quinta-feira, 19 de julho de 2018

Ciro derrotado: Alckmin encaminha aliança com o centrão.

Líderes do bloco partidário dizem que termos de acordo com o tucano foram fechados, restando agora uma validação interna formal nos partidos para ser anunciado. Reportagem da Gazeta do Povo:


Depois de uma reunião com o pré-candidato a presidente Geraldo Alckmin (PSDB) nesta quinta-feira (19), em São Paulo, líderes do Centrão disseram que os termos do acordo com o tucano foram fechados, restando agora uma validação interna formal nos partidos para que seja anunciado. A aliança deve mudar a correlação de forças da eleição, dando a Alckmin capilaridade e o maior tempo de TV.

Os partidos do Centrão têm, juntos, 171 segundos por bloco. Sozinho, Alckmin já tinha 78 segundos. Com a aliança, o tucano chega a 249 segundos (4 minutos e 9 segundos). Com os 111 segundos (1 minuto e 51 segundos) de PPS, PV, PTB e PSD, com quem já está aliado, Alckmin chega a 360 segundos (6 minutos). Adversário histórico do PSDB, o PT tem 95 segundos (1 minuto e 35). Alckmin disse, por meio de sua assessoria, que nada foi definido e anúncios ficarão para a próxima semana.

Uma das principais resistências à aliança com o tucano foi vencida, a do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). Ele foi convencido a desistir de Ciro Gomes (PDT) por seus rompantes e incompatibilidade ideológica, especialmente depois de uma conversa entre economistas dos dois grupos.

O bloco, formado por DEM, PP, Solidariedade, PR, Avante, PRB e PHS sugeriu Josué Alencar (PR) para a vice na chapa. Alckmin não demonstrou resistência, ao contrário, disseram participantes. O tucano se encontrou em uma casa nos Jardins com o presidente do DEM, ACM Neto, Rodrigo Maia, os deputados Paulinho da Força (SD-SP) e Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Marcos Pereira (PRB), e Luís Tibé (Avante-MG).

Segundo relatos, o presidenciável tucano se comprometeu a estudar uma forma de compensar o fim do imposto sindical de forma a garantir a sobrevivência dos sindicatos. Outro ponto a ser ainda trabalhado são os palanques estaduais, sendo Minas Gerais o principal foco de atenção. O DEM havia dado legenda para Rodrigo Pacheco se lançar ao governo mineiro. Com a aliança, precisa redefinir a chapa, já que PSDB tem o ex-governador Antonio Anastasia como pré-candidato.

A recondução de Maia na presidência da Câmara está subentendida no acordo, disseram líderes do bloco.

9 comentários:

Anônimo disse...

De novo! elles se entendem e o País se dana. Que conversa é essa de "compensar o fim do imposto sindical"? De volta ao passado, malandros?

Orlando Tambosi disse...

Bolsonaro não tem partido. É um fato.

Orlando Tambosi disse...

E Ciro merece jaula.

PAULAO disse...

Rodrigo bosta e imposto sindical?

Anônimo disse...

ALCKMIN, DO PSDBosta NO PEDAÇO?
Ah, coitchado, ESTAMOS SIMLESMENTE ESCALDADOS COM A DUPLA INSEPARAVEL PSDB-PT e nós do povo não temos bandidos preferidos, escolhendo qualquer um desse naipe e que fingiam num lindo teatro de serem oposiçao um do outro!
Jamais, sob hipótese alguma, nunca acreditamos num socio e parceiro do PT quando fala, só saí merdelê e mentiras e falsas promessas.
Duvidam que Alckmin se pudesse não daria apoio a Lula e tiraria ele da prisão?
NÓS IREMOS DE BOLSONARO E BANCADA MILITAR!

Anônimo disse...

É fato que Bolsonaro não tem partido, mas ele conhece bem o congresso, ao contrário de bollor de mello e da oligofrênica. Assim, se for mesmo eleito, o risco de isolamento e sabotagem será menor.

Anônimo disse...

Podem dar um especial por semana de 24H para Geraldo Alckmin, este não decola de maneira alguma. Não tem apelo com o povão, não tem apelo com as zelites, encanta algumas velhinhas crédulas e idiotas desavisados. Até mesmo em São Paulo sua candidatura não está pegando. Até o eleitorado paulista já se cansou de Alckmin.

Anônimo disse...

Boicote total ao horário eleitoral !,,
Horário eleitoral = mentiras e mais mentiras; calúnias grosseiras e baixas contra adversários; promessas que nunca serão cumpridas entre outros despautérios ainda mais escabrosos.
Assistir pra que? Para se deixar enganar? Ser ludibriado de modo vergonhoso e rasteiro?
Bolsonaro terá míseros 8 segundos para participar dessa farsa e é ótimo que seja assim: não precisou vender a alma ao Diabo como Alckmin fez - até à volta o imposto sindical ele prometeu ao famigerado “centrão “!
Precisamos fazer essa campanha nas poderosas redes sociais: BOICOTE O HORÁRIO ELEITORAL - NÃO ASSISTAM !

Anônimo disse...

AJUNTE-SE ALCKMIN COM O CENTRÃO, SINÔNIMO DE ESQUERDÃO! Ninguém lá de casa e parentes votarão no fariseu CENTRÃO-ESQUERDÃO!