terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Outra proeza do governo petista: produção industrial em queda livre.

Procurei, procurei, mas não achei nem sequer uma boa notícia sobre a gestão Dilma. Essa aqui não destoa do que a presidente tem apresentado ao país em seu mandato:
O ano começou bem para a indústria, mas se encerrou negativo. A produção  industrial registrou queda de 3,5% em dezembro em relação a novembro, na série com ajuste sazonal. O recuo representa o segundo resultado negativo consecutivo do indicador e a maior queda da série desde dezembro de 2008 (-12,2%). Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF).
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no acumulado no ano de 2013, a atividade industrial cresceu 1,2% frente a igual período do ano anterior. Em 2012, a produção havia caído 2,5% e em 2011 tinha apresentado ligeira variação positiva de 0,4%.
O IBGE informou que o setor industrial teve expansão no ano passado devido sobretudo ao crescimento de 2,1% registrado no primeiro semestre do ano. O segundo semestre registrou alta de apenas 0,3%.
Abaixo das projeções. A queda de 3,5% em dezembro é maior que o piso do intervalo das expectativas dos analistas ouvidos pela Agência Estado, que iam de -0,80% a -2,50%, com mediana negativa em 1,50%.
Em relação a dezembro de 2012, a produção recuou 2,3%. Nesta comparação, sem ajuste, as estimativas variavam de queda de 1,90% a crescimento de 1,60%, com mediana estável.
No acumulado de 2013, as estimativas variavam de alta de 1,30% a avanço de 1,63%, com mediana positiva de 1,30%. 
Queda de bens de capital. A produção da indústria de bens de capital caiu 11,6% em dezembro ante novembro. Na comparação com dezembro de 2012, o indicador mostra alta de 1,8%. Em 2013, houve alta de 13,3% na produção de bens de capital.
Em relação aos bens de consumo, a pesquisa registrou queda de 2,5% na passagem de novembro para dezembro. Na comparação com dezembro de 2012, houve recuo de 3,2%. No acumulado de 2013, a queda foi de 0,2%.
Na categoria de bens de consumo duráveis, o mês de dezembro registrou queda de 3,0% ante novembro, e recuo de 3,5% em relação a dezembro de 2012. O resultado de 2013 foi de avanço de 0,7%. (Continua).

Nenhum comentário: