sexta-feira, 27 de julho de 2018

Quem censura os censuradores? O ataque do Facebook à liberdade de expressão.

Artigo do economista Adolfo Sachsida, companheiro de lutas pela cultura da liberdade, publicado no Instituto Liberal, é mais um a criticar a violenta ação do Facebook contra páginas e perfis liberais e conservadores (contra os "progressistas", nada):


“O poder corrompe, o poder absoluto corrompe absolutamente” (Lord Acton)

Existe uma longa literatura que trata das dificuldades inerentes aos órgãos de controle. Em última análise sempre resta a dúvida: se os órgãos de controle fiscalizam pessoas e empresas, exatamente quem fiscaliza os órgãos de controle? Essa preocupação é vital em qualquer democracia, afinal os órgãos de controle acabam detendo muito poder.

Nessa semana fomos surpreendidos pelo ataque do Facebook a uma série de páginas associadas ao pensamento liberal/conservador. Os casos mais vistosos referem-se as páginas do Movimento Brasil Livre (MBL) e ao Brasil 200. Na semana anterior já havia ocorrido outro ataque do Facebook à liberdade de expressão: a derrubada da página Corrupção Brasileira Memesque contava com 1 milhão de seguidores.Nesse link você encontra algumas das páginas que foram derrubadas ontem pelo Facebook, entre elas: Moça não sou obrigada a ser feminista, Loira opressora, Conservadorismo Brasil, e Ter Opinião não é crime. Aparentemente, para o Facebook, ter opinião é sim um crime.

O Facebook promove assim uma censura ao pensamento liberal/conservador com a frágil argumentação de que assim procede para nos proteger das “ Fake News”. Em outras palavras, o Facebook decidiu o que pode e o que não pode ser publicado em sua rede (verdadeiro exemplo de Hidden News). Em resumo, o Facebook promoveu a censura. Sem meias palavras aqui: o Facebook promoveu um ataque direto a liberdade de expressão. Pergunta ao censurador do Facebook: as frases “Impeachment é golpe!”, “A Rede Globo persegue Lula”, e “A prisão de Lula é política”, são fakenews? Ou será que nesse caso pode mentir?

Vale ainda ressaltar que várias das páginas censuradas pelo Facebook são de apoio ao Deputado Jair Bolsonaro. Em outras palavras, temos uma empresa estrangeira tentando interferir diretamente nas eleições brasileiras. Será que o TSE vai permanecer em silêncio? E o que o Ministério Público tem a dizer sobre isso? Ressalta-se que até o momento apenas um único procurador federal se interessou pelo caso. Censura passou a ser admitida no Brasil? Uma empresa estrangeira tentando interferir nas eleições presidenciais passou a ser normal?

O Facebook quer acabar com nossa liberdade de expressão. Se você concorda com o texto, compartilhe nosso manifesto em favor da liberdade de expressão.

5 comentários:

Anônimo disse...

GUARDIAMO PROFILI SU FACEBOOK.
GUARDIAMO NOTIFICHE SU CELLULARI.
GUARDIAMO MESSAGGI SU WHATSAPP.

E NEGLI OCCHI, NON GUARDIAMO PIÙ NESSUNO.

Vandeco disse...

Há mais de um ano não movimento nada mais na minha página do Facebook. Naõ cancelei a assinatura, mas não me interesso em postar nada lá. Ponto Final!

Anônimo disse...

feissibuque, perdeção de tempo danada.

Unknown disse...

O Facebook já deveria ter mudado o nome para " Feixebook " , uma alusão ao fascismo.

Orlando Tambosi disse...

Fakebook, digo eu.