segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Deputado Vargas: grosseiro, antidemocrata e cúmplice de criminosos. Só podia ser do PT.


A saudação petista, usada pelos mensaleiros, está cada vez mais parecida com o "heil, Hitler" dos nazistas. Vergonhosa e ultrajante a atuação do deputado André Vargas, hoje, em provocação ao presidente do STF, Joaquim Barbosa:
Número dois na hierarquia da Câmara dos Deputados, André Vargas (PT-PR) fez uma provocação direta ao presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, na abertura do ano legislativo, nesta segunda-feira. Sentando ao lado do magistrado, o petista ergueu duas vezes o braço, com o punho cerrado, repetindo o gesto usado pelos mensaleiros José Dirceu e José Genoino quando tiveram de se entregar à Polícia Federal.
Na mesma mesa, estavam presentes os presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), além dos ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Ideli Salvatti (Relações Institucionais).
Questionado por jornalistas antes de deixar o Congresso, Barbosa afirmou não ter visto a provocação do petista. “Nem prestei atenção, não vi nada”, disse.
Já Vargas, notório crítico do ministro relator do mensalão, reagiu com ironia: “Muitos cumprimentam com positivo, sinal de vitória. No PT, é tradicional cumprimentar com ‘L’ do Lula, e a gente agora tem se cumprimentado assim [com o punho erguido]”. E continuou: “Foi o símbolo de reação dos nossos companheiros que foram injustamente condenados. O ministro está na nossa Casa. Na verdade, ele é um visitante, tem nosso respeito, mas estamos bastante à vontade para cumprimentar do jeito que a gente achar que deve”. (Continua).

4 comentários:

Oswaldo Ferreirinha disse...

Infelizmente, tal senhor não passa de mais um esquerdopa.

Renato Silva disse...

Olá, tudo bem! Quer aumentar as visitas do seu blog e não sabe como? Acesse o link http://comoaumentarasvisitasdoblog.blogspot.com.br/ e cole seu banner em nosso muro e tenha muitas visitas! Aguardo sua visita! Até mais

Rodrigo Cortes disse...

Nos governos totalitários o gestual representa muito. Faz parte do programa partidário ter características próprias para distinguir e demonstrar a diferença entre facções, falanges, grupos, gangs, bandos ou seitas. Podem dizer que é ato de bravura e coragem, mas não passa de concretização da suprema canalhice da união dos imundos petistas para o mal maior que está por vir.

Anônimo disse...

http://edsonjnovaes.wordpress.com/2014/02/04/o-pai-da-propaganda/