu aqui fico mais não
stf maldito
Salvou o rato ladrão

Anônimo disse...

Artur Nogueira diz:
A vida como ela é....ou melhor, o Brasil como ele é.....
Alguém tinha dúvidas de que o Lula ganharia esse “round” nesta interminável batalha judicial??
Pararam para pensar o que representa ou representou o lulopetismo desde a fundação do PT (partido dos trabalhadores)? Então, sejamos honestos- não é pouca coisa não...é a correia principal da engrenagem que move o Estado brasileiro- corporativismo/patrimonialismo/clientelismo e suas ramificações populistas.
Alguém tem dúvidas que os mandarins dessa estrovenga denominada de república do Brasil dão “bola”(se preocupam) para esses conceitos de ética, democracia, estado de Direito???
Ultrapassaram o sinal vermelho da decência, da ética?? Não! Nem mais o céu é o limite....ou nunca o céu foi o limite prá essa gente encastelada no poder, seja qual deles, em quaisquer instância.
No Brasil não se faz o jogo político sem um conluio, sem um conchavo, sem uma maracutaia , sem propinas. E tudo muito bem organizado e legitimado. Em todas instâncias.
Vez em quando, alguns lambaris/bagres não ensaboados caem na rede.
Podem cair alguns peixões, que serviram de boi de piranha, mas em breve estarão lindos, leves e soltinhos da silva, caindo nos braços do povo. Ah o poder... dolce far niente...como é bom viver do Estado...
E como a grande massa é inculta, subserviente ,oportunista e dependente do Estado, acaba também legitimando as práticas dessa forma de fazer política.
Povo servil, servidão humana.
Nesse jogo político, a “esquerda” dotada de uma enorme perspicácia soube ocupar mentes e
corações , mesmo agredindo a lógica com seus argumentos.
O partido dos honestos, dos intelectuais, dos probos, dos defensores dos excluídos exagerou na conta. Tragédia anunciada.
Sim, mas eles vem , há tempos, fazendo a lição de casa certinho, à maneira deles. Eles entraram no jogo para valer. Nós fizemos de conta. Nós é que abaixamos a cabeça, nos omitimos e deixamos de ocupar espaços importantes e influentes na política.
...la nave vá....