quarta-feira, 27 de abril de 2011

Gasolina racionada: uma conquista do governo Dilma.

Aí vai, sem comentários:


Revendedores de combustíveis de ao menos oito Estados disseram à Folha que estão enfrentando dificuldade para obter gasolina. As distribuidoras, dizem, têm racionado a entrega do produto.

O motivo, segundo donos de postos e representantes do setor, é a baixa produção de etanol anidro no começo da safra da cana.

A rede Ipiranga, que atua em todo o país, afirmou à Folha que está racionando para evitar desabastecimento.

Representantes de entidades dizem, porém, que o problema é pontual e que afeta mais postos de bandeira branca (sem vínculo direto com distribuidoras).

De acordo com o presidente do Sincopetro (sindicato dos revendedores de SP), José Alberto Paiva Gouveia, as distribuidoras têm cortado os pedidos à metade para evitar o desabastecimento. (Continua).

7 comentários:

Anônimo disse...

Mais uma barbeiragem gerencial de vulto. E que está sendo escamoteada colocando outros assuntos em pauta e contando com a benevolência de apaniguados. A sazonalidade da lavoura de cana, de seu período de esmagamento, a previsão de produção, previsão de preços de açúcar no mercado internacional e interno e comparar com o preço do álcool combustível, teria de ser o "beabá" do governo. Ainda mais quando já uma uma considerável frota de carros "flex". Absurdo. E ainda tem quem fale em autosuficiência em energia e combustíveis. Se o fosse, realamentre, não haveria problemas de racionamento. Se os há, é por incompetência.
Dawran Numida

Anônimo disse...

Tô na área
Alô professor
Nem todas as usinas são aptas a fabricarem o álcool ANIDRO.
O alto prêço alcançado pelo açúcar levou as usinas a não produzirem o álcool HIDRATADO,que é utilizado nos automóveis de forma direta.Desta forma faltou álcool hidratado e o pessoal vai para a gasolina que LEVA AO REDOR DE 20/25 % de álcool ANIDRO(que agora temos de importar junto á gasolkina também.
Conclusão: falta gasolina por falta de dimensionamento adequado de fornecimento.
fui...

Escatopholes disse...

Como aqui neste blog todos são capitalistas, eu gostaria de informar que os usineiros produzem o que dá mais lucro. No momento o açucar dá mais lucro do que o álcool, portanto, produzem açucar.

A questão toda está nos 25% de álcool adicionado à gasolina. Já deviam ter reduzido isso aí quando ocorreram os primeiros sinais de desabastecimento de álcool.

A outra questão é a forma como os usineiros (leia-se empresários brasileiros) são tratados: quando eles precisam do governo, o governo corre para ajudá-los. Quando eles deveriam ajudar o país, eles não o fazem, portanto, o governo deveria retirar os 25% de álcool da gasolina e nunca mais acresentá-los e quando sobrasse álcool eles, os usineiros, poderiam bebe-lo ao invés de tentar vende-lo ao governo brasileiro!!!!

Anônimo disse...

tô na área
Alô Escatopholes.
Com ou sem a "armação"govêrno/usineiros,SEM O ÁLCOOL HIDRATADO o Brasil pára.Pode apostar que estamos exportando álcool e gasolina com prêços inferiores ao qu importamos!!!.
A estimulação de carros flex e á alcool foi além do racional(pt raciocina?).Quanto à conjuntura do açúcar/álcool hidratado/álcool anidro,deveríamos ser MESTRES PARA O MUNDO e não botocudos apalermados com variações de mercado.
Vendemos para o mundo um paraíso alcoólico e agora vamos encher a cara de cachaça esperando o tempo de safra e as recomendações médicas sugerirem o baixo consumo de açúcar esperando que o prêço do mesmo caia violentamente.
E os INVESTIMENTOS em ALCOOLDUTOS que estão fazendo e que cortarão Mato Grosso,Goiás e São Paulo,quem está bancando ou vai bancar?
eheheeheh(NÓS),

Cfe disse...

"Como aqui neste blog todos são capitalistas, eu gostaria de informar que os usineiros produzem o que dá mais lucro. No momento o açucar dá mais lucro do que o álcool, portanto, produzem açucar."

E vc é o que?

Anônimo disse...

tô na área
Al~Cfe
Somos capitalistas mas não somo obrigados a sermos idiotas.
O mercado de comodities,e o açúcar é uma delas,pode ser analizado desde o período colonial e não se pode admitir um país MAIOR PRODUTOR MUNDIAL ser flagrado de calças curtas neste metiê.
A alteração do prêço do açúcar vem sofrendo pressões por problemas em países concorrentes,climáticos,políticos,etc..
Nada que meia dúzia de estagiários no ministério afeito poderiam "prever".Reservas estratégicas de álcool e açúcar por exemplo ajudariam passar a instablidade.
Cadê os responsáveis?
fui...

Fábio Mayer disse...

E os preços subindo...