quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Quem bloqueia Cuba?


Ora, ora, é o ditador ao lado.

É lugar-comum, entre as esquerdas latino-americanas e os apologetas do castrismo (a exemplo de Frei Betto e do ex-frei Leonardo Boffl), a idéia de que existe um "bloqueio" contra Cuba e que este seria responsável pela falência econômica do regime e a miséria do povo cubano. Conversa mole. Quem produziu o desastre foi o ditador Fidel Castro e suas "políticas primitivas", contrárias à inserção de Cuba no processo de globalização. Dois estudiosos argentinos, Gabriel Salvia e Pablo Guido, mostram que o verdadeiro problema é a ditadura. Cito um trecho (leia aqui).

Es evidente que no existe ningún “bloqueo” a Cuba, que la isla comercia con un centenar de países y que la pobreza y restricciones del pueblo cubano se deben a las políticas primitivas del régimen de los hermanos Castro. En términos de intercambio comercial, Cuba exporta e importa bienes y servicios hacia y desde por lo menos la mitad de los países existentes en el planeta: realiza intercambio con todos los países que integran la Unión Europea, con la totalidad de países de Latinoamérica, con México y Canadá del NAFTA, con el país que ha venido registrando el mayor crecimiento en términos de participación en el comercio mundial (China) y con los llamados “tigres asiáticos” (Hong Kong, Taiwán, Malasia y Corea). En todo caso, de lo que sí podríamos hablar es de un “autobloqueo” del gobierno cubano en materia de integración al proceso de globalización. También es una realidad que el “embargo” no ayuda a promover la democracia en Cuba, a pesar de que Estados Unidos de América es el cuarto país en importancia con un 6% de las importaciones cubanas totales.

6 comentários:

Fábio Max disse...

Com Fidel no comando, mesmo se Cuba tivesse petróleo como a Venezuela e recursos naturais como o Brasil, ainda assim aquilo lá seria uma república de bananas, todas podres.

A Venezuela vai pro mesmo caminho, a política é a mesma: Distribui-se esmolas para toda a população pobre e alardeia-se aos 4 ventos: AQUI, NINGUÉM MAIS PASSA FOME! Uma porção de arroz e um ovo frito saciam a fome que, evidentemente, é algo deplorável, mas ao mesmo tempo, o país mergulha na estagnação econômica causada pela ineficiência do estado gigante e incompetente, a classe média desaparece e daí só há duas alternativas sociais: Ou se é parte da nomenklatura ou é pobre.

Enfim, o Estado se fortalece, mas a sociedade não.

Cuba por não ter fome mas, ao mesmo tempo, não têm perspectivas de progresso material algum. E quando a linha divisória entre pobreza e miséria é um prato de arroz com ovo, isso é preocupante.

Nara disse...

Concordo com o Fábio, quando o Estado se fortalece é a sociedade que enfraquece

Ricardo Rayol disse...

No creo en bujas pero que los hay los hay .. ou algo parecido

Patricia M. disse...

Muito bom! Concordo em genero, numero e grau. Nao basta ter riquezas naturais. Tem que ter povo e governo inteligente. A Venezuela vai para o buraco ja, ja.

Leticia Braun disse...

O Fidel, mesmo com o pé na cova, ainda pinta as sobrancelhas, é?

O Pensador disse...

Que Petróleo e "recursos naturais" tem o Japão e a Coreia?
A riqueza de um país esta no seu povo, no investimento em educação e tecnologia!!!
Cuba fala tanto em educação, se fosse mesmo estaria bem, mas infelizmente o que existe é doutrinação...