sábado, 29 de agosto de 2015

Lula: da megalomania à insignificância.

Percival Puggina lembra a trajetória do demagogo de Garanhuns e São Bernardo, o tiranete Lula, que sempre arrotou grandeza. Megalômano e boquirroto, ele, seu poste cognominado Dilma e seu partido levaram o país à deriva. Pagarão caro:


Certa feita, no ano de 2004, em um dos tantos debates que já mantive com lideranças do PT, ironizei a continuidade que o governo Lula vinha dando às políticas tucanas que combatera tão intensamente e com tanto sucesso eleitoral. Mostrei, uma a uma, as contradições. O abominável Plano Real estava mantido com inteiro rigor. O superávit fiscal, tão execrado pelo petismo, havia atingido, com Lula, o maior valor dentro da série histórica. Os programas de renda mínima, que Lula acusara de serem uma forma de fazer votos graças à fome de quem vota com a barriga, haviam mudado de nome e recebido mais recursos. E por aí fui, até ser interrompido por meu interlocutor que me disse exatamente o seguinte: "Puggina, não se muda a direção de um transatlântico com guinada brusca" e ilustrou o que dizia com o braço desenhando um longo arco. A mudança de rumos estava em curso e seria gradual.

Ele pertencia à alta hierarquia de seu partido e estava bem informado. O tempo o comprovou. O PT destruiu os fundamentos macroeconômicos então vigentes (responsabilidade fiscal, câmbio flutuante e meta de inflação). Exibiu, pouco a pouco, sua vocação para o totalitarismo. Empenhou-se na armação da luta de classes, forçando o divisionismo dentro da sociedade. Ensaiou várias tentativas de controlar a mídia. Levou o revanchismo até onde pode. Concebeu várias agendas socialistas. Aliou-se aos piores vilões da política nacional e internacional. Não lhe faltaram tentativas de impor absurdos, mediante decretos felizmente rejeitados pela opinião pública e pelo Congresso. Tais foram os casos do PNDH-3, que fazia gato e sapato em nome dos direitos humanos, e do decreto Nº 8.243 (decreto dos sovietes), que pretendia uma desabilitação do poder legislativo. O partido viria, como de fato veio, contaminar e aparelhar o Estado em conformidade com um desígnio totalitário. Tudo para alterar a trajetória do transatlântico.

Na política, tudo ia bem. Os corruptos prosperavam. Não faltava dinheiro à mídia chapa branca, nem capitanias hereditárias aos partidos e aos políticos da base. O crescimento chinês empurrava a economia para a frente, mais ou menos como as elevações da taxa de juros engordam os lucros dos bancos sem que os banqueiros precisem sair da poltrona. O petróleo a mais de US$ 100 viabilizava qualquer estripulia na Petrobras e o pré-sal era portentosa mina, a ser drenada ainda antes de gotejar. A megalomania, os delírios de poder e de riqueza, os projetos faraônicos, o messianismo característico dos partidos e movimentos totalitários recebiam injeções de adrenalina na veia. No limite das aparências, Lula era um Midas. Além das aparências, uma bomba de efeito retardado.

Só agora, concluída aquela curva descrita pelo meu interlocutor no debate acima referido, veem-se todas as dimensões do estrago. O desvio de rota jogou o país contra os rochedos, de modo desastroso. Lula e Dilma, que sequer se animam a aparecer em público, fazem lembrar o rápido e furtivo desembarque do comandante Francesco Schettino após jogar o Costa Concórdia contra os arrecifes junto à ilha de Giglio.

A direção pretendida quando a grande curva foi desenhada chegou onde inevitavelmente haveria de chegar, porque nunca foi diferente o resultado de tais políticas. E se há muita incerteza, hoje, sobre o futuro do país, se os comandantes se escondem mas não desembarcam, ninguém duvida de que o desvio de rota e a megalomania os condenaram à insignificância.

6 comentários:

Anônimo disse...

O povo vê que ninguém do MPF e/ou Judiciário no Brasil, sequer Dr. Moro, têm CORAGEM de enquadrar o meliante!! Diante disso, não tenham dúvidas, com a ajuda do próprio TSE, Lula será eleito em 2018!!!!!!!!

Anônimo disse...

se o pixuleco lula ganhar as eleições em 2018, fica apenas comprovado que as urna eletrônicas são fraudáveis.

Anônimo disse...

Boa, Guilherme Fiuza!!

http://oglobo.globo.com/opiniao/cpmf-pixuleco-oficial-17343620?utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_campaign=compartilhar

Anônimo disse...

Se recolha á sua própria insignificância de pixuleco, luladrão.

Gil Rikardo disse...

--Ahhh!... Coitado!

Anônimo disse...

“BOLETIM MÉDICO”

Comunico, para o alívio de todos os democratas deste país, que o “‘Pixuleco” – alvo de um tresloucado atentado à faca cometido por u’a militante histérica de uma brigada comunista – foi operado e passa bem no seu pós-operatório.

Havia um certo temor de agravo do seu estado, diante da procastinação de atendimento motivada pela recusa do “Pixuleco” de ser operado no SUS, preferindo o Sírio-Libanês. Mas, consumada a transferencia, a cirurgia transcorreu com pleno êxito, sendo cosido o buraquinho que a “mulher-faca” fez no seu flanco, mas sem que nenhum órgão vital fosse atingido, felizmente.

O “Pixuleco” já está de alta hospitalar, e deverá completar a sua recuperação em casa, sob os cuidados de seus familiares. A recomendação mais rigorosa é de que ele não leia os jornais, não assista os jornais televisivos e não leia as revistas Veja, Época e Isto É deste final de semana, para evitar agravamento do seu estado. A leitura da Carta CaPTal, no entanto, está liberada e é até aconselhável..Palavras como ‘”lavar”, “lava”, “jato”, “porto”, “Mariel”, “empréstimo”, “tráfico” e “influencia” não devem ser pronunciadas na sua presença, por razão não muito bem esclarecida. E mais: não deve frequentar lugares públicos em hipótese alguma, exceto com cordão de isolamento, inclusive acústico.

Finalmente, devo comunicar que o “Pixuleco” estará retomando, em breve, a sua tournée de combate à corrupção e à impunidade, sendo aguardado, desde já, em diversas capitais do país. O “Pixuleco’, que já era inimputável, será também blindado a partir de agora, para evitar novos ataques de mulheres e homens-facas das brigadas vermelhas