domingo, 11 de novembro de 2007

Novelista ameaçado de morte

Ah, ele não criou um personagem chamado Inácio Guevara?

Aguinaldo Silva, jornalista, autor da novela "Duas Caras", da Globo, viveu o tempo da ditadura como todos os da minha geração. Mas sente mais medo agora do que à época, também como muitos de nós. Não havia pensamento único, pelo menos. Hoje, pelegos e chavistas estão aí dispostos a manter o poder a qualquer preço. E Aguinaldo, que criou um personagem como "Inácio Guevara", recebeu sentença de morte da máfia próxima ao poder (devo o alerta aos amigos Aluízio e Nariz Gelado). Cito um trecho de seu post:

Então eu já tinha sido preso (fiquei 70 dias na Ilha das Flores, 45 dos quais incomunicável), e também fui processado três vezes, sempre por delitos de opinião, que permitiam ao então Ministro da Justiça, o dr. Armando “no coments” Falcão, me enquadrar na Lei de Imprensa. Podia, por causa da prisão e dos processos, ter pedido indenização ao governo atual, como fizeram muitos. Mas não acho que o povo tenha que pagar pelos agravos que sofri em virtude de minhas convicções políticas. Por isso prefiro viver às minhas próprias custas. E se tem alguma coisa da qual vou me orgulhar na hora da morte é de sempre ter vivido do meu trabalho e jamais ter mamado nas tetas de nenhum governo. Sim, na época eu tinha medo. Mas por mais sangrenta que fosse a ditadura, as aflições que então sofríamos por causa disso não tinham tanto peso quanto têm as aflições de hoje, quando somos supostamente livres. É que na época os militares até podiam impor arbitrariamente sua vontade. Mas pelo menos não eram fundamentalistas, não achavam que tinham a missão divina de reorganizar e assim salvar o mundo.

E agora... Agora os que não concordam com o que está aí também sentem medo. E são seguidos na calada da noite. E são ameaçados. E têm suas contas bancárias secretamente devassadas. E recebem telefonemas sinistros disparados de celulares com IDs privados. E morrem sim, porque alguns, como aquele prefeito lá de Santo André, são mortos nunca se sabe porquê nem como.

Digo a vocês sem maiores rodeios. Neste momento eu sinto medo, e tenho sérias razões pra isso. A julgar pelo que dizem os telefonemas disparados dos tais celulares com IDs privados, por motivos alheios à minha vontade posso até nem terminar a novela DUAS CARAS, que tanta discussão está gerando. Mas fica o aviso: se eu parar não será por minha própria vontade. E embora, no final de contas, o que eu faço seja “apenas Chinatown”, ou seja, uma novela, se eu não puder terminá-la porque amanheci, como dizem os tais telefonemas: “com a boca cheia de formigas”, espero que um dia Mamãe História se pronuncie e alguém venha a ser responsabilizado por isso.Mas não se preocupem. Isso ainda não é uma despedida. Até o próximo texto!

(Leia aqui)

12 comentários:

Maria do Espírito Santo disse...

"Delitos de opinião", espia só... Suponho, na minha aversão burraldina a tudo que cheire a normas e leis, que seja um crime previsto no Código Penal. Isso me enoja. Como é que opinião pode ser crime?! Minha indignação se choca com a resposta da minha inverossímil sensatez: skinhead.
Fora isso, os tempos estão irremediavelmente mais negros. Só se pode cantar com a boca chiusa, e mesmo assim, olhe lá! Qualquer dia desses os autores de ficção terão que escrever apenas sobre os temas de agrado e interesse da malta petralha, e, além disso, colocar a seguinte advertência na primeira página: "Esta é uma obra que diz a verdade. Qualquer semelhança com fatos e personagens ficcionais elitistas é mera coincidência."

Orlando Tambosi disse...

Não está longe esse dia, Maria. A era lulista está avançando até sobre a crítica literária. O professor Romano foi processado porque o autor não gostou da resenha que ele fez sobre seu livro.
A ditadura não ia tão longe...

paulo araújo disse...

Pelo menos no processo ele põde se defender. Romano também já denunciou no seu blog que foi vítima das mesmas ameaças. E logo quem, né Tambosi?

Quando o Roberto era útil (bem entendido, quando não se calou sobre o realismo político dos primos tucanos no poder) o petismo era só salamaleques. Agora, esqueceram rapidinho todas as vezes que o professor, gratuitamente e movido pelo seu conhecido amor pelo debate democrático, os atendeu sempre que solicitado.

Agora, o petismo triunfante quer que aqueles que no passado lhe foram úteis calem a boca e apenas lhes renda homenagens e circunflexões.

Rapidinho trocaram a força dos argumentos pela força bruta dos seus tonton macoutes cevados nas ongs, sindicatos, UNE e etc, revelando assim a sua verdadeira face.

Quando lembro ajudei (ao menos cortei a ajuda lá pelo meio dos 80) a chocar esse ovo de serpente eu penso: "como pude ser tão idiota?" Como não percebi desde o início e falei como o capitão Nascimento (hehe): Isso vai dar merda, zero um!

Leticia disse...

Você ainda teve sorte, Tambosi. Eu joguei uma água gelada na cara só em 1990.

Um comentário paralelo: autores de novelas deveriam receber separado só pelos nomes que "inventam" para os personagens. Inácio Guevara é algo perfeito.
Depois de Yolanda Pratini, é claro.

Orlando Tambosi disse...

Letícia, você não imagina o que é ser patrulhado dentro de uma universidade...
Mas, nos anos 80, eu contribuí miseravelmente para esse quadro dantesco, embora nunca tenha pertencido a partidos etc.
O que vejo é o horror da paralisia intelectual.

Leticia disse...

VOCÊ PATRULHOU, Tambosi?

Orlando Tambosi disse...

Deus me livre, Letícia!
Queria dizer é que contribuí para que o Grotão desembocasse nisto que está aí. Meus tempos de marxismo...

Maria do Espírito Santo disse...

A sua "inquisição", Lets, em caixa alta, assustou o agente disfarçado Tambosi Rijo Dedo... Assim não podche...

ph disse...

Alguém pode, por favor, explicar para este burrichó aqui por que raios o Aguinaldo Silva está sendo ameaçado? Até agora não entendi. Assisti a alguns capítulos da novela, mas não me lembro de nada que possa enfurecer a petralhada. O nome do professor barbudinho comunista? Ora, faça-me o favor!! Vi também que o sindicato das enfermeiras protestou contra uma personagem que finge ser enfermeira e que de fato é dançarina ou garota de programa, sei lá. Isso é um absurdo. Alguém precisa dizer pra esta gente que aquiloé ficção!!! "effepaiff" tá acabado, mesmo. Para usar a expressão do Aluizio, 99% são botocudos.

Maria do Espírito Santo disse...

Não entendo muito da lógica-afetivo-paradoxal da tchurma-petralho-petrolha, PH, mas pode ser que o manda chuva Antena, dono da favela grotônico-portelinha ponha em relevo alguns traços relevantes da personalidade do neo-timoneiro-do-terceiro-milênio.

Anônimo disse...

Quem pariu Mateus, que o embale. A Globo acoitou Dias Gomes e Janet Clair, enfiou o "politicamente correto" goela abaixo da população, criou os monstrengos hiper-mentirosos Crivinel, FM e PHA, deixou o nossoguia mentiroso mor deitar e rolar com seus factóides por vários anos. Agora, viu o que o Chaveco fez com a imprensa de lá e ficou com medinho.

É ótimo que agora esteja menos politicamente correta. Mas é muito pouco e muito tarde. Amiguinho de comunista só tem vida longa quando ajuda do estrangeiro. Nacionais, se não parecerem confiáveis, são destruídos quando deixam de ser necessários.

Depois de anos pagando pedágio ideológico pros controladores do pensamento frankfurtianos, não vai ser com uma novelinha que a Globo vai se redimir. Quem não enfrentar o monstro vai ser usado e destruído, na ditadura que se planeja. Melhor bater com tudo agora. É a única chance. FAMÍLIA MARINHO, BATA NO RIM DO ADVERSÁRIO. NÃO SEJA CULPADA DE MAIS UM CRIME DE OMISSÃO.

Desmistificador

Anônimo disse...

Tambosi

Por favor, comente:

http://www.diegocasagrande.com.br/index.php?do=Wm14aGRtOXlKVE5FWVhKMGFXZHZjeVV5Tm1sa0pUTkVNemMwTWpSTFFRPT1aeFAySg==

Desmistificador