segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

Vacina Oxford/AstraZeneca na berlinda: aprovação por agência europeia se torna crucial.


A imprensa alemã levantou dúvidas sobre a eficácia da vacina em maiores de 65 anos. A EMA dará seu parecer no próximo dia 29. Para o Brasil, essa aprovação se torna ainda mais importante, pois se a vacina que recebeu o maior volume de investimento do governo brasileiro for ineficaz para idosos, todo o plano de imunização estará em cheque:


Uma das vacinas em estágio mais avançado de produção, a da AstraZeneca, está na berlinda. A EMA (Agência Europeia de Medicamentos) dará seu parecer sobre a liberação do imunizante na próxima sexta-feira, 29, e, até lá, a suspeita sobre a eficácia do composto sobre idosos permanecerá. Isso porque notícias publicadas na Alemanha, onde a vacina da AstraZeneca tem papel de destaque no plano de imunização, informam que a eficácia sobre pessoas com mais de 65 anos é de apenas 8%. Primeiramente foi o jornal de finanças Handelsblatt a dar a informação, depois o tradicional Bild, que afirmou que as doses da AstraZeneca não devem ser liberadas para idosos. Até o momento é impossível dizer qual a eficácia sobre este grupo de acordo com estudos já publicados. De acordo com a publicada do laboratório no jornal Lancet, em dezembro, apenas 4% dos voluntários dos testes clínicos tinham mais de 70 anos.

Assim, todo o mundo fica ansioso para entender se as informações partiram da agência europeia e se, de fato, os técnicos europeus vão barrar o imunizante para idosos. Para o Brasil, essa aprovação se torna ainda mais importante, pois se a vacina que recebeu o maior volume de investimento do governo brasileiro for ineficaz para idosos, todo o plano de imunização estará em cheque. O antígeno foi desenvolvido pelo laboratório britânico-sueco em parceria com o laboratório de Oxford e a Fundação Oswaldo Cruz. (Radar Econômico).

Nenhum comentário: