domingo, 8 de julho de 2018

O fracasso do juiz que só apita a favor de Lula

A tentativa de tirar o chefão da cadeia ampliou o prontuário de Favreto e confirmou o que aqui se publicou em outubro passado. Coluna de Augusto Nunes:


Em 31 de outubro de 2017, esta coluna publicou a biografia resumida de Rogério Favreto. Militante do PT desde a década de 90, foi premiado em 2011 por serviços prestados ao partido que virou bando. Graças à presidente Dilma Rousseff, o advogado tornou-se desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, baseado em Porto Alegre.

Favreto não gostou do que leu, e decidiu mover um processo contra mim. Neste domingo, ao tentar resgatar da cadeia o ex-presidente Lula, o doutor afrontou o Estado Democrático de Direito, debochou do Poder Judiciário e reafirmou que não perde nenhuma chance de mostrar que é devoto fervoroso da seita que tem como único deus um presidiário condenado a 12 anos e 1 mês de cadeia.

O desembargador trapalhão não conseguiu livrar da cadeia o chefão. Mas acaba de me absolver: o fiasco que protagonizou neste 8 de julho confirmou, da primeira linha ao ponto final, tudo o que afirma o artigo de outubro passado, Confira:

O advogado Rogério Favreto filiou-se ao PT em 1991. Meses mais tarde, quando Tarso Genro se elegeu prefeito de Porto Alegre, foi premiado com o emprego de procurador-geral da prefeitura da capital gaúcha. Em 2005, ganhou um cargo de assessor na Casa Civil do governo Lula. Em 2007, de novo convocado pelo companheiro Tarso Genro, ssumiu o comando da Secretaria da Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça. E ali ficou até 2010, quando deixou o cargo e o PT.

Deixou a sigla para continuar a serviço do partido no Judiciário. Em 2011, beneficiado por uma dessas espertezas brasileiríssimas, o advogado foi promovido a magistrado por Dilma Rousseff. Foi ela quem fez de Favreto um dos juízes do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Fantasiado de desembargador, há mais de três anos o doutor não perde nenhuma chance de mostrar que é muito grato aos padrinhos e exemplarmente leal à seita que vive celebrando missas negras em louvor do mestre bandido.

Como cabe ao Tribunal da 4ª Região revisar as decisões da Justiça Federal em Curitiba, Rogério Favreto atira em tudo que ameace o PT e seu chefe supremo. Foi ele, por exemplo, o único a votar pela abertura de um processo disciplinar contra Sérgio Moro, acusado de agir por “índole política”. É ele o único a discordar sistematicamente de tudo o que o juiz da Lava Jato faz, diz ou pensa. É ele também o único a desaprovar todos os procedimentos adotados pela força-tarefa do Ministério Público Federal que age na Lava Jato.

“Isso sim é que é juiz!”, certamente murmuram Lula, Dilma e demais admiradores da justiça bolivariana inaugurada na Venezuela. Se o povo brasileiro não tivesse reagido a tempo, se a seita lulopetista continuasse no poder, um desses favretos da vida já estaria reinando no Judiciário como presidente perpétuo do Supremo Tribunal Federal.

6 comentários:

Anônimo disse...

O nome certo é pobreto.

Anônimo disse...

Deu muito na cara, sô Favoreto, favorecendo o PT e mostrando seu bandido peferido; deveria ter usado doutros estratagemas, mais dishcretos...
Cara de pau e quebrada; assim, não!
Parente do Toff-Tóffoli?
"Antes de dormir, sua mente trama ações cruéis; nada há de bom no caminho que escolheu, apega-se ao mal cada vez mais". Sal 35,4.
"Porquanto, os maus não conseguem conciliar o sono enquanto não praticam o mal; não podem dormir se não fizerem tropeçar alguém; pois eles se alimentam com o pão da malignidade, e se embriagam com o vinho" Pro 4 16-17.…

Marat Silva disse...

Esse é daqueles crentes que se o deus dele disser que é chocolate ele come e pede biz.

Anônimo disse...

E eu ... pobre brasileiro ... achando que desembargadores precisavam de concursos públicos ...
Temos que passar na faca todos os nomeados por PT ...

César de Castro Silva disse...

Quando o Bolsonaro assumir a presidência, em janeiro de 2019, no outro dia deve enviar uma emenda constitucional mudando os critérios para escolha de membros do STFe demais tribunais, excluindo totalmente as nomeações políticas, para evitar ministros como o Toffoli e seus colegas da 2ª turma. Não dá mais para tolerarmos ministros que decidem conforme suas convicções partidárias, a exemplo desse desembargador que mandou soltar o Lula hoje, está no TRF4 indicado por Dilma e a serviço do PT e cia. Isso é uma vergonha!

lanazates disse...

Esse pobre juiz ignorante foi nomeado somente pra servir de palhaço nas situações de pau mandado do "se colar colou" ou "vai que cola?"